moralismos da treta.

futuro© google
.

.

[…] o problema está em nós: nós enquanto Povo, nós como matéria-prima de um País. e porque pertenço a um país onde a “esperteza”, a “chico-espertice portuguesa” congénita – essa falta de qualidade humana, essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui, até se converter em casos escandalosos em diferentes áreas da Sociedade, como, por exemplo, na Política – é a moeda sempre valorizada, tanto ou mais do que o Euro.

[…] é muito bom ser-se Português. mas, quando essa portugalidade autóctone começa a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento como Nação, então tudo muda…
não esperemos acender uma vela a todos os santos, a ver se nos mandam “um messias”. nós é que temos que mudar! um novo governante com os mesmos portugueses nada poderá fazer.

está, portanto, muito claro: somos nós, Portugueses – O Povo de Portugal, de um País e de um Estado de direito – que temos que mudar!
sim!, creio que isto encaixa muito bem em tudo o que anda a acontecer-nos: por exemplo, desculpamos a mediocridade de programas de televisão nefastos enquanto somos demasiado tolerantes com o Fracasso. é a indústria da Desculpa e da Estupidez…

agora, depois desta mensagem, francamente decidi procurar o responsável por tudo “isto”, por toda esta “esperteza saloia”, não para o castigar, mas para lhe exigir (sim, exigir!) que melhore o seu comportamento e que não se faça de mouco, de desentendido, de sonso.
sim, decidi procurar o responsável e estou seguro de que o encontrarei assim que me olhar num espelho. aí o encontrarei, ele que estará diante dos meus olhos.
aí está! e não precisarei de procurá-lo noutro lado...

Eduardo Prado Coelho, “construir um País: precisa-se de matéria prima para construir um País”, Público (2007?).

in “palavras soltas.
.

caríssim@,

para lá dos “chicos-espertos” e da sua bacoca saloiice, e onde me incluo (na prática de algumas acções do meu dia-a-dia, confesso), também não tolero lá muito bem os falsos moralistas da treta, sobretudo esses sabujos que labutam no jornalixo tuga (precariamente ou não, que isso não interessa para o caso em apreço). foi o que me aconteceu, hoje, quando resolvi adquirir a edição impressa do pravda da Travessa da Queimada, e por forma a ter acesso ao mais recente BRASÃO ABENÇOADO, da autoria de Pedro Marques Lopes (já lá vamos), e que inclui um artigo “simpático” sobre o ‘tikinho’ Soares, pela pena (trémula?) de paulo pinto.
depois de contribuir monetariamente com um euro para o lucro da ‘Sociedade Vicra Desportiva, SA’, que é quem gere os destinos do pasquim em causa, tive acesso à leitura de quatro artigos basto moralistas, pretendendo parecer isentos, rigorosos, íntegros, correctos, honrados, plenos de Decência e de Justiça, quando não passam de escritos «gloriosamente» desonestos, falsos, imorais, dissimulados e suficientemente hipócritas. e que, após a sua leitura – para quem tiver essa vontade e/ou um estômago forte – entroncam no teor do escrito que serve de intróito a esta “posta”, da autoria de Eduardo Prado Coelho, que desconhecia, em absoluto, e tive acesso pelo comentário do “kostadinov”, no blogue do caríssimo Vila Pouca.

.
resumidamente:

