das (algumas) sombras da grei*…

jornalixob© google | Tomo III
.

.

«

1) Não vou comentar o que diz o presidente… Falar agora, neste momento, sobre arbitragens é muito tarde – principalmente para mim, que há muito tempo e com factos, aqui venho demonstrando essa falta de critérios e de respeito, dos homens do apito e dos seus ajudantes. E também eu não percebo a alusão ao facto do Aguilar ser de Coimbra
.

2) O Miguel Aguilar [é natural de] Coimbra; o Ferreira Nunes, braço direito do cardeal Pereira, também é natural de Coimbra.
O Ferreira Nunes, de Coimbra, também desempenha o cargo de Vice-Presidente da Secção de Classificações, na FPF, com o pelouro das nomeações dos observadores para as competições profissionais! I
sto é: o Capela, o Mota, o Paixão, ou o Ferreira (de Fafe) serem (respectivamente) os 4º, 5º, 6º e 7º melhores árbitros, em Portugal, é tão-somente um tributo do Ferreira Nunes, de Coimbra, assim como o responsável maior [juntamente com o ‘cardeal’ Pereira e o 5lb] pela despromoção de Marco Ferreira!

Já agora, num ‘derby’ à Capela na Luz, em Abril de 2013, em que as leis de jogo foram atropeladas [e da origem do «limpinho, limpinho, limpinho»], o observador desse 5lb vs. spórtém, foi um tal de Luís Ferreira, também natural de Coimbra, e que atribuiu um «bom mais» (3,7 na escala de 0 a 5) ao inefável Capela. “Naturalmente” o Ferreira Nunes, de Coimbra, não penalizou aquele observador, tão amigo do Capela!

Está assim explicada as alusões ao Aguilar e a Coimbra. E, como está bom de ver, naturalmente que Ferreira Nunes não irá penalizar o “seu” auxiliar Aguilar pelo erro grosseiro [na partida ante o arouca]. Mas é certo que ligou ao observador José Rufino, no final do Setúbal vs. FC Porto, na última temporada, para “carregar” negativamente no árbitro Marco Ferreira (atenção que a minha fonte é segura, e até estava no Bonfim)!
.

1) como não sou entendido em arbitragem, não percebi a alusão a Coimbra. Porque fala [o Presidente] uma linguagem que poucos percebem e num assunto importante?
.

2) O Presidente não falou para o senso comum, mas sim directamente para o triunvirato ‘cardeal’ Pereira, Ferreira Nunes e “Apito Encarnado”. Esses entenderam [a mensagem e/ou recado] melhor do que ninguém!
.

1) Portanto: o Presidente não falou para o senso comum, antes para os “entendidos” perceberem… Como se tem visto, eles até tremem… O Rui Costa e o amigo de Coimbra, em dois jogos, no Dragão, note-se!, “martelaram-nos”.
Se ele
[o Presidente] tivesse uma linguagem para todos perceberem, quem sabe se, depois do Rio Ave, o Costa e o amigo Aguilar, não pensavam duas vezes antes de invalidarem aquele golo?… Pelo menos os portistas que estavam no estádio e que, de antemão, já sabiam “as peças” que estavam lá dentro, teriam reagido de outra maneira, digo eu… 

»

in dragão até à morte
.

caríssima(o)

serei extremamente breve.
recupero este curtíssimo diálogo, entre o dragão Vila Pouca e o “PT”, no “dragão até à morte“, porque o mesmo é exemplificativo do que muitos de nós, na bluegosfera (e não só), temos criticado, em termos de postura comunicacional do Clube. explico (sucintamente).

