ilegais e assassiииos

futuro© google | 92º minuto
.

caríssim@,

a propósito do atropelamento mortal de Marco Ficcini – o adepto italiano, ‘tifoso’ da Fiorentina e simpatizante do Sporting, e que, na madrugada de 15 de Abril, estava no local errado, à hora errada, e que, por isso, foi vítima de uma «gloriosa» besta – a revista ‘sábado’, pertença do grupo cofina [valente escarro], a 04 de Maio último, publicou um interessante artigo sobre as claques em Portugal.
obviamente que os ilegais e assassiииos, afectos à agremiação de Carnide, também por lá são mencionados – ou não tivesse a Morte, no Presente do nosso comezinho futebolzinho, uma só cor, a qual predomina sobre as demais…

assim sendo e para quem tiver esse interesse, aqui tens acesso somente ao artigo em causa, cuja leitura recomendo; já aqui tens a possibilidade de ler a revista completa do grupo cofina (em que quase 50% da dita é tão-somente publicidade).

.
disse!
.

não são tretas!

futuro© pravda
(clicar na imagem para ampliar)

.

caríssim@,

BRASÃO ABENÇOADO do dia (aqui e aqui, em ficheiro jpg, e também aqui e aqui, mas em pdf), presente na edição impressa, desta Sexta-feira (aqui), do pravda da Travessa da Queimada, agora que foi reactivada a “papelaria” (aqui), desde Abril último.
obviamente que estou de acordo com tudo – mas mesmo tudo!, ouBistes, ó Silva? 😀 ah! poijébebé! – o que o cronista teceu, sobretudo na parte em que se se refere ao Herlander como «profissionais do meu Clube […] que hoje estão aqui, amanhã estão noutro lugar; hoje são Porto, amanhã serão outra coisa qualquer». é quase “tão bom” de se ler como esta pérola «acontece que sou sócio do accionista maioritário do empregador do Herlander. nessa qualidade, exijo o imediato despedimento do funcionário; que o treinador vá de arrasto, é só uma muito feliz consequência».

para lá do mais recente escrito de Pedro Marques Lopes, daquela edição também recomendo a leitura das quatro páginas dedicadas ao quotidiano do nosso Amor comum (aqui), mormente aquela (espécie de) “notícia”, assinada por josé carlos sousa, a páginas 14, e que dá conta do «Futuro em aberto…» para José Sá. é muito enternecedor perceber o grau de preocupação do sabujo em causa para com elementos afectos ao nosso plantel, sobretudo do Sá, que recentemente, numa entrevista ao Porto Canal, afirmou: «não poderia estar mais feliz com a decisão [em assinar pelos azuis-e-brancos]. sinto que todos aqui, no FC Porto, gostam de mim – adeptos, colegas e Direcção. sinto-me acarinhado». torna-se óbvio que o sabujo não (ou)viu aquela entrevista, sequer que sabe da existência de um órgão de comunicação oficial do Clube pronto a desmentir todas as bacoradas que o pasquim para o qual labuta publica amiúde…

noutro diapasão mas ainda naquela edição do pravda, aqui ficamos a saber o que está em jogo em Moreira de Cónegos, em Tondela e também no Estoril – para lá do “miminho” em se perceber como certos e determinados órgãos de propaganda (ao serviço) do Estado Lampiânico já não conseguem negar a evidência do «glorioso» ‘flop’ que é o “deus” renato das sandes.
.

© google | 92º minuto
.

o que não é nenhum ‘flop’ é o artigo sob o título “arguido vieira nos negócios com o bpn” (aqui, via o blogue leonino ‘mister do café’ e também aqui).
trata-se de um belo de um artigo, no qual se identifica o primeiro assalto de um autêntico póker de ases – o qual também inclui bes, cgd e bcp. um dia, tudo se saberá sobre o que começou a ser denunciado em Novembro de 2013; só não sei é se será a ser julgado em tempo útil e se será feita Justiça… olha!, tal e qual como no processo ao samurris…
.

futuro© google
(clicar na imagem para ampliar)

.

.

clandestino.

há uma nova moda nos ‘me(r)dia’ portugueses: a câmara de eco que fazem uns dos outros. sucintamente: um jornal dá uma notícia e, logo a seguir, os outros replicam-na. isso é verdade para quase tudo, excepto quando se tratam de notícias negativas para o salazar lisboa e [coiso].
ontem, por exemplo, soube-se que luís filipe Vieira está constituído arguido desde 2014, num processo-crime em que é «suspeito de burla, de falsificação de documentos e de branqueamento de capitais», tendo lesado o falido BPN em 23 milhões de euros.

pela relevância da notícia, seria “normal” que aquela tivesse difusão nacional; mas, seja por um qualquer critério editorial (que se desconhece), seja porque “o respeitinho é muito lindo”, jornais como o ‘Expresso’ ou o ‘Público’ “esqueceram-se” de a noticiar.
já nos jornais desportivos – sempre ávidos de notícias sobre os protagonistas dos maiores clubes nacionais, sobretudo quando afectos ao FC Porto – só ‘OJogo’ noticiou aquela matéria.

explicação para tudo isto? é na Comunicação Social que o «polvo» encontra o seu ecossistema perfeito, tendo criado a novel figura judicial do “arguido na clandestinidade”.
porque este diário tem uma confiança ilimitada na recuperação humana, lança-se o seguinte desafio: façam o favor de fazer um poucochinho mais de jornalismo, só para não parecer tão mal.

in Dragões Diário [texto adaptado].
.
.

.

para lamentar.

a rtp ilustrou uma reportagem sobre a “operação Jogo Duplo” – a propósito de um esquema de viciação de resultados – que passou no ‘Telejornal’ das 20h de ontem, com imagens de adeptos do FC Porto.
trata-se do habitual desrespeito da estação (cada vez mais, menos) pública de televisão para com o nosso clube. infelizmente não parece haver um qualquer Conselho de Redacção e/ou uma Entidade Reguladora digna desse nome, que se preocupem com estas situações e que deveriam envergonhar, sobretudo e em primeiro lugar, aquela estação (muito pouco) pública de televisão.

in Dragões Diário [texto adaptado].
.

duas citações para memória futura, obviamente.

