se há «padres», também há “sacristãos”.

© mister do café
.

caríssim@,

isto” tem sido um fartote. sincera e honestamente não me recordo de um período assim; nem sequer nos bons tempos do sacristão do presídio da Carregueira.
acima de tudo, estou a adorar esses gloriosos ‘spin-offs’ de gentinha (gentalha?) que, em 2004, após a segunda conquista europeia consecutiva do FC Porto “de” Mourinho, não teve qualquer pejo em se socorrer, de forma enviesada, muito torpe e bastante soez, de um processo que se iniciou com o envio de uma carta de um «padre», em moldes muito próximos do que a troca de e-mails evidencia – i.e., um inequívoco tráfico de influências (nefasto para o apuro da “tal” Verdade Desportiva das competições, mesmo que comezinhas, da tugalândia) – para atacar todo o prestígio, reputação e bom-nome do (então) novel Campeão Europeu de Clubes. agora, que é outro o protagonista de actos igualmente condenáveis e moralmente criticáveis, é assistir (de camarote) à defesa da sua prática (!!!) com recurso a desculpas, algumas delas bem pior do que esfarrapadas…
de referir que muitos daqueles actos de puro contorcionismo, próprios de quem não possui qualquer espinha dorsal, sequer coerência na defesa dos seus argumentos (por muitos deles serem intelectualmente desonestos), são protagonizados por comentadores profissionais (por que avençados para o fazer, ao contrário de um mero adepto) e tidos invariavelmente por “independentes”. acontece que, bastam dois minutos de escuta atenta das suas alegações e um pouco de pesquisa cibernáutica, para se perceber que mais não são do que lobos travestidos com pele de cordeiro, inevitavelmente afectos a uma cor que não a nossa. assim de repente e acerca desta matéria, recordo-me sempre deste episódio aqui, não sei lá porquê…
pois que, desde que rebentou este escândalo do teor dos e-mails, têm surgido bastos daqueles comentadores, armados ao inteligente, com um patoá escorreito, com especial destaque para dois deles: rui pedro braz e luís aguilar. eis uma imagem interessante para se perceber um pouco melhor de quem falamos
:
.

© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

é óbvio que, daquela imagem, a parte que consubstancia o que ali atrás afirmo, é a da direita; já a parte da esquerda é uma espécie de “bónus traque”, porque se correlaciona (e muito!) com o que a imagem a seguir nos transmite:
.

© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

portanto: a 14 do corrente mês de Junho, com publicação impressa no dia seguinte, ficámos a saber, via DN, que o DIAP da capital do império possui mais e-mails do que aqueles que entretanto têm vindo a ser divulgados pelo Departamento de Comunicação do FC Porto. mais: que eles estão na sua posse «há quase duas semanas» – bem anterior àquela divulgação. pior: que nada tem sido feito, em termos de investigação, porque «a utilização dos e-mails, que têm sido revelados no próprio processo, não é pacífica: há quem defenda que, uma vez obtidos de forma ilícita, não podem ser utilizados como prova, e quem considere o contrário, desde que encontradas novas provas que lhes dêem suporte». e quem é que garante ao pessoal do DCIAP que os e-mails foram «obtidos de forma ilícita»?! é que, se «nenhuma diligência foi solicitada, nem foi agendada alguma reunião para se definir uma estratégia de investigação», aquela conclusão está errada e parte-se de um pressuposto que só se comprovará (ou não) com a devida… exacto: investigação. neste entretanto, debate-se o sexo dos anjos, com uma (mais do que provável) perda de tempo que seria muito precioso para… correcto: o bom rumo da investigação.
já no dia de hoje e numa autêntica manobra de diversão, o lixo manhoso do grupo cofina [valente escarro] faz manchete com o que só pode ser encarado como uma anedota… é este o “jornalismo” de um pasquim que, entre outras “virtudes”, só serve para ser mais um dos que se coloca gloriosa e subservientemente de cócoras perante os “donos disto tudo”. e é este o estado do jornalixo tuga: um mar de laranjos – quais “sacristãos” devotos dos «padres» e das «missas» que se «rezam» lá para os lados de Carnide – e com tudo o que de pernicioso tal cenário encerra

ou seja: temo que tudo “isto” vá dar em nada. que, mais uma vez, o facto de haver fortes indícios contra o carnidense só por si não é o bastante para que haja sequer uma mera investigação por parte de quem de direito e com responsabilidades públicas para tal. e que inevitavelmente, como é com “a instituição” que se estão a meças, não se vai passar nada de nada, porque aquela é intocável e inimputável.
e é antecipando este cenário e sabê-lo por experiências passadas, que a inha Alma encontra-se totalmente parida com um F bem maiúsculo. fosse esta merda tingida em tons azuis-e-brancos e já teriam caído os Clérigos, o Carmo, a Trindade, os Congregados, e demais igrejas da Diocese da ImBicta. e há mais de dez dias que o nosso clube do coração seria diariamente o foco principal de abertura de todos os programas de informação, em todos os canais de difusão (também) da propaganda do Estado Lampiânico e à boa maneira goëbbeliana… assim de repente e sem recuar muito no Tempo, recordo-me deste episódio aqui. e deste (não-)assunto aqui

por último, uma brevíssima dose de humor, acerca dos cartilheiros e/ou sacristãos do clube do regime:
.

© pravda | 92º minuto

.

disse!
.

Anúncios

#abafatudo

© google | 92º minuto
.

caríssim@,

não gostei. nada. mesmo n-a-d-a. aliás, dei por muito mal empregue o meu precioso tempo. explico.
anteontem, o precário guerra teve direito a um programa só para si, depois de estalada a polémica (da) troca de-mails entre “sacristãos” a soldo do «Primeiro-ministro» – uma situação ímpar na televisão portuguesa (pelo menos, desde que me lembre). nesse programa teve o direito ao contraditório e uma oportunidade singular (por que única) de expor o seu ponto de vista, numa altura em que começa(va) a ser basto contestado entre as “ovelhas” de tão glorioso “rebanho” (algo a que já deverá estar habituado).
para memória futura fica devidamente registado aqui,
aqui e principalmente aqui o que a avestesma proferiu – e não vá o Acaso dar um ar da sua graça e o original de tais declarações perder-se numa qualquer cripta escura, de uma obscura catedral… sobretudo registei o facto de ter uma memória selectiva assaz interessante, capaz de se recordar de lances polémicos de um jogo à época de 2007/2008 e de “ter uma branca” por causa de uma troca de e-mails em Dezembro de 2013… ele há coisas que nem o memofante® explica…
mas, a parte que “gostei” mais foi aquela em que interveio o ex-apitador tuga, madeirense convicto, e cujo áudio pode ser escutado aqui, e que assumiu, com a humildade de alguém que se sente injustiçado, acossado e muito incomodado com um processo “inquinado”, que, aquando da sua «despromoção», chegou inclusive a marcar uma “audiência” com o «Primeiro-ministro» para esclarecer a sua situação. note-se que não foi confrontar vítor pereiral, o então supremo presidente do Conselho de Arbitragem da Liga, ou o figurinha menor desse sector, o salmonelas (do) gomes; não senhor!, foi directamente à fonte de quem poderia intervir por ele – aquele que, «pelo outro lado», tudo fez para que «este espaço fosse conquistado com muito trabalho» porque «quem os prejudicar sabe que é punido», qual “dono disto tudo”… de facto, se dúvidas houver (que não há!) onde actualmente reside o “tal” Sistema, Marco Ferreira não as teve; certamente que terá sido só uma coincidência (e como eu não acredito em coincidências)…

daquele programa também ressaltou uma evidência: “compreende-se” que, com um guerra tão melindrado e tão vulnerável na crítica, não tão pronto para uma batalha cujas probabilidades pendiam para uma derrota copiosa (e como viria a acontecer), e tendo em linha de conta a indisponibilidade de Manuel Serrão, a Direcção de Programas da estação de Queluz optasse por convidar uma espécie de comentador (qual “boneco insuflável”) para estas andanças, o actor António Pedro Cerqueira, ao invés de alguém com alguma tarimba para estas andanças (como Bernardino Barros, Diogo Feyo, Pedro Marques Lopes ou até Pedro Baptista). mas, convenhamos que fica um pouco difícil de aceitar essa opção, porque, no inverso e se houvesse a remota possibilidade de haver um programa dedicado a um contraditório azul-e-branco, aquela mesma Direcção seria tudo menos benevolente para connosco…
.

