do dia do (fervor do) Clube.

© dia do clube | fotos da curva
.

.

[no passado Sábado] decorreu a sexta edição do “Dia do Clube“. eu nem era para ir, mas depois vieram com o choradinho habitual: “ah e tal, se tu não fores, nem vale a pena a malta organizar aquilo, desiste-se, pronto, ficapróano, cumócampeonato”…
já se sabe que sou um coração de manteiga e lá fiz o favor de comparecer. e não é que, maijuma vez, valeu muito a pena?

sobre o que por lá se passou, saberão o que vierem a saber mas, por aqui, não será. apareçam na próxima edição e já não precisam de se fazerem passar por alcoviteiras.

o importante mesmo é dar os parabéns! […]
assim, trato mesmo eu disso: muitos parabéns! à Organização, por tudo ter sido impecável, mas sobretudo pelo trajecto (ascendente) – aquele que eu acompanhei, desde uma salinha na Biblioteca de Espinho ao Estádio do Dragão [passando pelo Auditório José Maria Pedroto, aquando da primeira edição]. caraças, parecem o [Fernando Gomes]!

ainda mais: parabéns ao FCP! principalmente por ter sabido devolver à casa a que pertence este encontro de Portistas e por ter, enfim, acarinhado e endossado, da forma correta, o evento; pelo espaço e pela presença nos painéis; mas, acima de tudo, pelo reconhecimento do esforço dos dedicados organizadores, culminando na presença inesperada, mas bem-vinda, do Presidente.
[portanto e sem ironias] parabéns FC Porto! demorou, mas foi! este é o caminho, sem receio dos nossos, sem trelas e mordaças e cartilhas. e, lá está: sempre que os Portistas se sentem bem-vindos em sua casa, retribuem com a gratidão e com o carinho que nos merece quem dá a vida pelo Clube. […]

perfeito!

in a tasca do Silva | Maio de 2017.
.

caríssim@,

faço minhas as palavras do Silva: não será aqui que se irá saber o muito que foi (bem) debatido sobre a actualidade do quotidiano azul-e-branco. também eu lanço o convite (desafio?) a que quem quiser e puder, na próxima edição marque presença e o testemunhe com os seus próprios olhos. estou certo de que não dará por mal empregue o seu precioso tempo.

mesmo assim, não resisto a partilhar contigo este momento aqui (em vídeo), da autoria do Paulo Bizarro – um dos organizadores de um evento que começou tímido, em Julho de 2012 e que actualmente é a demonstração de que o Portismo entre os adeptos está bem vivo e recomenda-se.
aliás, aquele vídeo é só um (bom) exemplo da veracidade do que afirmo e só por manifesta maledicência se pode inferir que nele se procede a um qualquer tipo de «lavagem gratuita» – seja isso lá o que for. adiante.

o áudio, que também se disponibiliza aqui (em formato mp3) é da da autoria do guitarrista clássico João Dias. e foi assim que se procedeu à abertura dos trabalho da parte da tarde: com um momento arrepiante e que me emocionou bastante (e que ainda o consegue fazer).

por último, mas não menos importante, quero afirmar que foi mesmo muito bom rever alguns de vós, que também resolveram despender algum do seu precioso tempo num conBíBio salutar e que já deixou saudades.
a ver se nos reencontramos em 2018, se Deus quiser! 😉

.
disse!
.

Anúncios

guerras do alecrim e da manjerona…

© google | Tomo III
.

.

« 2. Soube, pela crónica do Pedro Marques Lopes, meu amigo e correligionário, que o “Dragões Diário” me tinha desferido um ataque infame, em resposta à minha discordância expressa sobre a contratação de NES. Não a li e nem sequer me dou ao trabalho de a ir ler. Tenho coisas muitos mais interessantes e urgentes para fazer na vida, do que ler os textos pestilentos que alguns cobardes anónimos publicam na net e, neste caso, a mando de outrem.
Uma das decisões mais acertadas e saudáveis da minha vida foi a de nunca pertencer ou frequentar redes sociais, blogues e coisas afins: poupo tempo, poupo paz de espírito e poupo-me ao nojo de conhecer, mais de perto, o rosto da insídia, da calúnia, da inveja, da absoluta miséria moral dessa gentinha que substitui o debate de opinião pela facilidade do insulto e da calúnia anónima. No mundo em que fui educado, as pessoas têm a sua opinião, justificam-na e assinam por baixo; o resto é esgoto. E o mínimo que posso fazer é dar-lhes a saber que nem sequer perco tempo a lê-los.
»

Miguel Sousa Tavares, in ‘pravda’ (aqui).
deduz-se que depois de ter ido caçar perdizes (sóbrio).