se é certo que o Presidente actualmente está mais interventivo do que num Passado recente – já proferiu quatro declarações, em momentos distintos e sobre temáticas diversas, no último mês e meio -, também não deixa de ser criticável que, quando o faz, não é muito assertivo. nas citações acima, aquele é só (mais) um exemplo, porquanto que as (justas) críticas sobre arbitragens vergonhosas que nos têm calhado na rifa, têm que ser feitas no momento oportuno e não ‘a posteriori‘. e não podem ser um “exclusivo” de umas notas breves na ‘newsletter‘ (porque não é abrangente, a nível nacional, e mesmo que seja replicada nos pasquins do jornalixo tuga), nem a uns comentários avulsos no “Universo Porto“, no Porto Canal, amiúde pelas vozes de Bernardino Barros e Paulo Miguel Castro (porque o canal não é generalista o suficiente, como os outros todos).
assim e no meu entendimento, quando os «outros agentes do jogo» nos espoliarem e/ou ridicularizarem com os seus dúbios critérios, há que ter a coragem para dar o necessário murro na mesa. por exemplo, o Director de Comunicação emitir uma informação pertinentemente indignada, em plena conferência de Imprensa, dando conta do facto e sem direito a perguntas dos pés-de-microfone. o que não pode acontecer é a nossa (repito: justa) revolta ser proferida depois de finda a contenda, normalmente 24h a 48h depois – vide, a título de exemplo, o que (não) se disse sobre o esbulho, com a equipa B, ante o Famalicão…
.

por último e ainda sobre o Porto (torto?) Canal, o que se passou na noite de Sexta-feira foi ridiculamente absurdo. depois de uma vitória estrondosa ante o nosso arqui-rival, em pleno antro do 5lb e quando todas as fichas tinham sido depositadas numa derrota nossa e certamente que de uma forma copiosa, o que se assistiu foram a menos de 25′ de ‘pós-match‘ (!!!) e a uma correria desenfreada para que o programa do Juca (que ninguém vê e/ou liga) fosse para o ar à hora exacta. portanto e mais uma vez, o torto Canal “inovou”, preterindo aquela que deveria ser a emissão própria do momento, por algo que não justifica, de todo!, que haja quem esteja na expectativa para mudar de operador.
a minha pergunta é só esta: “se é assim, para quê mudar? será que se justificam o esforço, as chatices, os aborrecimentos, o tempo dispensado em burocracias fúteis?” a minha resposta (pronta) é: não! há outras formas bem menos onerosas para se poder ver, com tranquilidade e sem ‘stress‘, os (poucos) conteúdos que o Porto Canal tem para oferecer em relação ao seu maior accionista: o Futebol Clube do Porto.
.

adenda muito pertinente:

concentradíssimo na questão comunicacional do Clube, esqueci-me de:

i) parabenizar a nossa equipa de basquetebol pela (igualmente) estrondosa vitória, ante o Carnide – essa agremiação orientada por um ser reles, baixo e humanamente repugnável, e cujo sentimento “mais carinhoso” que sinto é o de um inflamado asco;

ii) manifestar a minha solidariedade para com a equipa de hóquei em patins, depois do descalabro em Turquel.
estou (muito) convicto de que estes percalços farão crescer os atletas da modalidade, na próxima época, em termos de campeonato nacional, num projecto desportivo no qual acredito e confio. e, apesar daquele último objectivo já estar demasiado longe, outros há para conquistar ainda esta temporada. haja Vontade e Determinação em (se) superar…
.

* definição de “grei”  aqui, sendo que a utilizo (i) num sentido figurado, (ii) em paródia a uma trilogia literária recente e (iii) sem pretender ser insultuoso com ninguém.

.
disse!
.

Anúncios

2 thoughts on “das (algumas) sombras da grei*…

  1. Depois de saber, na Quinta, que eu [sendo NOS] ia “perder” o Porto Canal, fiquei lixado com um F. Porque, para mim, o canal interessava-me mais por causa das nossas modalidades.
    Sabendo que, no fim-semana a seguir, jogariam as nossas modalidades, o que se passa no canal? Estão a dar andebol do ABC… Nada de hoquei, nada de basket, nada!

    Um canal ‘new wave‘ com muita ‘bullshit‘.
    Enfim… Agora para ver modalidades vai ser uma época de juízo, ter que procurar, pela net, ‘streams‘ de jeito.

    Abraços.

    Liked by 1 person

vocifera | comenta | sugere (registo necessário)

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s