© google | 92º minuto
.

neste entretanto, o apitador hugo miguel – tristemente célebre (também) por este momento aqui e que lhe valeu o sexto lugar na classificação final dos apitadores tugas (aqui) – na sua página no faceboKas, durante a emissão daquele programa onde se debatia a alegada rede de corrupção montada pelo 5lb na arbitragem e no exacto momento em que o actor afecto à cor do FC do Porto se queixava desse mesmo esquema de corrupção, escreveu o que a imagem acima perpetua e que foi posteriormente apagado. aliás, a própria conta foi encerrada e posteriormente reaberta com esta mensagem:
.

© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

quem quiser que tire as suas próprias conclusões; eu estou à espera de um cabal “murro na mesa”, da nossa parte, contra toda esta estrumeira, contra todo este “regabofe”, contra todo este glorioso despudor, de uma classe que efectiva e comprovadamente não a possui e que, por se considerar impune, julga que pode “fazer farinha” connosco, com a nossa cor, com o Brasão Abençoado, com os pergaminhos de uma instituição igualmente centenária e que merece o mesmo respeito que os demais.
.

© pravda | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

entrementes e com muitos mentirosos a (in)tentarem abafar tudo o que conseguirem, o pravda da Travessa da Queimada vai trilhando um caminho editorial que desfaz todas as suspeitas que poderiam existir sobre a cor mais do que o que oficiosa que por lá se defende, e cuja compilação das capas desde a passada Quarta-feira é só (mais) uma prova do que afirmo.
para lá do que a imagem acima retrata, do c-o-b-a-r-d-e e ardiloso revisitar do caso calheiros (entrevista a Carlos Calheiros aqui), é evidente que reitero o teor do pertinente artigo do (muito calimero) “mister do café” (aqui), sobre a temática em apreço. e é (mais do que) óbvio que discordo frontalmente do artigo de opinião que se segue, da autoria de um hipócrita vítor serpa que, enquanto Director do pravda, permite que tudo se faça em prol do clube do regime e nada contra os interesses do carnidense:

.

© pravda | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

disse!
.

do dia do (fervor do) Clube.

© dia do clube | fotos da curva
.

.

[no passado Sábado] decorreu a sexta edição do “Dia do Clube“. eu nem era para ir, mas depois vieram com o choradinho habitual: “ah e tal, se tu não fores, nem vale a pena a malta organizar aquilo, desiste-se, pronto, ficapróano, cumócampeonato”…
já se sabe que sou um coração de manteiga e lá fiz o favor de comparecer. e não é que, maijuma vez, valeu muito a pena?

sobre o que por lá se passou, saberão o que vierem a saber mas, por aqui, não será. apareçam na próxima edição e já não precisam de se fazerem passar por alcoviteiras.

o importante mesmo é dar os parabéns! […]
assim, trato mesmo eu disso: muitos parabéns! à Organização, por tudo ter sido impecável, mas sobretudo pelo trajecto (ascendente) – aquele que eu acompanhei, desde uma salinha na Biblioteca de Espinho ao Estádio do Dragão [passando pelo Auditório José Maria Pedroto, aquando da primeira edição]. caraças, parecem o [Fernando Gomes]!

ainda mais: parabéns ao FCP! principalmente por ter sabido devolver à casa a que pertence este encontro de Portistas e por ter, enfim, acarinhado e endossado, da forma correta, o evento; pelo espaço e pela presença nos painéis; mas, acima de tudo, pelo reconhecimento do esforço dos dedicados organizadores, culminando na presença inesperada, mas bem-vinda, do Presidente.
[portanto e sem ironias] parabéns FC Porto! demorou, mas foi! este é o caminho, sem receio dos nossos, sem trelas e mordaças e cartilhas. e, lá está: sempre que os Portistas se sentem bem-vindos em sua casa, retribuem com a gratidão e com o carinho que nos merece quem dá a vida pelo Clube. […]

perfeito!

in a tasca do Silva | Maio de 2017.
.

caríssim@,

faço minhas as palavras do Silva: não será aqui que se irá saber o muito que foi (bem) debatido sobre a actualidade do quotidiano azul-e-branco. também eu lanço o convite (desafio?) a que quem quiser e puder, na próxima edição marque presença e o testemunhe com os seus próprios olhos. estou certo de que não dará por mal empregue o seu precioso tempo.

mesmo assim, não resisto a partilhar contigo este momento aqui (em vídeo), da autoria do Paulo Bizarro – um dos organizadores de um evento que começou tímido, em Julho de 2012 e que actualmente é a demonstração de que o Portismo entre os adeptos está bem vivo e recomenda-se.
aliás, aquele vídeo é só um (bom) exemplo da veracidade do que afirmo e só por manifesta maledicência se pode inferir que nele se procede a um qualquer tipo de «lavagem gratuita» – seja isso lá o que for. adiante.

o áudio, que também se disponibiliza aqui (em formato mp3) é da da autoria do guitarrista clássico João Dias. e foi assim que se procedeu à abertura dos trabalho da parte da tarde: com um momento arrepiante e que me emocionou bastante (e que ainda o consegue fazer).

por último, mas não menos importante, quero afirmar que foi mesmo muito bom rever alguns de vós, que também resolveram despender algum do seu precioso tempo num conBíBio salutar e que já deixou saudades.
a ver se nos reencontramos em 2018, se Deus quiser! 😉

.
disse!
.

not@s soltas de Moreira de Cónegos.

futuro© getty images
.
(pertinente) nota introdutória:

caríssim@,

depois do cobarde e bárbaro atentado de ontem à noite, em Manchester, tudo o que a seguir se escreverá perde algum do seu sentido – inclusive dessa (eventual) Razão que me assiste em partilhar contigo alguns dos meus pensamentos sobre o quotidiano azul-e-branco…
mas, apesar da raiva, e da dor, e da angústia, e da revolta, e do choro interior, e do medo, e do momento pesaroso que sentimos tod@s nestas ocasiões, o Mundo gira e o Tempo avança. no fundo, é como muito bem escreve o Silva: «é neste miserável Mundo de Adeuses que nos obrigam a viver», pelo que ‘the show must go on‘…
.
.

empty spaces (what are we living for).
.

a propósito do encontro em Moreira de Cónegos, já tudo foi dito e comentado. estou atrasado, portanto, tal e qual aquele onze, com jogadores que humilharam, não só o manto sagrado e o brasão abençoado, mas sobretudo os indefectíveis que lá se deslocaram: também eles chegaram (muito) atrasados à partida. pelo menos 45′ minutos (outra vez, como em tantas outras ocasiões no campeonato que findou).
como escreveu José Fernando Rio:
.