.

disse!
.

.

tretas (ou balelas), em imagens várias.

© getty images | 92º minuto
.

caríssim@,

diz que vencemos a prestigiada ‘premier league international cup (sub-23)’, que vai na sua terceira edição.
diz que vencemos categoricamente e por goleada, num Stadium of the Light (Estádio da luz…), mas desta feita em Sunderland (no Nordeste britânico, bem lá nos confins).
e, mas agora dizemo-lo nós, portistas de alma e de coração (embora ainda muito tretamente amargurado), que se tratou indelével e indubitavelmente de um «feito histórico» – e depois de, na sua primeira edição, em 2014/2015, também termos atingido a final, mas capitulado aos pés de um Manchester City “dos” Angus Gunn (terceiro guarda-redes do actual plantel principal dos citizens), Aleix García e Kelechi Ihanacho (ambos com 727 minutos974 minutos e 08 golos na equipa A “de” Pep Guardiola respectivamente).
e diz que, mais uma vez, tal proeza do futebol de formação luso, mas ao nível dos clubes, passou muito ao largo da Informação, mas só cá pela tugalândia, que a internacional soube dar o devido destaque, inclusive pelo clube vencido [«crushed by a FCPorto masterclass»].
e diz também que as (gloriosas?) vozes dissonantes “argumentam” com o sempre estafado “ah! e tal, que foi contra [o Sunderland], que ninguém conhece. nem devem saber jogar futebol!”. pois… exacto… é só o mesmo Sunderland que figura entre as doze melhores academias de futebol em Inglaterra, certo? o mesmo Sunderland que, nos quiartos-de-final daquela competição, despachou a equipa de formação do Athletic de Bilbao – uma das melhores dos nossos “vizinhos” – sem qualquer apelo, nem nenhum agravo, certo? e curiosamente (ou talvez não…) o mesmíssimo Sunderland que venceu o grupo A, onde figurava o outro representante português, certo? pooooois… ok!… contem-me estórias…

.

© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

para a História, para o nosso historial e para o palmarés do Clube, figura o segundo título internacional dos (ainda) campeões em título da nossa comezinha Segunda Liga. e as palmas dos espectadores britânicos à nossa portentosa exibição.
e obviamente, e como não poderia deixar de ser nestas alturas, essa confrangedora (por que basto «gloriosa») azia e que se documenta, não só na imagem acima – então a capa do lixo tóxico do grupo cofina é um “espanto”: «a Europa é nossa» certamente que sim, sobretudo em tons azuis-e-brancos! – mas igualmente nas duas imagens abaixo, a propósito de uma precocemente propalada conquista da (igualmente prestigiante) UEFA Youth League, perante um «frágil» Cazino Salzburg, o qual nem precisou de ingerir muitos ‘red bulls’ para relembrar, a quem de direito, a «gloriosa» profecia de Béla Guttmann:
.

© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

..

© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

.
disse!
.

tretas (muito nossas).

© fotos da curva
.

.

quero agradecer a grande lição de vida que o NES me deu hoje: um dia, quando for na rua e me assaltarem, devo parabenizar o gatuno.
sempre a aprender…

quanto ao resto…
dois penaltis?! e ainda gozam descaradamente connosco! é triste… ao longo desta época, vimos situações muito mais flagrantes a não serem assinaladas, e hoje é isto. ou é puro gozo ou então é para, no final do campeonato, aparecermos com 9 ou 10 penaltis a favor e dar a impressão de que não temos qualquer razão de queixa.
ainda sobre gozo: parece que os corruptos, ontem, no galinheiro, distribuíram cartolinas onde se podia ler que essa é que é a “cartilha” deles. tão espirituosos que eles são, ao nível da infame campanha do #colinho… nada como desvirtuar a Realidade…

sobre a censura à faixa, uma nota só:
devemos muito ao presidente, mas, antes dele, já existia o FC Porto, tal como continuará a existir depois dele. não queira o sr. presidente fazer figura de Robert Mugabe que, aos 93 anos, ainda (des)governa o Zimbabwe.
das qualidades de um verdadeiro líder fazem parte o saber ouvir os seus e o saber quando sair. não é censurando quem sempre apoiou e que quer o melhor para o Clube, que se vai a lado algum. e, repito, o FC Porto não é propriedade privada de ninguém, mesmo daqueles que lhe deram imenso, porque também foi o Clube que lhes deu a visibilidade de que, Hoje, ainda gozam.

termino ainda com uma referência a África (e não só):
a Costa do Marfim, a Nigéria, o Brasil, ou mesmo a Birmânia, construíram novas capitais em locais remotos desses países a fim de lhes conferir mais desenvolvimento e que este também fosse sustentado (está certo… ao mesmo tempo também foi para encher os bolsos a “alguns”…); neste momento, o Egipto prepara uma nova capital administrativa e económica para descongestionar o sobre-lotado Cairo; o Canadá, a Austrália, os próprios EUA, não têm a capital na sua maior cidade. já aqui, no país dos broncos, insiste-se e persiste-se em levar tudo para a região de Lisboa e Vale do Tejo: mais estações de Metro, mais aeroportos, mais portos para cargas e descargas, mais, mais… para os outros – a suposta «paisagem», o grunho e parolo «resto» – ficam as sobras.
desde (pelo menos) o séc. XVI que vivemos (n)uma macrocefalia, que levou a um crescimento desproporcionado da Capital do Império em relação ao resto do País. e, mesmo assim, continuamos a ver as gentes a sair às ruas em Castelo Branco, em Beja, em Portalegre, em Bragança, na Guarda – em regiões preferencialmente do Interior, totalmente menosprezadas e desprezadas pelo Poder Central, do qual o clube corrupto (ainda) é o seu símbolo maior.
e se me custa ver gente a festejar na minha terra natal (Castelo Branco), então na cidade do Porto… enfim… e lamento que não haja um benfiquista que reconheça o óbvio: que este (treta-)campeonato foi ganho graças a factores extra-futebol.