.

caríssima(o),

as linhas (#notmadeinporta18forsure), ali em cima, são um excerto da mais recente NORTADA, pela pena do “nosso” ‘enfant terríBel’, Miguel Sousa Tavares, sob o título “a hora do Espírito Santo” (aqui). são palavras duras, pejadas de raiva e carregadas de muita indignação, que se compreeendem, e que, apesar de terem um destinatário (muito) concreto – quem assina a ‘e-letter’ do Clube – provocaram-me mal-estar e um certo desconforto emocional.
acima de tudo, recuso-me a ser apelidado de «esgoto» só porque administro um blogue. não me refugio no covarde anonimato (que abomino), sequer numa qualquer alcunha (vulgo ‘nickname’), pois tenho nome próprio e dou a cara por ele, com muita honra e orgulho, assinando todas as declarações que teço. mais: o blogue que administro é um espaço de discussão pública em torno de um Amor comum a muitas(os) de nós, o qual, ao longo das suas três edições, nunca serviu para caluniar e/ou insultar os seus pares “só porque sim”, antes pelo contrário. aqui, desde Sempre e porque assim fui ensinado, preza-se o Respeito e prima-se pelo bom-nome dessa instituição centenária que é o Futebol Clube do Porto. e, tal como o autor da prosa em causa, também nada se pretende receber em troca, a não ser (por vezes) o grato reconhecimento de quem tem a pachorra para me ler – pelo que me recuso a entrar nessas guerrinhas de medidor de portismo, o qual, como se sabe, não é maior (nem menor) do que o teu, tão-somente diferente.

assim sendo, é por “isto” tudo que me senti ofendido com aquelas palavras. e que (ainda) não consegui calar a minha revolta interior. e que, por saber que quem as escreveu, (cobardemente?) recusa-se a receber correio dos seus leitores, mesmo que lhe seja dirigido via CTT, em carta registada com aviso de recepção, redigi este texto para também expressar publicamente o que me vai na alma: que é de uma injustiça tal que o Miguel Sousa Tavares inclua, no que apelida de «gentinha» e de «esgoto» muitos de nós, ‘bloggers’ desse maraBilhoso mundo que é a bluegosfera que, em prol do Clube e ao contrário de muitos opinadores, como o Andersen, que recebem consideráveis avenças, são tudo menos «o rosto da insídia, da calúnia, da inveja, da absoluta miséria moral».
e, para comprovar que assim não o são, fica desde já lançado o repto à figura em causa para, já no próximo dia 11 de Junho, um Sábado, bem pela fresquinha, comparecer no Dia do Clube, o qual terá lugar em Rio Tinto (mais informação aqui). constatará, com os seus próprios olhos, que está muito equivocado e pejado de ideias-feitas e de lugares-comuns, sobre as redes sociais – ou sobre alguns dos “segmentos” destas últimas.
.

por último, num comprimento de onda bem diferente mas que, mesmo assim, não deixa de ser igualmente importante, algo completamente surreal (ou talvez não).
consta que a juíza Anabela Gomes Marques, a propósito daquela acção que o 5lb intentou contra o ‘chiclas’, e que lhe atribuiu o (irrisório? risível? ridículo? anedótico? patético?) valor de 14 milhões de euros de indemnização – «um euro por cada adepto», afirmou-se, na altura – considerou «ineptas» as “provas” apresentadas, pelo 5lb, naquela petição judicial contra jorge jeBus. e afirmo «consta que», porquanto que tem sido uma não-notícia para os me(r)dia tugas, que tudo têm feito para a remeter para uma nota de rodapé. e, por «ineptas» entenda-se, em linguagem leiga, que o Tribunal considerou que «faltam elementos que clarifiquem aquela acção» apresentada contra um seu antigo funcionário. e que, agora, os advogados da agremiação de Carnide «têm 10 dias úteis para reformular a petição judicial inicial». e que, caso a nova argumentação seja aceite pelo Tribunal, então avançar-se-á para julgamento (cuja primeira sessão está já marcada para o dia 5 de Janeiro de 2017).
por outro lado, caso a juíza considere que a «ineptidão da petição se mantém», então ela será declarada nula e o caso nem sequer irá a julgamento, com o 5lb a não poder a voltar a apresentar uma outra acção pelos mesmos factos. esta segunda hipótese é a mais plausível, o que seria uma derrota, em toda a linha, mesmo as #madeinporta18, contra quem andou a propagandear que o Carnide se sentira «lesado» pela mudança de camisola que o jeBus fez – qual corno, no fundo, que é sempre o último a saber das novidades… e, por «corno», entendam-se (também) todos aqueles «14 milhões de adeptos» do 5lb, mesmo os ilegais, que foram incluídos numa acção judicial em seu nome, e com a “agravante” de verem o seu lampionismo ter o valor (simbólico, ou não) de um mísero euro. adiante.
como aquela segunda hipótese – de tudo ser considerado uma grande falácia, vulgo «inépcia» – é a que “mais pernas tem para andar”, já há quem se movimente para fazer pressão alta sobre a juíza do processo em causa (vídeo elucidativo aqui). fossem aquelas palavras proferidas por um vice-presidente do FC Porto, num processo em que o Clube estivesse visado… já teriam caído o Carmo, a Trindade, os Clérigos, a Sé, a Misericórdia, os Congregados, os Grilos, a de S. Francisco, Cedofeita, e outra tanta mais igrejas da ImBicta