.

« foi o pior jogo da época: ausência de qualquer grau de intensidade, raras oportunidades de golo, desconcentrações fatais. o Moreirense aproveitou bem essa benesse, oferecendo a posse de bola ao FC Porto. no fundo, fazendo a equipa portista acredita que tinha o controlo do jogo; deixou o FC Porto jogar naquele “ram-ram” habitual neste tipo de jogos para, de repente, recuperar a bola e lançar-se em rápidos contra-ataques mortíferos. foi assim que fez três golos e foi  a equipa que mais oportunidades criou em todo o jogo. »
.

eu partilho dessa impressão, subscrevendo-a. na íntegra.
mas, pior – bem pior! – foi esse total desrespeito para com o portismo, o que é algo que, para mim, é inadmissível. como (bem) escreveu o caríssimo Vila Pouca «há limites que nunca podem ser ultrapassados». mais uma vez, em mais um penoso findar de época, esses limites foram excedidos muito para lá do que é aceitavelmente razoável. pior do que aquele resultado final, o laxismo e a absoluta falta de entrega ao jogo, é o que, ainda hoje, me custa a aceitar.
.

futuro© google | 92º minuto
.

another hero, another mindless crime.
.

.

« o FC Porto terminou a época da pior maneira: derrota (justa), por 3-1 frente ao Moreirense. este resultado deixou a equipa a 06 pontos do primeiro lugar, sem ser o melhor ataque e também sem ser a melhor defesa do campeonato – algo que estava garantido antes do início da partida.
mais: com apenas 22 vitórias para o campeonato, fica com um registo bem pior do que o da (atribulada) temporada passada – em que se conseguiram somente 23 vitórias. “o melhor” que se conseguiu foi tão-somente diminuir o número de derrotas e melhorar o registo do número dos empates…
»,

também escreveu José Fernando Rio.
face a tais números, às razões elencadas pela C. na sua carta aberta ao Espírito Santo (que também subscrevo) e ao pecúlio de uma época em que se «ganhou… bola!» – a quarta consecutiva… – era inevitável este desfecho aqui.

sim!, a corda “partiu” para o (suposto) lado mais frágil, como é recorrente nestas alturas, na «indústria do Futebol». mas e é bom salientá-lo, tal não iliba a Direcção da $AD azul-e-branca e os seus mais altos cargos dirigentes, das responsabilidades de mais um fracasso total, com a figura de Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa à cabeça, antes pelo contrário.
e, ao contrário da época anterior, mais do que uma “entrevista” do Presidente ao Porto Canal (ou a um qualquer outro órgão de intoxicação comunicacional que não seja o Canal do Clube), quero “ver” Acção. chega de palavreado, de falinhas mansas, de tapar o Sol com peneiras múltiplas; o momento é de já se estar a preparar a época 2017/2018 – fundamental para as aspirações do Clube em múltiplos níveis, que não só o Desportivo. basta recordar que só o futuro campeão nacional terá acesso à fase de grupos da edição da Champions de 2018/2019. e sabe-se como é fundamental (preponderante?) a presença do Clube na mais prestigiada competição mundial de clubes…
ah! e considerarei um insulto a tod@s @s portistas se houver nova distribuição de prémios, entre aqueles administradores da mesmíssima $AD que, é certo, já nos proporcionou muitas alegrias num Passado recente. mas esse “juro” já foi pago; ao invés, os quatro últimos anos só nos têm causado prejuízo, e esse não pode ser premiado, bem pelo contrário.

uma palavra para o Nuno, neste momento bastante conturbado:
o facto de ter prescindido «do segundo ano de contrato na totalidade, recebendo apenas os salários referentes até ao próximo dia 30 de junho», como referem alguns pasquins da tugalândia, revela uma lisura invulgar para alguns dos seus antecessores.
também quero salientar que foi uma escolha presidencial que, apesar de ter dado errado, foi a que aceitou um cargo que considero que já foi mais apetecível num Passado recente, do que nos dias de hoje. de facto, quatro treinadores, mais dois interinos, em quatro épocas desportivas, está longe de ser considerado uma espécie de “cemitério de treinadores”, mas também não será a melhor imagem de marca…
e também será bom recordar as condições por que se quedou a última época desportiva, e de como se revelava hercúlea a tarefa do Nuno, a ter que apelar a algum “Espírito Santo” para a levar a bom porto: sucintamente, uma equipa destroçada por um deslustroso terceiro lugar no campeonato (a uns impensáveis 15 pontos (!!!) do líder) e uma final da Taça de Portugal perdida de forma inglória.
mesmo assim, tudo se precipitou depois daquela espécie de derrota ante o Setúbal “de” couceiro, em casa, com o epílogo de 01 derrota e 05 empates nos últimos 09 jogos do campeonato. por mais apoio que tenha tido das (e nas) bancadas, há factos que acabam por fazer “torrar a paciência” do mais calmo dos adeptos – desenhos e silêncios cúmplices, em conferências de Imprensa, à parte..
.
.

futuro© google | 92º minuto
.

abandoned places (i guess we know the score).
.

fizeram-me chegar a imagem acima através do e-mail do blogue. no texto que a acompanhava, refere-se que aquela circula à velocidade da luz pelas redes sociais afectas à agremiação carnidense.
quero afirmar que desconheço a veracidade, não só daquele último facto (porque não as consulto, sequer sei da sua existência), mas sobretudo do teor daquela troca de mensagens na aplicação ‘whatsapp’®.
mesmo assim, há algo que tenho e que quero registar:

» na “posta de pescada”© da passada Quarta-feira afirmei:

« que fique expresso, desde já, o meu mais firme desejo para que o FC Porto, e como se prevê, não seja beneficiado, no próximo Domingo, em Moreira de Cónegos. […] confesso que, no caso em apreço, não me importarei que se percam os pontos suficientes para que o Moreirense permaneça na Primeira Liga e consequentemente a agremiação (curiosamente muito lampiã) de Tondela desça à divisão mais condizente com a sua categoria (ou a falta desta). »

àquele desejo, fiz a seguinte ressalva:

« e que fique bem claro que nunca desejarei a derrota do meu Clube do coração, seja em que circunstância for. »
.

pensei que tal seria um texto perceptível onde, na qualidade de adepto e sem qualquer contacto “ao mais alto níBel” na Estrutura do FC Porto, expressei também o desejo de descida do Tondela. e sobretudo que essa, a acontecer, não fosse à custa de um qualquer benefício arbitral do FC Porto em Moreira de Cónegos, “sacrificando-se” o clube local.
afinal, no fim, quem desceu foi o Arouca, cujo presidente deixará de respirar o mesmo ar dos que o rodeiam lá pelo reino de Alvaláxia…

aferir que eu, por manifestar aquele desejo, estou conivente com aquela eventual partilha pública de um pensamento do líder da principal claque do Clube, vai uma distância tão grande (ou até superior) como a que separa o suposto prejuízo do 5lb, na última edição da Liga Salazar, relativamente ao abjecto esbulho (por que basto «glorioso») de que efectivamente fomos alvo na mesma. para além de que se parte de um pressuposto absolutamente ridículo (por que inócuo).
.

futuro© Rui Duarte | 92º minuto
.

behind the curtain, in the pantomime.
.

ontem deu-me para voltar a ouver o ‘Prolongamento‘. infelizmente fomos o tema principal de conversa, durante mais de uma hora de programa, o qual incidiu na rescisão contratual de Nuno Espírito Santo (NES). e afirmo “infelizmente” porque tal, quando acontece, é sempre sinónimo de que fizemos algo de errado.
do muito que foi (mal) dito sobre aquele assunto, destaquei o que foi aventado aqui pelo precário guerra, um dos meus odiozinhos de estimação; a saber (e cito):
.