se vale tudo para ganhar? parece que sim. e é também por isso que o País está como está: com uma dívida pública que nem nos nossos piores dias.
c
onclusão a tirar? somos um País de gente desonesta porque, se não se importam de ganhar dessa forma no Futebol, também não se importam de o fazer em tudo o resto, em todos os outros sectores da actividade económica. e tal é triste, muito triste.

saúde. João.
.

caríssim@,

não poderia estar mais de acordo com este (muito) pertinente comentário do João, no espaço de discussão do caríssimo Vila Pouca – um dos meus blogues de referência. aliás, considero ser difícil discordar do mesmo, com argumentos válidos e sustentados, sobretudo pela parte de quem é conhecedor do que nele se aventa, mormente naquelas regiões mais desfavorecidas do País…

mesmo assim, permite-me apenas três singelas notas:

1.)
aguardei pelo “universo Porto – da bancada” de ontem (vídeo aqui) para perceber melhor a situação da censura das tarjas. acima de tudo, apraz-me saber que «tudo está bem», nas palavras do Director de Comunicação do Clube – o que poderá significar que houve entendimento entre as partes envolvidas, com o devido (e desejado) “enterrar do machado de guerra” e posterior “fumar no cachimbo da paz”.
mesmo assim, tal não significa que quem, como eu, se deslocou, no passado Domingo, ao nosso teatro de sonhos azuis-e-brancos, de lá tenha saído com uma imagem muito triste, basto cinzenta, com todo um episódio que em nada dignificou aquelas mesmas partes – na altura, em contenda. pelo menos, foi assim que abandonei o estádio, enquanto ouvia as palavras de ordem dos elementos da claque: com o coração apertado, o Espírito sombrio e o olhar perdido num Futuro incerto…
.

2.)
numa singela frase, por certo nada inocente – «é a realidade dos resultados. parabéns ao campeão. nós continuamos o nosso caminho – o de formar uma equipa que possa conseguir títulos.» – Nuno conseguiu desbaratar todo o meu trabalho de uma época a desmascarar o «polvo» que subsiste no nosso comezinho futebolzinho tuga. o meu, o de tod@s @s ‘bloggers’ afectos à bluegosfera (e não só), e também o daquele programa referido no ponto anterior.
e foi mesmo, mas mesmo “muito agradável” ouvir todos os «gloriosos» cartilheiros, logo no próprio dia e na Segunda-feira seguinte, a citarem o ainda treinador da equipa principal de futebol do Clube, e a insurgirem-se contra a sua (mais do que) provável rescisão contratual.
e, por muito que ele invoque «a grande confiança num contrato que existe», não haverá Espírito Santo que o mantenha no reino do Dragão, na próxima época*.
[* não!, não tenho bases sólidas (por que oficiais) para sustentar esta minha forte convicção, só um ‘feeling’.]
.

3.)
que fique expresso, desde já, o meu mais firme desejo para que o FC Porto, e como se prevê, não seja beneficiado, no próximo Domingo, em Moreira de Cónegos.
e que fique bem claro que nunca desejarei a derrota do meu Clube do coração, seja em que circunstância for.
mas – e há sempre um “mas”… – confesso que, no caso em apreço, não me importarei que se percam os pontos suficientes para que o Moreirense permaneça na Primeira Liga e consequentemente a agremiação (curiosamente muito lampiã) de Tondela desça à divisão mais condizente com a sua categoria (ou a falta desta)
.

.
disse!
.

tão amigos que nós fôramos. ‘sêramos’. coiso…

© google | 92º minuto
.

caríssim@,

ontem à noite, os lixos tóxicos do grupo cofina [vários vómitos sucessivos] foram lestos a ”””noticiar””” (sim!, múltiplas aspas. explicações são desnecessárias, certo? certo!) uma «cimeira anti-5lb», da qual resultou um vídeo caseirinho e muito exclusivo, aqui.
no entendimento das aventesmas e/ou sabujos e/ou pés-de-microfone e/ou laranjos que por lá labutam – sendo que aquele parte exclusivamente de suposições (com recursos linguísticos múltiplos, mormente a forma condicional com que se conjugam os verbos) – «o encontro, com carácter ultra-secreto e que durou pouco mais de duas horas (entre as 16h e as 18h), terá servido para estreitar as relações entre os rivais e reforçar as estratégias de comunicação para a próxima época com um alvo em comum: o 5lb».

a manhã cinzenta e muito chuvosa de hoje acordou com a replicação daquela ”””notícia””” bombástica, da «ultra-secreta» «cimeira anti-5lb» pelos restantes pasquins afectos às agremiações da Segunda Circular e tal como a imagem acima o refere.
do que pude ler sobre o sucedido, aquela que, para mim, é a versão mais credível daquele encontro, foi plasmada (plantada?) na edição impressa do pasquim do ‘quim oliveirinha (aqui). essa não nega o encontro, e mais do que referir o alinhamento de uma qualquer estratégia «anti-[qualquer coisa]», afere de uma reunião «para discussão de assuntos, com carácter prático, relacionados com a partida de andebol» – a qual é decisiva, por poder consagrar o FC Porto como o próximo campeão nacional daquela modalidade. posteriormente «a conversa incluiu outros temas da actualidade desportiva, nomeadamente do Futebol».

já o início da solarenga, mas muito ventosa tarde, anunciou um comunicado conjunto entre os dois Directores de Comunicação dos clubes visados na suposta «cimeira anti-[whatever]» (aqui e aqui).
naquela reunião foram abordados alguns temas do nosso comezinho futebolzinho onde há efectiva «convergência de posições», sendo que o que há a ressalvar é o seu ponto 5.), que se transcreve:
.

.

«
em face do que consideramos ser a urgência e necessidade de pacificação do Futebol Português; da obrigatoriedade de nele se introduzir uma maior transparência e mais verdade desportiva, e de defender aqueles que são os valores por que devem nortear o Desporto Nacional, entendem os dois clubes estarem reunidas as condições para que seja desencadeado, de imediato, o processo de reatamento das relações institucionais entre o FC Porto e o spórtém.
»
.
.