» os artigos em causa, que podem ser lidos aqui, referem-se ao (muito risível) editorial do “intestino” (do) delgado “os inocentes, os outros e o silêncio”; ao nojo do ricardo quaresma (que não é o ‘mustang’) “não assobiem para o lado” e ao destilar de bílis do “senador pateta” (do) cervan “clássico é (quase) decisivo”. todos eles abordam hipocritamente a questão da nossa tentativa de “invasão” do antro de Carnide, cujo objectivo declarado são o de se ter dez mil portistas a torcer pela nossa Equipa do coração, mormente o apelo feito por Fernando Madureira para que se encontrem «vias alternativas»* na obtenção de mais do que os 3250 ingressos a que os adeptos do FC Porto têm por Lei.
todos eles, mais a cambada de lampiões que gravita nos me(r)dia e no restante jornalixo da tugalândia, particularmente preocupados com o «incentivo a comportamentos potencialmente explosivos». [longo suspiro]
tenho pena que não manifestem esses mesmos receios (também) quando os i-le-gais afectos ao 5lb e que beneficiam de apoio da “instituição”, se deslocam à ImBicta, “esquecendo-se” (como sempre…) de que, por serem i-le-gais e “sobreviverem” à margem da Lei, podem prevaricar com ainda mais gozo e que, isso sim!, é uma questão de efectiva (in)Segurança Pública, porquanto que todos temos conhecimento dos «comportamentos (literalmente) explosivos» dos i-le-gais afectos ao 5lb.
mas, pronto… como também são «gloriosos», deixá-los lá, na sua (triste) vidinha, que até são “bons moços“, de “boas famílias” e não fazem mal a ninguém; os outros, os do Norte, é que são uns maus, uns pulhas, uns bandidos soezes, que só sabem fazer visitas a Fafe e ‘graffitar‘ paredes e coisas que tais…
(* a propósito da questão dos bilhetes para o Clássico em Carnide, recomendo a leitura desta notícia aqui, publicada no pravda, logo bastante pertinente por que muito próxima das fontes oficiais do 5lb.)

» no rol daqueles artigos, também merece destaque (pela negativa) o abjecto “quem é o DDT?”, da autoria de josé couceiro – esse mesmo, ex-treinador do FC Porto na época 2004/2005 (de muito má memória) e o ardil principal do anti-jogo praticado pelo vitória fc, no passado Domingo.
acima de tudo, comprovadamente e nas suas próprias palavras, este Zé é «um PBS» da pior espécie, pois que se trata de um gajo que «puxa bem o saco» à sua sardinha, mesmo quando esta tresanda a podr
e.
.

© pravda
(clicar na imagem para ampliar)
.

BRASÃO ABENÇOADO do dia (aqui e aqui, em ficheiro jpg, e também aqui e aqui, mas em pdf), presente na edição impressa, desta Sexta-feira, do pravda da Travessa da Queimada, a qual não está (e nem estará) disponível na “papelaria” (aqui), devido ao encerramento compulsivo desta última, em Setembro de 2016.
obviamente que estou de acordo com tudo – mas mesmo tudo!, ouBistes, ó Silva? 😀 – o que o cronista teceu, inclusive naquela parte do «desespero» lampiónico.

.
disse!
.

.

‘cantares’ de Abril, em Março.

futuro© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

.

madraça
(árabe de madrasâ, escola | mɐˈdrasɐ)
substantivo feminino

[religião] escola (não estatal), a cargo de membros da religião islâmica, onde o estudo se concentra no Alcorão – o livro sagrado do Islamismo, que contém as revelações feitas por Alá ao profeta Maomé.

in dicionário priberam e infopedia.
.

caríssim@,

há por aí mosquitos por cordas acerca de um ‘cartoon que passou no último “Universo Porto – da Bancada” – um programa que, (re)afirmo-o podes (deves!) (re)ver aqui, porque é tempo bem despendido.
nesse programa, para lá da questão dos i-le-gais afectos ao 5lb, abordou-se (também) a da “tal” concertação que reina no Estado Lampiânico, por forma a elaborarem a propaganda goëbbeliana da semana, e que os mesmos negam com quantos dentes têm nas suas bocas imundas (mesmo aqueles que já caíram de podre).
um dos insurgentes é andré ventura, primo da aventesma pedro guerra e afilhado de casamento do rui, o gosma da selva. presumo e como a imagem o confirma (aqui e aqui e também aqui), que se incomodou com a referência à «madraça da luz»…

como é referido no programa em causa [a partir do minuto 61′], tal não passa de uma graçola e em resposta à torpe afirmação de pedro guerra, que se insurgiu contra o actual Director de Comunicação do FC Porto, apelidando-o «carinhosamente» de «talibã Marques» [aqui, ao minuto 59’15”].
mais: o ‘cartoon‘ em causa unicamente faz menção àquela mesmíssima concertação, correlacionando-a com uma espécie de madraça, tal a “afinação” dos discursos dos galináceos em causa, e tendo por base as escutas que amiúde vêm sendo divulgado aqui, no blogue (calimero? talvez…) “o polvo leaks”.
mas há algum mal “nisto” e apesar da Verdade (e nada mais do que a Verdade) que lá se apresenta, se demonstra com evidências, se comprova com factos? pois que, pelos vistos há, com esse (ainda) imberbe “ponta-de-lança” daquele Estado Lampiânico a ter os «gloriosos» topete, descaramento e desaforo, e as «gloriosas» desfaçatez, petulância e pouca-vergonha, de conseguir relacionar o atentado de ontem, em Londres, com o teor do referido ‘cartoon‘ (!!!).
pior: teve a ousadia de, «em nome da decência», como que exigir um pedido de desculpas formal e oficial, pela parte do FC Porto – o qual, à data e hora destas linhas (que não #madeinporta18), ainda não aconteceu e bem, digo eu!