.

mandar o NES embora e não pagar um cêntimo é um acto de prepotência digno de um salazar, de facto.

NES deixa obra no FC Porto. […] NES vai vingar como treinador.

os verdadeiros responsáveis não dão a cara. […] é claramente um sinal de incompetência de quem gere o clube.

não deixa de ser difícil de imaginar que o presidente do meu clube abandonasse um jogo 15 minutos antes do jogo acabar, que abandonasse a equipa. o que é que aconteceu? o presidente do FC Porto abandonou o jogo a 15 minutos do fim, veio-se embora!
.

sobre o acto (como é mesmo?…) «de prepotência digno de um salazar» recordo-me bem de como se correu com Quique Flores – um treinador que também eu considerei que iria «deixar obra» no 5lb – e se foi contratar o jeBus.
já sobre aquela mentira, que destaquei a negrito, e os respectivos abandonos à sua Sorte de uma equipa de futebol, também me recordo bem das célebres “dores de costas” presidenciais, em momentos-chave da temporada 2012/2013, sobretudo nos jogos fora de Carnide…
pena que o comenta-dor afecto ao FC Porto se tivesse esquecido de contra-“argumentar” com tais evidências… com muita pena minha, nem todos podem ser um Bernardino Barros. ou um (saudoso) Pôncio Monteiro.

.
disse!
.

tretas (ou balelas), em imagens várias.

© getty images | 92º minuto
.

caríssim@,

diz que vencemos a prestigiada ‘premier league international cup (sub-23)’, que vai na sua terceira edição.
diz que vencemos categoricamente e por goleada, num Stadium of the Light (Estádio da luz…), mas desta feita em Sunderland (no Nordeste britânico, bem lá nos confins).
e, mas agora dizemo-lo nós, portistas de alma e de coração (embora ainda muito tretamente amargurado), que se tratou indelével e indubitavelmente de um «feito histórico» – e depois de, na sua primeira edição, em 2014/2015, também termos atingido a final, mas capitulado aos pés de um Manchester City “dos” Angus Gunn (terceiro guarda-redes do actual plantel principal dos citizens), Aleix García e Kelechi Ihanacho (ambos com 727 minutos974 minutos e 08 golos na equipa A “de” Pep Guardiola respectivamente).
e diz que, mais uma vez, tal proeza do futebol de formação luso, mas ao nível dos clubes, passou muito ao largo da Informação, mas só cá pela tugalândia, que a internacional soube dar o devido destaque, inclusive pelo clube vencido [«crushed by a FCPorto masterclass»].
e diz também que as (gloriosas?) vozes dissonantes “argumentam” com o sempre estafado “ah! e tal, que foi contra [o Sunderland], que ninguém conhece. nem devem saber jogar futebol!”. pois… exacto… é só o mesmo Sunderland que figura entre as doze melhores academias de futebol em Inglaterra, certo? o mesmo Sunderland que, nos quiartos-de-final daquela competição, despachou a equipa de formação do Athletic de Bilbao – uma das melhores dos nossos “vizinhos” – sem qualquer apelo, nem nenhum agravo, certo? e curiosamente (ou talvez não…) o mesmíssimo Sunderland que venceu o grupo A, onde figurava o outro representante português, certo? pooooois… ok!… contem-me estórias…

.

© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

para a História, para o nosso historial e para o palmarés do Clube, figura o segundo título internacional dos (ainda) campeões em título da nossa comezinha Segunda Liga. e as palmas dos espectadores britânicos à nossa portentosa exibição.
e obviamente, e como não poderia deixar de ser nestas alturas, essa confrangedora (por que basto «gloriosa») azia e que se documenta, não só na imagem acima – então a capa do lixo tóxico do grupo cofina é um “espanto”: «a Europa é nossa» certamente que sim, sobretudo em tons azuis-e-brancos! – mas igualmente nas duas imagens abaixo, a propósito de uma precocemente propalada conquista da (igualmente prestigiante) UEFA Youth League, perante um «frágil» Cazino Salzburg, o qual nem precisou de ingerir muitos ‘red bulls’ para relembrar, a quem de direito, a «gloriosa» profecia de Béla Guttmann:
.

© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

..

© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

.
disse!
.

dessa “gloriosa” idiossincrasia.

futuro© fotosdacurva | zerozero | 92º minuto
.

duas breves notas introdutórias:

1)
como o tenho vindo a afirmar e (bem) mais vezes do que gostaria, infelizmente “não é quando se quer, é quando se pode”…
motivos de índole diversa, mormente profissionais, têm obstado e de que maneira!, a este acto de comunicar contigo com mais regularidade. por este motivo e pelos (eventuais) transtornos que te possa ter causado, mais uma vez reitero os meus sinceros pedidos de desculpas.
aquelas desculpas lamentavelmente estendem-se também a esse facto concreto e verificável, e que é o destas interrupções persistirem num tempo que previra curto, mas que se têm estendido para lá do razoável – olha, assim a modos que tal e qual esse hiato que tem me(r)diado a amostragem do quinto amarelo ao pizza… ao piç… ao estrábico lampião.

2)
assim sendo e porque há vários assuntos que pretendo abordar (apesar do meu “atraso”), e como já vem sendo hábito, e como não poderia deixar de o ser, esta prosa será uma espécie de novo testament… de um texto extensiva e sensivelmente looongo, com numerosas hiperligações e bastas imagens, que não só para memória futura mas também.
e, claro está!, que a minha sugestão, para estes momentos, é sempre a mesma, e como já deve ser do conhecimento geral.
.

futuro© fpf | 92º minuto
.

caríssim@,

a imagem acima é a reprodução fiel do comunicado com o mapa dos castigos aplicados ao FC Porto, em 18 de Abril último, pelo Conselho de Disciplina da FPF (aqui) – em rigor, da Disciplina que o sr. meirim quer impor ao nosso comezinho futebolzinho tuga.
ob
viamente que, daqueles castigos vários, destaquei o que foi aplicado a Yacine Brahimi, bem como da “douta” justificação para a pena aplicada ao jogador argelino.
dessa “justificação” ressalta essa parte em que se afirma peremptoriamente que 
«tendo encostado a sua face» à do apitador antunes – a desempenhar a função de quarto árbitro no jogo que ocorreu ante os gverreiros lampiões do Minho. mais: decidiu-se uma punição exclusivamente no testemunho (mentiroso) daquele, não tendo sido admitido qualquer contraditório, como veio a revelar o Comunicado de 28 de Abril último, que laconicamente considerou o recurso hierárquico daquelas decisões «impróprio». mais ainda: tal é totalmente contrário num Estado de Direito e está à revelia da lei fundamental da tugalândia, a Constituição da República Portuguesa – a qual, no seu art. 32º (“garantias de processo criminal”), consagra os princípios do Recurso e do direito ao Contraditório.
ainda só mais uma achega (mesmo que “requentada”): à data e hora destas linhas (#notmadeinporta18forsure), estas são as imagens publicamente conhecidas do incidente de que Brahimi é vítima e não réu (as quais disponibilizo em gif aqui e em mp4 aqui, e das quais possuo múltiplas cópias, pelo que censurá-las é pura perda de tempo para todas as partes envolvidas):
.