© google | 92º minuto

aqueles são os factos do que eventualmente se passou – porquanto que se depreende a existência de muita contra-informação, e porque só sabemos o que efectiva e concretamente as partes envolvidas querem que se saiba.

aqui chegados, importa referir que não possuo memória curta, pelo que recuo ao que sucedeu em Junho de 2013 (aqui) e desencadeou o corte de relações institucionais – sobretudo algumas alarves declarações do actual presidente do spórtém para com o nosso Clube, a envolver «fruta» e «bananas». depois daquelas, muitas outras se sucederam, com uma pausa recente porque a mira voltou-se para um alvo mais apetecível (por que mais próximo)…
se, por um lado, apraz-me saber de uma tentativa dessa tão necessária «pacificação do Futebol Português», pelo outro confesso que, tendo em conta o histórico de provocações (abjectas) do burro do Carvalho para connosco, duvido muito que o clima de guerrilha amenize, sobretudo entre os dois Presidentes.

também não posso deixar de afirmar que a forma como tudo “isto” se processou é de amador. repito: de. a-m-a-d-o-r.
depois de exposta a cartilha e de todo o «glorioso» desespero que se seguiu, em (in)tentar encontrar compêndios doutrinais no nosso Clube e no spórtém, e também do Estado Lampiânico vislumbrar uma aproximação entre os dois clubes, a mostra pública da reunião, na forma como aconteceu, mais não é do que um “brincar ao Futebol”. tratou-se, isso sim!, de um valente tiro no pé, e por mais comunicados conjuntos que se emitam.
no meu entendimento não havia necessidade deste tipo de exposição – sobretudo numa altura em que há um desânimo generalizado nas nossas hostes e alguma inquietação (eu, pelo menos, não ando sossegado…). já temos muito com que nos preocupar intra-muros e, se é indesmentível que o «polvo» é quem mais ordena – e esta notícia aqui confirma que ainda há muito para “lagareirar” – não precisávamos de estar, agora, nesta altura, a gramar com as bocas dos lampi… dos candeeiros de serviço a demonstrar à saciedade “aquilo” que, há menos de 24 horas, era negado. é que não precisávamos mesmo nada! f
od@-se, pá!..

mas, pior!, vai ser o pós-final-de-semana, sobretudo na próxima Segunda-feira, tal e qual como a imagem ali em cima o demonstra… nem vai ser bom…

fod@-se!

.
disse!
.

dessa “gloriosa” idiossincrasia.

futuro© fotosdacurva | zerozero | 92º minuto
.

duas breves notas introdutórias:

1)
como o tenho vindo a afirmar e (bem) mais vezes do que gostaria, infelizmente “não é quando se quer, é quando se pode”…
motivos de índole diversa, mormente profissionais, têm obstado e de que maneira!, a este acto de comunicar contigo com mais regularidade. por este motivo e pelos (eventuais) transtornos que te possa ter causado, mais uma vez reitero os meus sinceros pedidos de desculpas.
aquelas desculpas lamentavelmente estendem-se também a esse facto concreto e verificável, e que é o destas interrupções persistirem num tempo que previra curto, mas que se têm estendido para lá do razoável – olha, assim a modos que tal e qual esse hiato que tem me(r)diado a amostragem do quinto amarelo ao pizza… ao piç… ao estrábico lampião.

2)
assim sendo e porque há vários assuntos que pretendo abordar (apesar do meu “atraso”), e como já vem sendo hábito, e como não poderia deixar de o ser, esta prosa será uma espécie de novo testament… de um texto extensiva e sensivelmente looongo, com numerosas hiperligações e bastas imagens, que não só para memória futura mas também.
e, claro está!, que a minha sugestão, para estes momentos, é sempre a mesma, e como já deve ser do conhecimento geral.
.

futuro© fpf | 92º minuto
.

caríssim@,

a imagem acima é a reprodução fiel do comunicado com o mapa dos castigos aplicados ao FC Porto, em 18 de Abril último, pelo Conselho de Disciplina da FPF (aqui) – em rigor, da Disciplina que o sr. meirim quer impor ao nosso comezinho futebolzinho tuga.
ob
viamente que, daqueles castigos vários, destaquei o que foi aplicado a Yacine Brahimi, bem como da “douta” justificação para a pena aplicada ao jogador argelino.
dessa “justificação” ressalta essa parte em que se afirma peremptoriamente que 
«tendo encostado a sua face» à do apitador antunes – a desempenhar a função de quarto árbitro no jogo que ocorreu ante os gverreiros lampiões do Minho. mais: decidiu-se uma punição exclusivamente no testemunho (mentiroso) daquele, não tendo sido admitido qualquer contraditório, como veio a revelar o Comunicado de 28 de Abril último, que laconicamente considerou o recurso hierárquico daquelas decisões «impróprio». mais ainda: tal é totalmente contrário num Estado de Direito e está à revelia da lei fundamental da tugalândia, a Constituição da República Portuguesa – a qual, no seu art. 32º (“garantias de processo criminal”), consagra os princípios do Recurso e do direito ao Contraditório.
ainda só mais uma achega (mesmo que “requentada”): à data e hora destas linhas (#notmadeinporta18forsure), estas são as imagens publicamente conhecidas do incidente de que Brahimi é vítima e não réu (as quais disponibilizo em gif aqui e em mp4 aqui, e das quais possuo múltiplas cópias, pelo que censurá-las é pura perda de tempo para todas as partes envolvidas):
.

futuro© google | 92º minuto
.

só me questiono do que, neste entretanto, todos os encartilhados (leonor pinhão incluído), a mando de um «polvo» que tem como glorioso desígnio nacional esse tetra da treta, já não teriam dito, escrito, aventado se este tipo de “castigo” tivesse sido aplicado a um jogador afecto ao 5lb?… assim de repente, recordo-me do muito que se reivindicou aquando da expulsão do Ederson… mas… aaaah! espera! ao contrário do que vai acontecendo por aqui, no Norte, por Carnide há muito que reina (e prolifera. e prospera.) a impunidade…
e basta atentar nas capas de «ambos os três» pasquins desportivos da tugalândia, a seguir ao dia em que se conheceu o castigo aplicado ao jogador internacional argelino, para se perceber o quão discriminatórios são os sabujos e os pés-de-microfone que neles labutam, e o quão discriminados nós somos comparativamente para com o 5lb:
.

futuro© google | 92º minuto
.