.
como?! «em nome da decência»?! mas está tudo louco?!

é que eu não tenho memória de passarinho e, desde Abril de 2011, que ainda estou à espera do pedido de desculpas formal que o 5lb deve ao Futebol Clube do Porto e à figura do seu Presidente, Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa, por um parvalhão (lampião da pior espécie), de nome sérgio luís bordalo, ter desejado a morte deste último*. em directo. e aos microfones da “estação de televisão” da agremiação em causa.
* vídeo desse momento funesto aqui, com voz da criatura distorcida; enquadramento e transcrição dos factos ocorridos, aqui e aqui.

e, já agora, do pedido de desculpas formal pela forma como o “sr.” pragal do cu lasso se insurgiu contra os adeptos do Futebol Clube do Porto, em Março de 2011 – um ano de muito boa memória para tod@s nós, car@go!
(e já para não referir o asco máximo do taxista aqui, contra o Presidente, e aqui contra os portuenses em geral; e aqui, pela forma como se pressente toda a azia que ainda perpassa a alma «gloriosa» do zarolho em relação ao sucesso desportivo de Jorge Nuno de LIma Pinto da Costa).

todos estes momentos ocorreram efectiva e comprovadamente nos estúdios da “estação de televisão” afecta ao 5lb. são episódios que certamente engrandecem e enobrecem a “instituição”, e que a elevam em Dignidade, em Honra, em Desportivismo, em Glória, porquanto que as desculpas devidas, à data e hora destas linhas (recorde-se que não #madeinporta18), ainda não ocorreram. quase seis anos passados, certamente que ainda estão com dificuldades técnicas, mormente nos disjuntores dos sistemas de iluminação e de rega…
também são incidentes televisivos que não foram alvo de qualquer sanção (severa ou outra) por parte do Regulador do sector, como se demonstra nos seus pareceres 35/2010 (aqui) e 18/2011 (aqui), ao contrário do que tem acontecido com o Porto Canal e que se regista…

.
portanto e assim concluo:

pedido de desculpas «em nome da decência»? tende juízo, pá!

.
disse!
.

medidas diferentes (para os ilegais de sempre).

futuro© fotosdacurva | rui oliveira | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

caríssim@,

ao contrário da prosa de ontem, esta será uma “posta de pescada”® um pouco mais leBezinha, e vem no seguimento do que entretanto foi (muito bem) denunciado no último “Universo Porto – da Bancada” – e que podes (deves!) (re)ver aqui.
a questão que me importa aflorar nas próximas linhas (que não #madeinporta18) é tão-somente o reforço do meu mais profundo desagrado por esse completo desrespeito pelas normas vigentes em relação aos i-le-gais do 5lb, do beneplácito de que estes usufruem perante os demais adeptos dos clubes rivais (e devidamente legalizados), e do perfeito (por que «glorioso») conluio que grassa entre eles e com quem deveria zelar pelo garante da Lei. vamos lá, então!