futuro© google | 92º minuto
.

só me questiono do que, neste entretanto, todos os encartilhados (leonor pinhão incluído), a mando de um «polvo» que tem como glorioso desígnio nacional esse tetra da treta, já não teriam dito, escrito, aventado se este tipo de “castigo” tivesse sido aplicado a um jogador afecto ao 5lb?… assim de repente, recordo-me do muito que se reivindicou aquando da expulsão do Ederson… mas… aaaah! espera! ao contrário do que vai acontecendo por aqui, no Norte, por Carnide há muito que reina (e prolifera. e prospera.) a impunidade…
e basta atentar nas capas de «ambos os três» pasquins desportivos da tugalândia, a seguir ao dia em que se conheceu o castigo aplicado ao jogador internacional argelino, para se perceber o quão discriminatórios são os sabujos e os pés-de-microfone que neles labutam, e o quão discriminados nós somos comparativamente para com o 5lb:
.

futuro© google | 92º minuto
.

#contratudocontratodosecontraostolos certo? certo!
.

futuro© revista dragões | 92º minuto
.

* sobre a revista ‘Dragões’:

talvez ainda não seja do conhecimento geral, mas o FC Porto disponibiliza gratuitamente e de forma digital, as edições da revista do Clube.
para tal, basta aceder aqui e preencher um formulário muito simples, com dados que não lesam a identidade de ninguém – como sejam o nome e um email válidos. depois de feito esse passo fundamental, temos acesso a todas as edições da revista (repito), em formato digital, e com o ‘plus‘ de que se pode fazer o ‘download’ das mesmas.
quem tiver esse interesse, pode ler aqui a última edição da revista (#366), cujo meu destaque é o da imagem acima (aqui a versão “compacta”).

.
disse!
.

dos vendilhões do templo.

futuro© Bruno Sousa
.

três breves notas introdutórias:

1)
infelizmente “não é quando se quer, é quando se pode…”, pelo que motivos de ordem diversa, sobretudo profissionais, impediram-me de comunicar contigo mais cedo.
assim sendo e porque há vários assuntos que pretendo abordar (apesar do meu “atraso”), e como já vem sendo hábito, e como não poderia deixar de o ser, esta prosa será uma espécie de novo testament… de um texto extensiva e sensivelmente looongo, com numerosas hiperligações e bastas imagens, que não só para memória futura mas também.
e, claro está!, que a minha sugestão, para estes momentos, é sempre a mesma, e como já deve ser do conhecimento geral.

2)
não irei aprofundar a partida do passado Sábado, onde fiz questão de marcar presença e tive esse grato privilégio e essa enorme honra, de o poder ter visto na companhia do Afonso (agora um jovem de 17 sólidos anos) e do ‘shôr’ Silva (esse mesmo!). foram bons momentos, que espero que se repitam em breve!
sobre aquela, partilho do que entretanto já foi (muito bem) analisado e comentado aqui, aqui, aquiaqui, aquiaqui e também aqui, mas sobretudo aqui (de uma forma hilariante!).
sobre as temáticas que se seguem, a minha visão particular também foi consubstanciada no que já se argumentou aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aquiaqui e aqui, cujas leituras recomendo vivamente, porque delas subscrevo. na íntegra – qual “cartilha da bluegosfera”.

3)
para quem visita este espaço apenas e só com esse intuito de “abafar” o que por aqui se divulga, seja em formato mp4, seja em gif e/ou jpeg, sobretudo se for o carnidense a agremiação visada:

coisinhos,
ide “abafar a palhinha” de quem vos fez as orelhas, sim?
podeis fazer todas as denúncias gloriosamente anónimas que vos der na real mona (na lisa, ou na outra, ‘i don’t care‘): par
a vossa azia, possuo os ficheiros originais do que denuncio neste espaço público de discussão, em vários suportes, em diversas contas e em múltiplos canais. os serviços da Google são só um deles e não são o principal.
.

futuro© google | 92º minuto
.

caríssim@,

obviamente que o tema da cartilha do estado lampiânico (aqui e aqui) foi o que dominou o quotidiano azul-e-branco desde a passada Quinta-feira, não tendo ficado espantado pela visibilidade da últimaposta” do mês de Março – a mais lida dos últimos dois meses, pelo que nela se difunde à saciedade.
já se sabia que havia uma espécie de concertação: era por demais evidente a “afinação” nos discursos dos interlocutores, e o reporte constante de almoçaradas e/ou jantaradas (aqui, aqui e aqui), ao mesmo tempo dos ridículos desmentidos por parte da “estrutura; agora que “a bomba” explodiu, é para mim um gozo assistir a autênticos números de «glorioso» contorcionismo, desdizendo-se o que anteriormente era tido como uma verdade indesmentível e se negava a pés juntos, tal e qual uma entrada do ilusão (já lá vamos).

e obviamente que estou muito curioso pelas cenas dos próximos capítulos, a divulgar no “Universo Porto – da bancada” desta noite – programa onde espero que se denuncie a «gloriosa» filha-da-putice que a imagem abaixo retrata:
.

futuro© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

e que filha-da-putice é essa? tão-somente o facto de, nos pasquins manhosamente elaborados na Capital do Império, se (in)tentar conotar o incidente no último Fátima vs. Torreense com o FC Porto, colocando, em chamada de capa e de uma forma estratégica, tal notícia no parco espaço destinado ao quotidiano azul-e-branco.

também espero que se analise o que se pode ouver aqui, a propósito do Clássico no verdadeiro antro* do carnidense: uma cambada de energúmenos a perturbar o trabalho dos pés-de-microfone, com a complacência dos ‘stewards’ e sem que, à data destas linhas (#notmadeinporta18), o Sindicato daqueles se tivesse insurgido pelo facto e ao contrário de um Passado bem recente
curiosamente (ou talvez não) tratou-se de um facto lamentável que os me(r)dia e o jornalixo tugas não difundiram profusamente à saciedade, antes pelo contrário. ou seja: “aquilo” aconteceu; mas como é comprometedor para os visados, convém abafar porque, se não passou nas têbês e/ou nos pasquins, é porque nunca viu a luz do dia (salvo seja!).