#contratudocontratodosecontraostolos certo? certo!
.

futuro© revista dragões | 92º minuto
.

* sobre a revista ‘Dragões’:

talvez ainda não seja do conhecimento geral, mas o FC Porto disponibiliza gratuitamente e de forma digital, as edições da revista do Clube.
para tal, basta aceder aqui e preencher um formulário muito simples, com dados que não lesam a identidade de ninguém – como sejam o nome e um email válidos. depois de feito esse passo fundamental, temos acesso a todas as edições da revista (repito), em formato digital, e com o ‘plus‘ de que se pode fazer o ‘download’ das mesmas.
quem tiver esse interesse, pode ler aqui a última edição da revista (#366), cujo meu destaque é o da imagem acima (aqui a versão “compacta”).

.
disse!
.

do «regresso a um Passado de triste memória».

futuro© google | 92º minuto
.

.

« O chamado “jogo fora das quatro linhas” foi uma artimanha movida, durante anos, por sinistras influências e que exerceu poder e que produziu dividendos. é o passado mau a que se refere luís filipe vieira.
favores a árbitros, escolhas para jogos e suas classificações, trocas de treinadores (privilegiando os amigos em detrimento dos independentes e sem olhar a competências) – enfim, uma teia de interesses e de conveniências, geralmente acautelada à mesa de restaurantes ou no bulício de estabelecimentos nocturnos. vivia-se no tempo em que a organização do Futebol funcionava ao contrário: as decisões eram tomadas em espaços de restauração e similares, e depois transmitidas aos gabinetes para execução – assim mesmo, com este despudor, sem ninguém se comprometer; favor cá, favor lá… até um dia, como é público. »
.

caríssim@,

as palavras acima são bastante elucidativas, certo? certo. tod@s nos revemos nelas e no estado actual do nosso comezinho futebolzinho, certo? certo. e são um espelho dos tempos correntes, certo? errado! explico.

aquelas palavras pertencem ao sr. fernando e à sua mais recente guerrinha, publicada na edição da passada Terça-feira (aqui), no pravda e tive acesso à dita via “dragão até à morte” (olá meu caro Amigo! desde já, o meu ‘muito obrigado!’ por me ter poupado a uma “indigestão”).
ob
viamente que, quando cheguei àquele trecho – reproduzido ali em cima também para memória futura – o meu (sub)consciente, no imediato, conduziu-me para o muito que entretanto tem sido denunciado acerca desta autêntica Liga Salazar – inclusive via “Universo Porto – da bancada“. acontece que aqueles «jogos fora das quatro linhas» aludem ao tempo em que, os mesmos que ainda pugnam pelo pífio dourado, faziam alarde ao famigerado «sistema»…
infelizmente para o sr. fernando e para tod@s que são, antes de tudo, anti-portistas básicos (por que primários. ou serão primatas?…), aqueles «jogos fora das quatro linhas» ainda subsistem. e o “tal” «sistema» modernizou-se e agora assume-se como um «polvo», gloriosamente imbuído numa #cartilha, carregado de muito #colinho e de um vasto #mantoprotector. e assim se justificam as bastas hiperligações (olá, Silva!) inclusas naquela citação, para que não haja dúvidas acerca do que o sr. fernando afirma, e com muita propriedade.

.
disse!
.

dos vendilhões do templo.

futuro© Bruno Sousa
.

três breves notas introdutórias:

1)
infelizmente “não é quando se quer, é quando se pode…”, pelo que motivos de ordem diversa, sobretudo profissionais, impediram-me de comunicar contigo mais cedo.
assim sendo e porque há vários assuntos que pretendo abordar (apesar do meu “atraso”), e como já vem sendo hábito, e como não poderia deixar de o ser, esta prosa será uma espécie de novo testament… de um texto extensiva e sensivelmente looongo, com numerosas hiperligações e bastas imagens, que não só para memória futura mas também.
e, claro está!, que a minha sugestão, para estes momentos, é sempre a mesma, e como já deve ser do conhecimento geral.

2)
não irei aprofundar a partida do passado Sábado, onde fiz questão de marcar presença e tive esse grato privilégio e essa enorme honra, de o poder ter visto na companhia do Afonso (agora um jovem de 17 sólidos anos) e do ‘shôr’ Silva (esse mesmo!). foram bons momentos, que espero que se repitam em breve!
sobre aquela, partilho do que entretanto já foi (muito bem) analisado e comentado aqui, aqui, aquiaqui, aquiaqui e também aqui, mas sobretudo aqui (de uma forma hilariante!).
sobre as temáticas que se seguem, a minha visão particular também foi consubstanciada no que já se argumentou aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aquiaqui e aqui, cujas leituras recomendo vivamente, porque delas subscrevo. na íntegra – qual “cartilha da bluegosfera”.

3)
para quem visita este espaço apenas e só com esse intuito de “abafar” o que por aqui se divulga, seja em formato mp4, seja em gif e/ou jpeg, sobretudo se for o carnidense a agremiação visada:

coisinhos,
ide “abafar a palhinha” de quem vos fez as orelhas, sim?
podeis fazer todas as denúncias gloriosamente anónimas que vos der na real mona (na lisa, ou na outra, ‘i don’t care‘): par
a vossa azia, possuo os ficheiros originais do que denuncio neste espaço público de discussão, em vários suportes, em diversas contas e em múltiplos canais. os serviços da Google são só um deles e não são o principal.
.

futuro© google | 92º minuto
.

caríssim@,

obviamente que o tema da cartilha do estado lampiânico (aqui e aqui) foi o que dominou o quotidiano azul-e-branco desde a passada Quinta-feira, não tendo ficado espantado pela visibilidade da últimaposta” do mês de Março – a mais lida dos últimos dois meses, pelo que nela se difunde à saciedade.
já se sabia que havia uma espécie de concertação: era por demais evidente a “afinação” nos discursos dos interlocutores, e o reporte constante de almoçaradas e/ou jantaradas (aqui, aqui e aqui), ao mesmo tempo dos ridículos desmentidos por parte da “estrutura; agora que “a bomba” explodiu, é para mim um gozo assistir a autênticos números de «glorioso» contorcionismo, desdizendo-se o que anteriormente era tido como uma verdade indesmentível e se negava a pés juntos, tal e qual uma entrada do ilusão (já lá vamos).