.
do muito que se afirmou nos estúdios da Senhora da Hora, importa referir que também se comprovaram, com dados, factos, datas, nomes e até matrículas de viaturas (!!!), não só a ilegalidade mas igualmente e, por inerência, esse escabroso estado de «gloriosa» impunidade que reina sobre os grupos organizados de “adeptos” afectos ao 5lb.
também foi referido que esse clima contrário à Lei e que esse estado de consentida tolerância para com os efectivamente i-le-gais do 5lb, e como é (ou deveria ser…) do conhecimento geral, têm sobre si o “manto protector” dos me(r)dia e do jornalixo tugas – vulgo “o quarto p(h)oder” – para além das entidades que deveriam primar para que aqueles mesmos estados não acontecessem num (supostamente…) Estado de Direito – a começar na LPFP e FPF, e a terminar nas de Segurança Pública.
mais: provou-se, pela enésima vez, que o “quarto p(h)oder” tem duas formas diametralmente opostas de comunicar/informar factos idênticos quando estão em causa grupos de adeptos afectos a clubes distintos, com prejuízo para os que estão sediados mais a Norte do Mondego, porquanto que os deveres de Rigor e de Isenção se encontram (literalmente) ausentes.
pior: (com)provou-se que as forças de Autoridade e de Segurança públicas «gloriosamente» olvidam tudo o que envolva o 5lb e os seus grupos de “adeptos” i-le-gais, os quais usufruem de apoios e de regalias concedidas pela Direcção da agremiação em causa, e num espírito total e diametralmente contrário à legislação em vigor – a saber: Lei nr. 52/2013, de 30 de Julho, Secção III (“grupos organizados de adeptos”), art. 14º (“apoio a grupos organizados de adeptos”).
.

futuro© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

posto (tudo) “isto“, a imagem ali em cima é só mais uma prova do que (re)afirmo e uma súmula “perfeita” do que se demonstra à saciedade, no programa em causa – sendo que teve por base os respectivos comunicados, emanados pelo Conselho de Disciplina [CD] da FPF, a reportar os castigos aplicados aos jogos em causa.
assim sendo, atente-se nestes factos, igualmente graves por quem os fez, mas cujos tratamentos disciplinares foram grosseiramente díspares:

» aquando da ida à Amoreira, os adeptos afectos ao FC Porto comportaram-se mal, com arremessos de tochas, rebentamento de petardos e interrupção da partida por uma vez.
o CD, para além da multa pecuniária (já lá vamos), abriu um procedimento disciplinar, com base no disposto no ponto 2.), do art. 181º, do Regulamento Disciplinar da LPFP (“agressão simples com reflexo no jogo por período igual ou inferior a 10 minutos”). deduz-se que seja pela “lesão” provocada no guarda-redes moreira [escarro], que imediatamente se lançou para o relvado aquando do lançamento de uma tocha… para o lado contrário onde se encontrava…
já a multa pecuniária, pela «reincidência» do arremesso das tochas e do rebentamento de petardos, teve o “singelo” valor de 5738,00€.

» aquando da visita a Santa Maria da Feira, os i-le-gais afectos à “instituição” tiveram os comportamentos que se demonstram aqui, aqui e também aqui.
foi, de facto, uma partida atribulada também fora das quatro linhas, de onde resultou inclusive um ferido – um repórter fotográfico, que teve que receber tratamento hospitalar para regressar à sua vidinha.
convém salientar que e de acordo o mesmíssimo Regulamento Disciplinar da LPFP, aquele incidente é punível com o que vem disposto no ponto 1.), do art. 182º (“agressões graves a espectadores e outros intervenientes”). mas, no caso e no partida em apreço, não houve qualquer abertura de procedimento disciplinar, apesar da sua gravidade e… lá está!, inclusive mencionado no comunicado, «reincidência».
e por “falar” em reincidência: a multa pecuniária, por essa «reincidência» do arremesso de tochas e rebentamento de petardos, teve o “singelo” valor de 2525,00€ – bem menos de metade de 5738,00€…

» no Sábado passado, os mesmos i-le-gais afectos ao 5lb fizeram a festa e soltaram a franga, desta feita em Paços de Ferreira. mas e ao contrário de Santa Maria da Feira, não há imagens. nem vídeos. nem bastos relatos dos incidentes (pormenorizados, ou não), seja nos me(r)dia seja no jornalixo tugas. ou seja: como que não aconteceu, apesar do comunicado do Paços de Ferreira e do que vem descrito no relatório dos delegados da FPF ao jogo…
aliás: das longas descrições, no comunicado a reportar os castigos aplicados àquela partida, dá para se perceber que os mesmíssimos i-le-gais afectos ao 5lb fizeram mesmo a macaca e pintaram a manta, naquele concelho do Vale do Sousa. e que, no espaço de meros quinze dias, voltaram a ser… como é que é, mesmo o termo?… isso: «reincidentes».
mas, neste clima de «gloriosa» tolerância para com quem prevarica semana sim, semana também, voltou-se a atropelar o disposto naquele mesmíssimo Regulamento Disciplinar da LPFP, sendo que não houve qualquer abertura de procedimento disciplinar.
ah! e por nova «reincidência» de arremesso de tochas e de rebentamento de petardos, a multa pecuniária teve o “singelo” valor de 5585,00€. – ainda assim, inferior àqueles 5738,00€, portanto…
.