* sim!, a-n-t-r-o. é que eu não tenho memória de passarinho e recordo-me muito bem do que um radialista afecto ao 5lb e por quem tinha em (muito) boa conta, até então, escreveu, em Maio de 2012, sobre este incidente aqui.
.
.

futuro© FCPorto para sempre | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

por “falar” em «gloriosos» impedimentos de divulgação de factos susceptíveis de incomodar quem se encontra afecto ao 5lb – o verdadeiro clube do Regime (e seja ele qual for, porque é indistinto de qualquer conotação política, porquanto que é transversal a tudo quanto gravite nos corredores do P(h)oder centralista da tugalândia) – do passado final-de-semana ressaltam dois factos insofismáveis (por que indesmentíveis):
.
(i) apesar da vitória, o FC Porto foi sonegado em mais duas grandes penalidades flagrantes, uma delas logo aos 20′ da partida e que, se viesse a ser assinalada e posteriormente concretizada, mudaria toda a estória do jogo em causa.
(já vamos em quantos penaltys por assinalar?… vinte? trinta? trinta e um?… e só numa época, certo?… estivesse “isto” a acontecer mais para os lados da Segunda Circular, e não haveria paciência para as costumeiras (por que «gloriosas» e/ou «calimeras») «queixinhas»…)

e para quem considere que não houve qualquer motivo para se assinalar grande penalidade e/ou ache que o pasquim do ‘quim oliveirinha é todo ele um mar azul (!!!), eis a análise do lance em causa pelo insuspeito do roubarte gomes, no pravda do último Domingo (aqui):
.

futuro© pravda | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

(ii) o 5lb foi «gloriosamente» beneficiado em Moreira de Cónegos. mais uma vez. e só esta época. não está a jogar um carvalho da Silva, mas há sempre um “alguém” que lhe ampara a queda, num «glorioso» afã sem precedentes. e tudo porque convém impedi-la a todo o custo, não vá esse desígnio nacional – o do tetra da treta – ficar em águas de bacalhau.
e, ao contrário dos costumeiros papagaios que costumam debitar a cartilha, e da própria “opinião” de ribeiro cristóvão (aqui), eu acho que o ilusão deveria ter sido expulso aos 30′, assim como o grego do samurris (© bLuE bOy) no final da partida. é que as imagens, tal como os vídeos (aqui e aqui e aqui) não oferecem quaisquer dúvidas:
.

futuro© google | 92º minuto
.
futuro© google | 92º minuto
.

ai se isto” tivesse ocorrido com um (ou mais do que um…) jogador afecto ao FC Porto!… ui! nem é bom considerar… certamente que não haveria prontas entrevistas a tentar ilibar tais acções – como esta aqui, ao abel silva, pelo lixo tóxico do grupo cofina, no dia imediatamente a seguir ao rebentamento do escândalo do processo “Jogo Duplo”

.
disse!
.

resquícios.

futuro© fotos da curva | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

nota introdutória:

só hoje, Quarta-feira, (quase) 84h depois, é que “a telha” (vulgo neura, e que, sim!, pode-se confundir com azia…) está a dar indícios de desaparecer. mas ainda não foi à sua vidinha, não!, que o mau humor rezingão e irascível, esse está para durar – pelo menos até ao início do próximo encontro, já este Sábado, frente ao Belém, onde se espera que sejam estes a comer “pastéis”, ouvistes ó Nuno? nem que tenha que ser por obra e graça do Espírito Santo, ouvistes ó Nuno? bem!… adiante.

assim sendo e porque já estou basto atrasado (© ‘shôr’ Silva), esta “posta de pescada”® vai ser um pouco para o compridota. é que há alguns aspectos, sobre o Clássico, que também quero esmiuçar e dar o meu lamiré.
ou seja e como não poderia deixar de o ser, esta prosa honrará com os pergaminhos e com aquela que é a imagem de marca deste espaço singular, na bluegosfera: os testament… os textos extensiva e sensivelmente looongos, as numerosas hiperligações e as diversas imagens, que não só para memória futura mas também.
e, claro está!, que a minha sugestão, para estes momentos, é sempre a mesma, e como já deve ser do conhecimento geral…
.

caríssim@,

sobre a partida em Carnide, subscrevo o que, neste entretanto, foi sendo trazido à colação (e muito bem aventado) aqui, aquiaqui, aqui, aquiaqui, aqui, e também aqui, na bluegosfera.
acima de tudo, recordo esse facto insofismável: depois do empate que se trouxe de Carnide, já não dependemos exclusivamente de nós para nos sagrarmos campeões. ou seja: teremos que esperar que sejam Outros a fazer o trabalho onde, mais uma vez, nos revelámos incompetentes, e que passava pelo assalto efectivo ao primeiro lugar do campeonato.
e entenda-se também que, para sermos muito felizes, em Maio, (i) teremos obrigatoriamente que vencer as sete finais que se avizinham (com deslocações complicadas a Braga, Chaves e Madeira) e que (ii) não poderemos “depositar as fichas todas” no ‘derby‘ da Segunda Circular (o qual, entrementes e por antecipação de duas semanas, já está a ser arduamente disputado, sobretudo fora das quatro linhas).

acima de tudo, o que resta do empate ante o carnidense é que este revelou-se uma espécie de “mal menor” – e daí o meu tremendo desconsolo no final da partida, pois que fiquei com a estranha sensação de que deveríamos e poderíamos, ter feito (bem) mais e (muito) melhor, mesmo com (e contra) o “xistrema” (já lá vamos). mais do que teorizações sobre qual o onze titular e/ou que substituições efectuar, considero que faltou um pouco mais à Equipa, mormente na segunda parte, para se dar a “estocada final” no rival; acho que faltou dar seguimento ao lance do Soares, que os colocou em sentido e que os fez abanar, só que momentaneamente – e quando o que se pedia e toda a massa adepta “exigia”, era que ocasiões de golo como aquela tivessem continuidade no Tempo e não se esvaíssem nos restantes 30 minutos do encontro, e mesmo com (e contra) o “xistrema” (já lá vamos).
mas, como tal não veio a acontecer, e por erros também próprios da Equipa, vamos ter que aguardar pelo que os outros farão nos seus «gloriosos» embates, rumo a esse desígnio já supra-nacional, e que é a treta de um tetra ardentemente desejado por tod@s os quadrantes, inclusive o Político (e já lá vamos, também).
.

futuro© google | 92º minuto
.

sincera e honestamente nem sei como abordar a próxima temática depois das declarações do espírito santinho do Nuno e do presidente Jorge Nuno… o primeiro disse peremptoriamente «é penalty!»; o segundo, à revelia do então Pinto da Costa, afirmou que «foi um grande jogo de futebol, entre duas grandes equipas, com um bom árbitro»… acontece que, na minha perspectiva, para sermos sérios, rigorosos e honestos quanto às incidências da partida, não há como fugir ao #xistrema. e este também esteve presente (e à solta) no antro onde os i-le-gais, mais uma vez, marcaram presença quando não o deveriam, porque… lá está!, não estão conformes à legislação vigente.
para lá do que se afirma aqui e, neste entretanto, também aqui, e do que ontem se denunciou aqui, no programa “Universo Porto – da bancada“, houve uma gritante dualidade de critérios de arbitragem, mormente na segunda parte, sobretudo depois de termos conseguido o empate na partida.
como se comprova aqui e aqui e também aqui, o 5lb foi (literalmente) empurrado, pelo apitador de serviço, na procura de um segundo golo que felizmente não veio a acontecer, fruto de mais uma enorme exibição da mesmíssima Equipa que, ali em cima, fui crítico, e da qual faz parte Iker Casillas. e não há aqui qualquer incoerência: é verdade que e como é apanágio do grupo de trabalho à disposição de Nuno Espírito Santo, ante o 5lb houve mais uma demonstração de Entrega e de Querer, assim como também é verdade que essa abnegação não foi suficiente para se vencer o jogo – uma partida onde, para mim, era fundamental conquistar os três pontos…
.

futuro© google | 92º minuto
.