e obviamente que estou muito curioso pelas cenas dos próximos capítulos, a divulgar no “Universo Porto – da bancada” desta noite – programa onde espero que se denuncie a «gloriosa» filha-da-putice que a imagem abaixo retrata:
.

futuro© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

e que filha-da-putice é essa? tão-somente o facto de, nos pasquins manhosamente elaborados na Capital do Império, se (in)tentar conotar o incidente no último Fátima vs. Torreense com o FC Porto, colocando, em chamada de capa e de uma forma estratégica, tal notícia no parco espaço destinado ao quotidiano azul-e-branco.

também espero que se analise o que se pode ouver aqui, a propósito do Clássico no verdadeiro antro* do carnidense: uma cambada de energúmenos a perturbar o trabalho dos pés-de-microfone, com a complacência dos ‘stewards’ e sem que, à data destas linhas (#notmadeinporta18), o Sindicato daqueles se tivesse insurgido pelo facto e ao contrário de um Passado bem recente
curiosamente (ou talvez não) tratou-se de um facto lamentável que os me(r)dia e o jornalixo tugas não difundiram profusamente à saciedade, antes pelo contrário. ou seja: “aquilo” aconteceu; mas como é comprometedor para os visados, convém abafar porque, se não passou nas têbês e/ou nos pasquins, é porque nunca viu a luz do dia (salvo seja!).

* sim!, a-n-t-r-o. é que eu não tenho memória de passarinho e recordo-me muito bem do que um radialista afecto ao 5lb e por quem tinha em (muito) boa conta, até então, escreveu, em Maio de 2012, sobre este incidente aqui.
.
.

futuro© FCPorto para sempre | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

por “falar” em «gloriosos» impedimentos de divulgação de factos susceptíveis de incomodar quem se encontra afecto ao 5lb – o verdadeiro clube do Regime (e seja ele qual for, porque é indistinto de qualquer conotação política, porquanto que é transversal a tudo quanto gravite nos corredores do P(h)oder centralista da tugalândia) – do passado final-de-semana ressaltam dois factos insofismáveis (por que indesmentíveis):
.
(i) apesar da vitória, o FC Porto foi sonegado em mais duas grandes penalidades flagrantes, uma delas logo aos 20′ da partida e que, se viesse a ser assinalada e posteriormente concretizada, mudaria toda a estória do jogo em causa.
(já vamos em quantos penaltys por assinalar?… vinte? trinta? trinta e um?… e só numa época, certo?… estivesse “isto” a acontecer mais para os lados da Segunda Circular, e não haveria paciência para as costumeiras (por que «gloriosas» e/ou «calimeras») «queixinhas»…)

e para quem considere que não houve qualquer motivo para se assinalar grande penalidade e/ou ache que o pasquim do ‘quim oliveirinha é todo ele um mar azul (!!!), eis a análise do lance em causa pelo insuspeito do roubarte gomes, no pravda do último Domingo (aqui):
.

futuro© pravda | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

(ii) o 5lb foi «gloriosamente» beneficiado em Moreira de Cónegos. mais uma vez. e só esta época. não está a jogar um carvalho da Silva, mas há sempre um “alguém” que lhe ampara a queda, num «glorioso» afã sem precedentes. e tudo porque convém impedi-la a todo o custo, não vá esse desígnio nacional – o do tetra da treta – ficar em águas de bacalhau.
e, ao contrário dos costumeiros papagaios que costumam debitar a cartilha, e da própria “opinião” de ribeiro cristóvão (aqui), eu acho que o ilusão deveria ter sido expulso aos 30′, assim como o grego do samurris (© bLuE bOy) no final da partida. é que as imagens, tal como os vídeos (aqui e aqui e aqui) não oferecem quaisquer dúvidas:
.

futuro© google | 92º minuto
.
futuro© google | 92º minuto
.

ai se isto” tivesse ocorrido com um (ou mais do que um…) jogador afecto ao FC Porto!… ui! nem é bom considerar… certamente que não haveria prontas entrevistas a tentar ilibar tais acções – como esta aqui, ao abel silva, pelo lixo tóxico do grupo cofina, no dia imediatamente a seguir ao rebentamento do escândalo do processo “Jogo Duplo”

.
disse!
.

resquícios.

futuro© fotos da curva | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

nota introdutória:

só hoje, Quarta-feira, (quase) 84h depois, é que “a telha” (vulgo neura, e que, sim!, pode-se confundir com azia…) está a dar indícios de desaparecer. mas ainda não foi à sua vidinha, não!, que o mau humor rezingão e irascível, esse está para durar – pelo menos até ao início do próximo encontro, já este Sábado, frente ao Belém, onde se espera que sejam estes a comer “pastéis”, ouvistes ó Nuno? nem que tenha que ser por obra e graça do Espírito Santo, ouvistes ó Nuno? bem!… adiante.

assim sendo e porque já estou basto atrasado (© ‘shôr’ Silva), esta “posta de pescada”® vai ser um pouco para o compridota. é que há alguns aspectos, sobre o Clássico, que também quero esmiuçar e dar o meu lamiré.
ou seja e como não poderia deixar de o ser, esta prosa honrará com os pergaminhos e com aquela que é a imagem de marca deste espaço singular, na bluegosfera: os testament… os textos extensiva e sensivelmente looongos, as numerosas hiperligações e as diversas imagens, que não só para memória futura mas também.
e, claro está!, que a minha sugestão, para estes momentos, é sempre a mesma, e como já deve ser do conhecimento geral…
.