em suma e pegando em dois ou três chavões do futebolês:

1)
isto” é brincar ao Futebol, tomando os adeptos portistas por tolos, que comem geladinhos com a testa e que enfardam palha, como os demais “carneiros” afectos ao 5lb.
não somos, não comemos e estas «gloriosas» discrepância, discriminação e idiossincrasia, para lá da revolta que nos causa, só nos torna mais fortes. e resolutos em derrotar quem tanto nos odeia e disso faz o seu modo de vida – mormente nos me(r)dia e no jornalixo da tugalândia.

2)
pelo exposto e parafraseando o burro do Carvalho:
«bardamerda» para todos esses indigentes de Espírito – santo ou não, que não me importa rigorosamente nada a crença de cada um.

.
disse!
.

desconsolo.

© google | 92º minuto
.

nota introdutória:

esta “posta de pescada”® vai ser para o compridota. ou seja e como não poderia deixar de o ser, honrará com os pergaminhos e com aquela que é a imagem de marca deste espaço singular, na bluegosfera: os testament… os textos extensiva e sensivelmente looongos, as bastas (© Silva) hiperligações e as diversas imagens, que não só para memória futura mas também.
e, claro está!, que a minha sugestão, para estes momentos, é sempre a mesma, e como já deve ser do conhecimento geral…
e porque esta já vem um pouco em atraso, que ontem não me apeteceu escrever, como consequência de tal acto surge no efectivo conseguimento destas outras aqui e aqui (do caríssimo Silva) e desta aqui (do caríssimo Vila Pouca), cuja leitura se recomenda (e muito).
.

sinteticamente, sobre o jogo de Domingo, e sem quaisquer “paninhos quentes”, que os meninos são jobens, sim senhor, mas já têm idade e arcaboiço suficientes para levar uns calduços à maneira:
.

» perdemos o jogo* por pura incompetência nossa, ponto final, parágrafo.
de nada nos adianta estarmos a clamar por (mais) três penáltes sonegados e mesmo que com a razão unânime dos ex-apitadores tugas (aqui) – sendo que, confesso, só vejo “matéria de facto” no atropelamento ao Brahimi; os outros, que existiram, são (efectivamente) «de televisão». tínhamos mais é que marcar golos em número superior aos dos meninos do Sado. só que, o que nos foi permitido verificar, sobretudo aquando do regresso das cabines, foi um amorfo reinício de jogo e a verdadeira antítese do que o público no Dragão exigia (e lhes deveria ter sido concedido pela Equipa) – pois que o que se pedia, no mínimo, era partir para cima daqueles, sem dó nem piedade, na procura incessante do segundo e, se possível, do terceiro (e do quarto) golos.
e o vergonhoso anti-jogo (aqui), que também é denunciado pela e-letter do Clube, já deveria ter sido antecipado na preparação do mesmo – porque, mesmo que o Dragão seja uma «fortaleza», é certo sabido que, quem nos defronta, vem (no mínimo) com um “autocarro de dois andares” e com a artimanha do anti-jogo grosseiro desde o primeiro segundo. e tal é independente da cor das camisolas, porquanto que até o 5lb o fez, esta época.
(* perdemos, sim senhor, porque o empate, em si mesmo, teve o mesmíssimo travo amargo a uma derrota copiosa.)