a par da agressão a Alex Telles e do fora-de-jogo (escandaloso) que foi (muito mal) assinalado ao Jota, o lance que a imagem gif acima retrata é capital para o desenlace da partida, por que (muito) “bem cavado” – sendo que o mesmo é perpetuado em vídeo aqui e em imagens gif aqui e aqui, para quem quiser.
deixo-a para memória futura, sobretudo porque, tal como Bernardino Barros, também eu estou cansado de ouvir, há (pelo menos) três semanas ininterruptas, os avençados do clube do regime bramirem com a «gloriosa» costumeira cartilha, da autoria de carlos janela, de que o André Silva e o Soares e o Jota e o Brahimi e o Corona e o (nome de um atleta do FC Porto) e o (outro nome de um atleta do FC Porto), são “piscineiros”… essas torpes afirmações, vindas de quem vêm, principalmente de aventesmas afectas à agremiação onde este aqui deu muitas provas e até “fez escola” (de que o jon-ass é só mais um), só poderão ser encarados como elogios aos visados por aquelas. de facto, nunca faltaram, nem faltarão especialistas na arte do mergulho pelos lados de Carnide. ah!, e este lance aqui ficará, para Sempre, na memória do Ridículo em que aquelas “piscinas” se tornaram por aquelas bandas, sempre com as complacência, benevolência e cumplicidade, dos apitadores ao serviço do 5lb. sempre!
.

futuro© ojogo | FCPorto para sempre
(clicar na imagem para ampliar)
.

um facto sobre a imagem acima, com a análise aos lances mais “problemáticos” da partida: curiosamente não vislumbro nenhuma referência em relação a um lance sobre o Corona (aqui), aos 58’…
certamente que o “argumento” para tal «glorioso» esquecimento seja o mesmo que a estação de televisão de Queluz (não!, obrigado. não fumo.) utilizou nos seus programas de Domingo e de Segunda-feira, à noite, para não abordarem o tal fora-de-jogo mal assinalado ao Jota: não se podem analisar todos os lances (principalmente e sobretudo aqueles em que o 5lb foi «gloriosamente» beneficiado pelos do costume)…
.

futuro© google | 92º minuto
.

da ‘porca vendetta‘ perpetrada pelo jon-ass, ficam o vídeo (aqui) e a imagem gif (aqui) para memória futura do seu «glorioso» Absurdo.
acima de tudo (principalmente do perpetrador em causa) e sobretudo, lamento muito que tenha sido o spórtém a tomar a iniciativa (mais uma vez…) por algo que, antes de tudo, competiria ao FC Porto e ao seu Departamento Jurídico exigir junto de quem de Direito. desconheço se este silêncio institucional terá algo de estratégico, mas não quero acreditar que se fechou a volta de 360º e que se regressou a um Passado de má memória no plano Comunicacional do Clube.
.

futuro© google | 92º minuto
.

esta é, para mim, A imagem do Clássico e que, num Todo, resume a resposta a toda uma época de anti-jogo, para quem nos acusa de #joguemmazeabola e junto dos que, na primeira volta, o fizeram logo desde o primeiro minuto – mas que emmentes já se esqueceram de tal.
fica a dita eternizada em vídeo (aqui) e em gif (aqui).
.

futuro© fotosdacurva
.

a propósito dos incidentes que aconteceram antes, durante e após o jogo, nada mais acrescento ao que já foi comentado (muito a propósito) pelo “lápis” aqui.
apenas refiro que, mesmo sendo um Agente da Autoridade e no cumprimento do Dever, o indivíduo que pontapeou, na cabeça, um cidadão que se encontrava deitado, na via pública, depois de ter sido vítima de um outro pontapé, mas este desferido nas suas costas, não passa de um c-o-b-a-r-d-e de merda. e de um autêntico filho da puta.
.

futuro© google | 92º minuto
.

por último, sim!, todos têm o direito a assistir a uma partida de futebol, mesmo que por convite, e mesmo sendo altas figuras do Estado. mas, não!, “isto” não acontece no nosso teatro de sonhos azuis-e-brancos com a mesma regularidade que se verifica por Carnide.
e duvido que aquelas mesmas individualidades, qual capital triunvirato, o fizessem sabendo, de antemão, que o dirigente máximo do Clube era um caloteiro de primeira – a não ser que fossem para penhorar uma nova retrete

.
disse!
.

mente, Pinóquio, mente!

futuro© google
.

duas declarações de interesse:

1)
ao contrário de muit@s, confesso que ligo tanto às questões em torno da selecção como a marisco: a este último sou alérgico, desde nascença; àquela, sou completamente indiferente, sobretudo desde que um brasuca, armado ao cagalhão, aterrou na Capital do Império e resolveu entrar em confronto aberto com a Instituição e jogadores (sobretudo os mais emblemáticos!) do Futebol Clube do Porto.
e é principalmente esta a razão principal por que, desde essa altura, para mim, aquela é somente a #equipaquedecididamentenaoedetod@snos (sendo que actualmente é mais uma coutada do empresário jorge mendes…), porquanto que #aminhaseleccaovestedeazulebranco e só de azul-e-branco.
assim sendo, é-me completamente indistinto se Portugal vence, empata ou perde, e seja em que escalão e/ou modalidade for; não lhes desejo nenhum mal, mas também não fico sem horas de sono com os resultados negativos.

2)
como não me canso de o repetir, considero bastante meritório o trabalho das claques portistas. de facto, não fossem os cânticos dos SuperDragões e do Colectivo95, e certamente que 
já teríamos estado em funerais bem mais animados… mesmo assim, este meu reconhecimento público não invalida que seja crítico com algumas das suas actuações “e quando assim deve ser” – a última das quais, a propósito da nossa visita à Amoreira.
e sou ainda (bem) mais crítico com a dualidade de critérios reinante, não só na nossa Sociedade, como nas forças de (in)Seguraça Públicas e sobretudo nos me(r)dia e jornalixo tugas, a propósito da questão da ilegalidade dos “grupos organizados de ‘adeptos‘” afectos ao 5lb. efectiva e comprovadamente, os i-le-gais do Carnide encontram-se à margem da Lei, (sobre)vivem em torno da Lei, sentem-se acima da Lei e comportam-se como autênticos foras-da-Lei, sempre com a «gloriosa» complacência daquelas.
.

caríssim@,

feitas as advertências e a propósito da polémica em torno da questão da partida da selecção de jorge mendes, ante a sua congénere húngara, convém salientar que:

» como se pode verificar neste vídeo aqui e ao contrário do que os lixos me(r)diáticos do grupo cofina afirmam, a claque “ultras Portugal” respondeu a provocações vindas do sítio habitual, pelos i-le-gais do costume.
sim!, a claque agiu mal e não se conteve, respondendo com os cânticos habituais, confirmando o adágio popular que reza que “quem não se sente não é filho de boa gente”. e como os i-le-gais não são, de facto, gente boa, nem foram para o viaduto saudar quem ia torcer pela selecção do jorge mendes…;

» é certo e sabido que o actual Presidente da Mesa da Assembleia-geral do spórtém, jaime marta soares, não pugna por uma postura cândida, antes pelo contrário. mesmo assim, não deixa de ser a primeira figura institucional da agremiação do Lumiar, acima da do ‘parsidente’ burro do Carvalho.
como se pode verificar nestoutro vídeo aqui, a recepção de que foi alvo, pelos useiros e vezeiros vândalos do costume, deveria ser motivo, mais do que suficiente, para que o 5lb já tivesse feito um pedido de desculpas públicas. debalde…
por muito menos, foi feito um «glorioso» alarido, do carvalho da Silva, quando o gosma da selva (vulgo, o ‘chouriço’) supostamente levou para contar, numa ida à Foz do Douro, e conforme capa ali em baixo (já lá vamos);
.