.
disse!
.

culpas no cartório

amote© Bruno Sousa
.

caríssima(o),

antes de tudo, peço-te desculpa pelo meu silêncio. ainda estou “de luto“. mais uma vez. ainda me custa digerir “isto” tudo, mormente a última derrota, a qual está tão, mas tão atravessada, que ainda não durmo direito (no dia do jogo, só às 05h da matina de Domingo; esta madrugada, eram 02h e ainda estava acordado, com a minha esposa a chamar-me de «maluquinho da bola» e outros quejandos…). como confidenciava um de vós, esta manhã, estas derrotas sucessivas já não nos deveriam causar assim tanta mossa, porque como que nos «anestesiam», colocando-nos num «estado de dormência». a verdade é que, a mim, incomodam-me. muito. de sobremaneira, ao ponto de ainda não a ter esquecido, 72h depois, influenciando (e como!) o meu estado de espírito (amorfo) e o meu humor (de fugir. até o “gosma da selva” parece mais simpático do que eu)…
“certamente que melhores dia virão”, foi a minha frase de despedida. e é sobre este ponto que quero reflectir contigo, o qual se relaciona com o que o caríssimo Amigo Jorge Vassalo (bem a propósito) escreveu aqui e aqui.

acima de tudo e sem querer “escarafunchar” (muito) numa ferida ainda bem aberta, convém puxar o filme atrás e perceber como é que se chegou ao ponto actual. sinteticamente, para mim, foram estes os momentos principais:

» 06 de maio de 2014: Julen Lopetegui é anunciado como treinador da equipa principal, do nosso clube do coração, para um «projecto de três anos».

» Maio de 2015: mais de trinta anos depois, o 5lb celebra um bicampeonato, sustentado num absurdo #colinho. os me(r)dia tugas são unânimes em dar o FC Porto como o «grande perdedor» baseando a sua tese no «forte investimento da SAD», mas que não seria caso único, a nível nacional, como se veio a comprovar aqui. a SAD azul-e-branca segura Julen Lopetegui, apesar de este ter ganho Ø (zero) títulos.

» 24 de Novembro de 2015: o FC Porto falha um objectivo fulcral, para o Clube, sobretudo a nível de recita$: a (sempre necessária) passagem aos oitavos-de-final da Champions, e “cai” para a Liga Europa.

» 02 de Janeiro de 2016: derrota no clássico ante a agremiação do Lumiar, no “reino dos viscondes falidos de Alvaláxia”® (15ª jornada), perdendo-se a liderança do campeonato, conquistada na jornada anterior. àquela data de Janeiro, tratou-se da 4ª derrota do FC Porto nos últimos 10 jogos e em todas as competições, desde a de 24 Novembro, ante o Dínamo de Kiev, para a Liga dos Campeões, e depois de se ter mantido invicto durante mais de 3 meses. sobe de tom a contestação a Julen Lopetegui, depois do “caldo entornado”, com a massa assoBiativa, aquando daquele momento no jogo ante o Rio Ave.

» 21 de Janeiro de 2016: José Peseiro é apresentado como novo treinador do FC Porto, com um «contrato válido até Junho de 2017».