caríssim@,

sobre a partida em Carnide, subscrevo o que, neste entretanto, foi sendo trazido à colação (e muito bem aventado) aqui, aquiaqui, aqui, aquiaqui, aqui, e também aqui, na bluegosfera.
acima de tudo, recordo esse facto insofismável: depois do empate que se trouxe de Carnide, já não dependemos exclusivamente de nós para nos sagrarmos campeões. ou seja: teremos que esperar que sejam Outros a fazer o trabalho onde, mais uma vez, nos revelámos incompetentes, e que passava pelo assalto efectivo ao primeiro lugar do campeonato.
e entenda-se também que, para sermos muito felizes, em Maio, (i) teremos obrigatoriamente que vencer as sete finais que se avizinham (com deslocações complicadas a Braga, Chaves e Madeira) e que (ii) não poderemos “depositar as fichas todas” no ‘derby‘ da Segunda Circular (o qual, entrementes e por antecipação de duas semanas, já está a ser arduamente disputado, sobretudo fora das quatro linhas).

acima de tudo, o que resta do empate ante o carnidense é que este revelou-se uma espécie de “mal menor” – e daí o meu tremendo desconsolo no final da partida, pois que fiquei com a estranha sensação de que deveríamos e poderíamos, ter feito (bem) mais e (muito) melhor, mesmo com (e contra) o “xistrema” (já lá vamos). mais do que teorizações sobre qual o onze titular e/ou que substituições efectuar, considero que faltou um pouco mais à Equipa, mormente na segunda parte, para se dar a “estocada final” no rival; acho que faltou dar seguimento ao lance do Soares, que os colocou em sentido e que os fez abanar, só que momentaneamente – e quando o que se pedia e toda a massa adepta “exigia”, era que ocasiões de golo como aquela tivessem continuidade no Tempo e não se esvaíssem nos restantes 30 minutos do encontro, e mesmo com (e contra) o “xistrema” (já lá vamos).
mas, como tal não veio a acontecer, e por erros também próprios da Equipa, vamos ter que aguardar pelo que os outros farão nos seus «gloriosos» embates, rumo a esse desígnio já supra-nacional, e que é a treta de um tetra ardentemente desejado por tod@s os quadrantes, inclusive o Político (e já lá vamos, também).
.

futuro© google | 92º minuto
.

sincera e honestamente nem sei como abordar a próxima temática depois das declarações do espírito santinho do Nuno e do presidente Jorge Nuno… o primeiro disse peremptoriamente «é penalty!»; o segundo, à revelia do então Pinto da Costa, afirmou que «foi um grande jogo de futebol, entre duas grandes equipas, com um bom árbitro»… acontece que, na minha perspectiva, para sermos sérios, rigorosos e honestos quanto às incidências da partida, não há como fugir ao #xistrema. e este também esteve presente (e à solta) no antro onde os i-le-gais, mais uma vez, marcaram presença quando não o deveriam, porque… lá está!, não estão conformes à legislação vigente.
para lá do que se afirma aqui e, neste entretanto, também aqui, e do que ontem se denunciou aqui, no programa “Universo Porto – da bancada“, houve uma gritante dualidade de critérios de arbitragem, mormente na segunda parte, sobretudo depois de termos conseguido o empate na partida.
como se comprova aqui e aqui e também aqui, o 5lb foi (literalmente) empurrado, pelo apitador de serviço, na procura de um segundo golo que felizmente não veio a acontecer, fruto de mais uma enorme exibição da mesmíssima Equipa que, ali em cima, fui crítico, e da qual faz parte Iker Casillas. e não há aqui qualquer incoerência: é verdade que e como é apanágio do grupo de trabalho à disposição de Nuno Espírito Santo, ante o 5lb houve mais uma demonstração de Entrega e de Querer, assim como também é verdade que essa abnegação não foi suficiente para se vencer o jogo – uma partida onde, para mim, era fundamental conquistar os três pontos…
.

futuro© google | 92º minuto
.

a par da agressão a Alex Telles e do fora-de-jogo (escandaloso) que foi (muito mal) assinalado ao Jota, o lance que a imagem gif acima retrata é capital para o desenlace da partida, por que (muito) “bem cavado” – sendo que o mesmo é perpetuado em vídeo aqui e em imagens gif aqui e aqui, para quem quiser.
deixo-a para memória futura, sobretudo porque, tal como Bernardino Barros, também eu estou cansado de ouvir, há (pelo menos) três semanas ininterruptas, os avençados do clube do regime bramirem com a «gloriosa» costumeira cartilha, da autoria de carlos janela, de que o André Silva e o Soares e o Jota e o Brahimi e o Corona e o (nome de um atleta do FC Porto) e o (outro nome de um atleta do FC Porto), são “piscineiros”… essas torpes afirmações, vindas de quem vêm, principalmente de aventesmas afectas à agremiação onde este aqui deu muitas provas e até “fez escola” (de que o jon-ass é só mais um), só poderão ser encarados como elogios aos visados por aquelas. de facto, nunca faltaram, nem faltarão especialistas na arte do mergulho pelos lados de Carnide. ah!, e este lance aqui ficará, para Sempre, na memória do Ridículo em que aquelas “piscinas” se tornaram por aquelas bandas, sempre com as complacência, benevolência e cumplicidade, dos apitadores ao serviço do 5lb. sempre!
.

futuro© ojogo | FCPorto para sempre
(clicar na imagem para ampliar)
.

um facto sobre a imagem acima, com a análise aos lances mais “problemáticos” da partida: curiosamente não vislumbro nenhuma referência em relação a um lance sobre o Corona (aqui), aos 58’…
certamente que o “argumento” para tal «glorioso» esquecimento seja o mesmo que a estação de televisão de Queluz (não!, obrigado. não fumo.) utilizou nos seus programas de Domingo e de Segunda-feira, à noite, para não abordarem o tal fora-de-jogo mal assinalado ao Jota: não se podem analisar todos os lances (principalmente e sobretudo aqueles em que o 5lb foi «gloriosamente» beneficiado pelos do costume)…
.

futuro© google | 92º minuto
.

da ‘porca vendetta‘ perpetrada pelo jon-ass, ficam o vídeo (aqui) e a imagem gif (aqui) para memória futura do seu «glorioso» Absurdo.
acima de tudo (principalmente do perpetrador em causa) e sobretudo, lamento muito que tenha sido o spórtém a tomar a iniciativa (mais uma vez…) por algo que, antes de tudo, competiria ao FC Porto e ao seu Departamento Jurídico exigir junto de quem de Direito. desconheço se este silêncio institucional terá algo de estratégico, mas não quero acreditar que se fechou a volta de 360º e que se regressou a um Passado de má memória no plano Comunicacional do Clube.
.