futuro© ojogo | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

» em tempos, ficou tristemente célebre a inusitada (por que inaudita) afirmação de Mourinho comparando a ImBicta com Palermo, cidade da Região da Sicília. a mesma foi utilizada a rodos, mormente pelos lampiões, inclusive por alarves taxistas que tecem grosseiras comparações que vão muito para lá do sexista.
depois dos incidentes do passado Sábado, de todos os comunicados que se teceram, das pressões que se criaram, dos recortes de notícias que a imagem acima alude, e de um célebre Passado recente, não há mesmo dúvidas: o Carnide, como não sabe perder, também não sabe ganhar – com os seus adeptos a terem «gloriosas» condutas próprias de trogloditas. e, por inerência, como não sabe Vencer desportivamente, confirma-se que o 5lb, inclusive ao mais alto níBel, também não sabe receber condignamente os seus rivais – seja nas competições nacionais, seja em jogos da Selecção;
.

futuro© ojogo | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

» não poderia estar mais de acordo com o editorial de Jorge Maia, hoje, no pasquim do ‘quim oliveirinha, sobretudo na questão dos «pretextos desta semana para que a habitual corja de incendiários profissionais possa começar já a regar o clássico de gasolina»: comprovadamente e depois de ter assistido ao “campeonato nacional” de ontem, na tvi24, e depois de ter ouvido a cassete debitada pelo domingos amaral [escarro], «às vezes, o futebol português é tão previsível que já enjoa por antecipação»… e hoje certamente que haverá novo alambique de alarvidades, pela aventesma costumeira, no “prolongamento”…
.

futuro© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

por último e sobre enjoos »por antecipação» (matinais, vespertinos ou outros):

como afirmei ali em cima e acerca de tudo “isto“, de toda esta «gloriosa» fantochada, por muito menos foi feito um «glorioso» alarido quando o ‘chouriço’ supostamente levou no focinho, em 2011. e, tal como agora, o pravda da Travessa da Queimada prontificou-se a ser a caixa de ressonância primeira da “propaganda goëbbeliana” do 5lb…
mais do que o chinfrim do carnidense e a que o pravda faz alusão, da capa da esquerda “gosto” particularmente da referência (nada ingénua) a uns 6-0, em 1972, a contar para uma eliminatória da Taça de Portugal, em que o goleador-mor do 5lb, nessa altura, ficou em branco. vou ficar à espera (sentado…) que o pasquim também faça referência em capa àquele outro jogo, já em plena Democracia, a 18 de Setembro de 1992, desta feita para a Supertaça Cândido Oliveira. é que, nessa partida, o Jardel também não marcou…

.
disse!
.

Porto final.

futuro© fotos da curva
.

caríssim@,

acima de tudo, o jogo de ontem, em Turim, teve um resultado final e foi o corolário de uma exibição que não envergonham ninguém, sobretudo (e muito principalmente) de quem é portista. e não foi exclusivamente por nossa causa que, em 2018/2019, o futebol tuga só terá um representante com entrada directa na ‘Champions; nessa demanda «gloriosa» pela procura de “bodes respiratórios“, principie-se pela mentalidade de alguns (muitos?) “catedráticos” que pululam nosso comezinho futebolzinho, a começar pelo supra-sumo da agremiação do Lumiar.

numa curtíssima análise, plena de clichês, frases-feitas, chavões futeboleiros e lugares-comuns: caímos de pé, ante um opositor que gastou, num só reforço, 80% do orçamento do FC Porto para esta época, e que, pelo investimento concretizado, assume-se como um fortíssimo candidato a vencer a ‘Champions‘. e tal não se trata de uma qualquer desculpa, pela derrota final de 0-3 (no cômputo das duas mãos) e/ou de um qualquer assomo de uma vitória moral; antes da constatação do que aconteceu dentro das quatro linhas, numa partida de 180’.

por outro lado e numa vertente (bem) mais positiva, ainda bem que o Clube está muito grato à sua massa adepta. foram indubitavelmente uns adeptos do outro mundo, tod@s aqueles que, ontem, abafaram todo um estádio ‘gobbi‘.
e de nada serve a alguns pasquineiros abordar tal questão pelo facto de estar a decorrer um «protesto»; o agradecimento de toda a Equipa, no final, e o reconhecimento dos ‘tiffosi’ da ‘rubentus’ é quanto me basta, depois do show nas bancadas – e para lá do gesto do Fernando Madureira e da calorosa recepção no Aeroporto Francisco Sá Carneiro.
de facto, ele há coisas que nenhum «lapião» conseguirá compreender. nunca!
.

futuro© getty images | fotos da curva | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

a imagem acima refere-se a uma entrada “a varrer”, protagonizada por um jogador ‘rubentino’ e que quase deixava o Layún feito num… quadrado.
aquela aconteceu ao minuto 11′ e passou «gloriosamente» “despercebida” em tudo o que foi resumo à partida, excepto neste aqui, de uma estação de televisão… russa.
talvez a dureza (rudeza?) daquela entrada não esteja bem explícita, pelo que a imagem que se segue “falará” (bem) melhor do que eu:

.

futuro© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

em suma:
fossem aplicados os critérios de arbitragem (basto rigorosos) da primeira mão e provavelmente haveria mais estórias para contar sobre a partida de ontem.
e este é um facto que nenhum pasquim do jornalixo tuga, muito menos canal de televisão dos me(r)dia cá do burgo, resolveu apontar, mas que aconteceu, de facto. e que, mais uma vez e porque tal é conveniente para se passar a mensagem* foi «gloriosamente» sonegado.

* a mensagem de que fomos eliminados, curiosamente tal e qual como o 5lb (mas com menos golos sofridos e com menos humilhação, e mesmo que se alegue que a juBe esteve «em modo de treino» (!!!) contra nós e tal e coiso), e olvidando-se esse facto de que, em 180′, jogámos 115′ em inferioridade numérica – curiosamente (ou talvez não…), o argumento utilizado pelos mesmos sabujos, aquando da nossa eliminatória ante a AS Roma, para justificar a «facilidade» da nossa passagem à fase de grupos.
.

futuro© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

já a imagem acima serve só de memória futura, expondo-se o Antes e o Depois de Dortmund: isto é, da jactante bazófia seguiu-se uma inversão da Realidade, apontando-se O caminho que afinal sempre esteve presente, mesmo depois da ca-ba-za-da que sofreram.
a capa da direita é só a primeira desse contraste e a primeira que mereceu honras de destaque – curiosa e coincidentemente a aludir à nossa eliminação. e como não acredito em coincidências…
.

futuro© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

por último, a imagem acima é só um exemplo do porquê desta notícia aqui ser um «glorioso» logro.
fosse o pizza… o piç… o estrábico punido convenientemente e quando efectiva e comprovadamente prevaricou para amarelo (pelo menos), e o coxo do sonso não afirmaria «não estar preocupado» com esse assunto
como o pizz… o piç… como o estrábico não o foi nem é!, continua a reinar com a gente e a grassar a impunidade, para alegria geral da maralha do Estado Lampiânico e para que o desígnio nacional se cumpra.

.
disse!
.