» 30 de Abril de 2016: (nova) derrota ante o spórtém (32ª jornada). em 19 jogos oficiais, com José Peseiro à frente da equipa, apresentamos os seguintes números: 11 vitórias e 08 derrotas; 29 golos marcados, 23 golos sofridos…
.

estes são os factos de uma época que nos envergonha a todos – sobretudo a Miguel Sousa Tavares, como escreve aqui, na sua mais recente NORTADA, sob o título “a fase da vergonha“… época essa que ainda não findou, e por muito que (secretamente) se deseje que termine o mais rápido possível. também ia escrever “e de forma indolor”, mas tal não é possível e por mais «anestesiado» que esteja(mos)…
é óbvio que a responsabilidade maior, por este estado de coisas, é da Direcção da $AD azul-e-branca e dos elementos que a compõem, com Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa à cabeça. mas, não nos iludamos: nós todos, enquanto adeptos do Clube, também temos uma quota-parte nesta catástrofe, tornando o quotidiano azul-e-branco quase insustentável, num (quase) “estado de sítio”, onde tudo e todos se contestam, e nada serve para nos acalmar o Ego, tal e qual como o escrevi em finais de Janeiro último (aqui).
e, comungando do que defende o Jorge, nos seus dois últimos escritos, também eu sou da opinião que temos mesmo que mudar atitudes e mentalidades que só nos prejudicam, sobretudo no apoio que (não) damos à nossa Equipa do coração e com a honrosa excepção das nossas claques (porquanto que, não fossem elas e sobretudo elas, haveria velórios bem “mais animados” do que um qualquer jogo naquele que deveria ser o nosso teatro de sonhos azuis-e-brancos).
acima de tudo, acho inconcebível que se crie um clima de hostilização tal, para com a nossa equipa (!!!) e em nossa própria casa (!!!), ao ponto absurdamente ridículo de haver treinadores adversários que disso já fazem estratégia (!!!).
acima de tudo, acho inacreditável que se assobie mais rápido um passe transviado, de um jogador da nossa equipa (e por mais chateados com um F bem maiúsculo que possamos estar), do que o constante anti-jogo dos adversários, sempre à cata do famigerado pontinho.
acima de tudo, acho extraordinário que todo um estádio, maioritariamente pejado de portistas indefectíveis, não crie um autêntico clima de “agressividade” para com os verdadeiros artistas do apito, aqueles apitadores que persistem e insistem em nos provocar, em todos os jogos, inclusive (e sobretudo?) nesses, no nosso recinto, por exemplo, trajando (quase) sempre naquela cor berrante.

em suma, é como bem questionam o Jorge e outros ‘bloggers‘, igualmente preocupados com o rumo “monstruoso” que a soberba da nossa “exigência” está a atingir: qual o tipo de incentivo e/ou apoio que pretendemos contribuir para com o nosso Clube e que espécie de adeptos queremos ser?
não nos enganemos: muito do nosso futuro também passa por estas questões, transversais a nomes (hipotéticos, ou não) de treinadores e de jogadores, e independentemente da modalidade em causa – sim!, que os projectos desportivos para as de pavilhão já começam a ser desacreditados…
.

post scriptum I
.

isto” que foi afirmado aqui não é grave? eu acho que é.
e o que têm (ou terão) a dizer as instâncias superiores do nosso comezinho futebolzinho tuga? será que vão agir em conformidade com o que é inusitadamente insinuado ou voltarão a fingir que nada foi dito, varrendo a porcaria para debaixo de um tapete que já não a consegue esconder mais?
é que recordo-me muito bem do que instilou esse «indivíduo», na semana que antecedeu a nossa ida a Guimarães – aqui, a partir da 1:44′:55” – e do escarcéu que promoveu (junto com outros “papagaios” de serviço), qual advogado (do Diabo), a propósito de uma «defesa da honra» do mesmíssimo treinador que agora vilipendeia publicamente, motivando esta reacção do Sérgio Conceição aqui.
.

post scriptum II
.

diaclube© dia do Clube
(clicar na imagem para ampliar)
.

vem aí nova edição dos “Encontros da Bluegosfera“, agora sob novo nome, mas com o mesmo espírito. eu pretendo lá estar! 😉
.

.
disse!
.