futuro© google | 92º minuto
.

esta é, para mim, A imagem do Clássico e que, num Todo, resume a resposta a toda uma época de anti-jogo, para quem nos acusa de #joguemmazeabola e junto dos que, na primeira volta, o fizeram logo desde o primeiro minuto – mas que emmentes já se esqueceram de tal.
fica a dita eternizada em vídeo (aqui) e em gif (aqui).
.

futuro© fotosdacurva
.

a propósito dos incidentes que aconteceram antes, durante e após o jogo, nada mais acrescento ao que já foi comentado (muito a propósito) pelo “lápis” aqui.
apenas refiro que, mesmo sendo um Agente da Autoridade e no cumprimento do Dever, o indivíduo que pontapeou, na cabeça, um cidadão que se encontrava deitado, na via pública, depois de ter sido vítima de um outro pontapé, mas este desferido nas suas costas, não passa de um c-o-b-a-r-d-e de merda. e de um autêntico filho da puta.
.

futuro© google | 92º minuto
.

por último, sim!, todos têm o direito a assistir a uma partida de futebol, mesmo que por convite, e mesmo sendo altas figuras do Estado. mas, não!, “isto” não acontece no nosso teatro de sonhos azuis-e-brancos com a mesma regularidade que se verifica por Carnide.
e duvido que aquelas mesmas individualidades, qual capital triunvirato, o fizessem sabendo, de antemão, que o dirigente máximo do Clube era um caloteiro de primeira – a não ser que fossem para penhorar uma nova retrete

.
disse!
.

jogo sujo.

futuro© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

duas declarações de interesse:

1)
independentemente de cores clubistas, o que a “operação jogo duplo” está a revelar é extremamente mau para o Futebol Português – o qual, já se sabe e é a minha opinião, é basto comezinho (por que muito pobrezinho, mal jogado pela esmagadora maioria das equipas (supostamente profissionais) que o compõem, sempre à espreita da “matemática do pontinho“).
e, ao contrário do que afirma Joaquim Evangelista, actual presidente do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol, acho que «aquilo que aí vem» (virá mais, por aí?!) não será «assustador», antes terrífico para o mesmíssimo comezinho futebolzinho da tugalândia – onde qualquer «apelo para que haja um dever de cidadania activo» será sempre remetido para o “arquivo geral” do mesmo, i.e., o balde do lixo…

2)
como não me canso de o repetir, considero bastante meritório o trabalho das claques. e independentemente de factores que envolvam a sua (i)legalidade, em todas elas, e para lá das cores que apoiem, há bons e maus elementos, em todos os níveis. tal não é um desígnio exclusivo das claques portistas, como se pretende passar a mensagem e adiante se desmascará
.
.

caríssim@,

as linhas que se seguem – efectiva e comprovadamente, #notmadeinporta18 – vêm no seguimento do que entretanto o Jorge Vassalo já expôs aqui e muito bem.
acima de tudo, o que se constata é que o País, esta manhã, acordou com algumas das capas que se reproduzem na imagem acima. note-se que, para lá da habitual manha do lixo tóxico do grupo cofina [n-o-j-o], em «ambas as três» dos pasquins desportivos da tugalândia, foram feitas chamadas de capa ao «membro dos SuperDragões» que foi detido no âmbito da operação em causa. obviamente que não se nega que há uma tentativa dos me(r)dia e do jornalixo tugas, em “colar” o nome do Futebol Clube do Porto a (mais) este escândalo. sempre foi assim, é sempre assim e infelizmente sempre o será – pelo menos enquanto não houver uma entidade que puna esta gritante dualidade de critérios editoriais, já para não referir a absoluta ausência de Rigor e de Isenção jornalísticos…

mas e como muito bem se comprova aqui, pelos vistos não é só o FC Porto um dos clubes “implicados” – mesmo que, desta feita, por via muito indirecta (daí as pertinentes aspas na suposta implicação).
é que o tal «herói de Riade» mais não é do que o ex-defesa Abel Jorge Pereira da Silva, que fez toda a sua formação no 5lb, chegando a participar em dezoito jogos pelo carnide, na época 1994/1995, e que esteve dois anos no Alverca “do” Orelhas, entre 1998 e 2000…
curiosamente (ou talvez não…) e como refere o blogue leonino, em nenhuma daquelas capas e em nenhuma notícia nos me(r)dia tugas, há uma menção, por mais pequena que seja, ao passado rubro do jogador em causa; não!, o que convém salientar é mais uma detenção de um «membro dos SuperDragões», em mais um alvoroço tuga…
.

futuro© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

tendo presente aquelas capas, depois de as ver, instintivamente recuei a Agosto de 2015. pelo final da manhã do dia 27 daquele mesmo mês, o JN noticiava “em primeira mão” «buscas da Polícia Judiciária» nas instalações do carnidense e a detenção de um seu «director», facto que levou, de pronto, o papagaio gabriel a proferir «gloriosamente» que aquela investigação «apenas que é um problema da Justiça com o cidadão José Carriço e que nada tem que ver com o 5lb» – declaração que foi replicada ‘ad nauseam‘ pelos mesmíssimos me(r)dia e pasquins do jornalixo tugas, ao contrário, por exemplo, do que aconteceu com as informações acerca da “operação fénix” (onde, mais uma vez, se tentou desprestigiar o bom-nome do Futebol Clube do Porto e dos seus dirigentes)…

já agora e sem querer maçar muito, peço a tua atenção para as duas imagens que se seguem:
.

futuro© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.
futuro© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

pois é…
ao contrário das capas de hoje, a 28 e a 29 de Agosto de 2015 – e nos dias que se seguiram àqueles -, em nenhum dos pasquins desportivos da tugalândia houve uma chamada de capa, por mais singela que fosse, à “operação porta18”. mais comentários são desnecessários, certo? certo…

.
disse!
.