(não foi) um Sábado qualquer…

capa© fotos da curva | Tomo III
.

caríssima(o),

feliz coincidência: aconteceu precisamente sete anos após o meu início nestas lides cibernáuticas, no (entretanto precocemente desaparecido) TOMO I  o primeiro volume desta aventura e que, hoje, ainda me deixa muitas saudades e me traz muitas (e boas!) recordações.
acusa-me de saudosista, que eu não me importo e será sempre para o lado que dormirei melhor. quem gere um blogue, com o passar do tempo, apercebe-se da umbilicalidade que persiste e subsiste entre a redacção dos escritos, deste lado, e a sua leitura, pela tua parte. e de como cada uma dessas redacções é, passe o exagero hiperbólico, como um filho. se assim o fizeres, acredito que facilmente compreenderás o meu mais profundo desalento e a dor que senti quando, em Maio de 2011, apercebi-me de que um bando de energúmenos tinha pirateado o servidor onde estava (também) alojado o TOMO I. não restou pedra sobre pedra daquele espaço. e assim se justifica o surgimento do segundo volume: o TOMO II.
nesse entretanto, pude ir conhecendo alguns de vós, portistas indefectíveis e portadores de um portismo que, não só me faz vibrar, como também me serve de exemplo: os Dragões de Ouro deste espaço público de discussão. esse conhecimento também foi adquirido através de salutares conBíBios, amiúde proporcionados pelo Bibó FC Porto, cara@go! e mais recentemente, pelos Encontros da Bluegosgera“®.

portanto e antes de tudo, é da mais elementar justiça que publicamente se parabenizem os responsáveis por aquele tamanho feito, numa obra que, apesar da sua quarta edição, em cada uma delas empresta e cada vez mais, uma assombrosa manifestação de um estado de alma que não se explica, só se sente e com imenso fervor clubista: o portismo.
assim sendo e pela tarefa hercúlea de terem dirigido uma emissão (inclusive on line‘) com imenso profissionalismo, à mistura de alguma carolice, e de uma dedicação apaixonada e desinteressada, a um Amor comum, há que felicitar toda a organização dos IV Encontros da Bluegosfera“; a saber, os caríssimos: bLuE bOy e Mafaldinha (bibó FC Porto, car@go!), Jorge (porta19), José Correia (reflexão portista), Nuno Góis (mística do dragão), Pedro blue‘ (fotos da curva). nunca será demais agradecer-lhes todo o salutar conBíBio que nos proporcionaram, num Sábado quente, em Espinho.

depois, quero manifestar o meu agrado e o meu mais profundo gosto, por ter revisto alguns de vós, desde o Jorge Vassalo (FC Porto universal), ao José Lima (a mística azul-e-branca), ao Z (blueoverlap), ao Fernando Kosta (kosta de alhabaite), ao Paulo Bizarro e Pedro Cardona (os filhos do dragão), ao Hélder Russo (memória portista) e, claro está!, ao Silva (a tasca do Silva).
foi mesmo muito bom! e gratificante! e retemperador!
acima de tudo, foi um Sábado muito bem passado, em companhia de portistas dos quatro costados, a debater temas desse ponto de convergência, desse algo mais que nos une mais do que nos separa, desse Amor comum, que dá pelo nome de Futebol Clube do Porto a outra paixão das nossas vidas.

sem entrar em muitos detalhes sobre a temática debatida, pois que o Silva já o fez e bem, só posso expressar o meu desejo para que haja uma quinta edição. e para que hajam mais participações ao vivo e a cores se bem que cinquenta convivas já é um número que considero ser muito considerável. e que haja novo convite para uma estrela mediática e portista poder lançar as suas bitaitadas, pois que será sempre uma mais-valia este ano coube a Bernardino Barros ser o impulsionador do evento. e que o Clube, à semelhança do que proporcionou somente na sua primeira edição, não se coíba das suas responsabilidades e não se alheie de quem tanto lhe proporciona, muitas vezes sabe-se lá como e em que condições: a sua massa adepta (parte dela, é certo, mas mesmo assim adepta. e indefectível. e dos quatro costados. e portista). fica lançado o repto…

antes de finalizar esta prosa e numa nota mais particular, faço votos sinceros para que este trio de ataque rápido e eficaz se possa encontrar já em Agosto, aquando da apresentação da Equipa principal de futebol aos sócios e massa adepta, e à assoBiativa também com alguma certeza, no final de semana de 08 e 09 desse mês prazenteiro e tão inestimavelmente tuga.
fica então lançado o repto místico, o qual se alarga a quem dele quiser participar por gosto e por Bem. 😀

por último e como já terás depreendido, este espaço encontra-se em #modo’férias’. ainda não é oficial, mas quase, pelo que a regularidade na minha comunicação para contigo só regressará ao activo a partir do próximo mês de… Agosto. 😀

.
disse!
.