» também eu não compreendi o porquê de uma mudança no figurino táctico, para o Campeonato, depois de uma série de (pelo menos) quatro exibições muito convincentes – tondela, clube da rotunda, Nacional e arouca -, onde se marcaram 16 (dezasseis) golos e não se sofreu um único (!). o regresso do duplo-pivôt, aquele “chuveirinho” final, com o ‘plus‘ do reaparecimento do “pinheiro” Depoitre, intranquilizaram-me. e muito!
depois de um exigente jogo, na passada Terça-feira, sobretudo em termos físicos, onde se jogou mais de 60’ minutos em inferioridade numérica, não percebi por que razão se sujeitaram o Danilo e o Óliver a trabalhos forçados, num meio-campo sempre, mas invariavelmente sempre em inferioridade numérica, ante os sabujos do Sado. assim como não entendi a titularidade de Corona que, apesar do golão que marcou e do toque maldoso que sofreu, a meio-campo, logo nos instantes iniciais da partida, nunca me pareceu “fresco” para os requisitos que este jogo impunham.
mas, “isto” sou eu, que não pesco nada de futebol ao mais alto níBel; o Nuno é que é o treinador e deveria ser ele a explicar as razões por detrás das suas escolhas – quanto mais não seja para sossego dos quase cinquenta mil adeptos que se deslocaram ao Dragão (muito) confiantes e que de lá saíram com um melão maior do que as orelhas do Dumbo de Carnide, a par das do Guedes (que entretanto está em Paris, por #quinzemilhoesvezesdois). como não o fez e deu a impressão de estar à espera de uma qualquer intervenção do Espírito Santo, mormente nos instantes finais da partida, “contentei-me” com o que foi aventado no ‘pós-match’, no Porto Canal, sobretudo pelo Rui Cerqueira…

» o que mais me custa, do empate de Domingo e para lá de algum “esvaziamento” do ânimo da massa adepta portista, é saber e ter a nítida percepção daquele que, na minha opinião, é o principal factor que o mesmo encerra: o termos concedido “gasolina” ao nosso próximo adversário – uma inesperada “gasolina” (aqui), depois do empate que obtiveram em Paços de Ferreira.
um exemplo paradigmático, mas elucidativo: se, a partir das 22h30m de Sábado, reinou um basto silêncio fúnebre em todos os me(r)dia da tugalândia – com sorrisos amarelos e «gloriosas» desconfianças no Futuro (mesmo no mais próximo) – desde Domingo, sensivelmente pelas 20h30m, renasceu-lhes a Esperança e, com ela, regressaram os sorrisos rasgados, e os alarves considerandos às nossas incapacidades (que as temos), e as omissões às arbitragens (que no dia anterior eram pior do que «vergonhosas»), e as cínicas referências à nossa inaptidão que já (per)dura há 445 dias (‘and still counting‘…).
.
.

© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

o escrito acima é da autoria do “intestino” (do) Delgado, (mais) um sabujo avençado, a soldo de uma «gloriosa» causa, desta feita no pravda da Travessa da Queimada.
aquele n-o-j-o, repleto de muito cinismo e basta hipocrisia, data de Dezembro de 2016, logo após a derrota do 5lb na Pérola do Atlântico, ante o marít’mo, e vem em complemento ao que entretanto o caríssimo Vila Pouca já denunciou:
.

« […] estes e outros vendilhões do templo que andam por aí, estão muito preocupados e enchem a boca com o facto do Futebol Português perder representatividade nas provas da UEFA, e apontam vários problemas.
mas, por que não aproveitaram e «carregaram» sobre o vergonhoso anti-jogo dos setubalenses, e condenaram veementemente o comportamento anti-desportivo da equipa de José Couceiro? Seria pedir muito, sobre isso? Talvez…
mas, a verdade é que, sobre o que aconteceu no Dragão, nada!, zero!, nicles!, «bola!». e porquê? porque deu um jeitaço ao 5lb e isso sobrepõe-se a tudo o resto
. »
.

também convém reavivar a memória, inclusive a alguns “iluminados” que por aqui persistem gravitar. é que, àquela derrota e às palavras duras do sonsoo marít’mo parou-nos de várias formas, umas melhores outras piores. deixo essa análise para os comentadores. eu quero é focar-me na minha equipa.»] e do ilusãofomos parados de várias maneiras. mas vamos lutar pelo tetra até à última gota de suor. não quero falar do árbitro, mas fomos parados de várias maneiras.»], acerca da arbitragem de vasco santos, o Conselho de Arbitragem da FPF, liderado pelo salmonelas (© Silva) do fontelas gomes, em menos de 48h, veio logo a terreiro defender a sua “dama”, enviando uma carta a pugnar para que que treinadores e jogadores contribuam para o aumento do tempo útil de jogo. eis alguns excertos daquela:
.

.

« esta temporada, temos detectado, com muita preocupação, o aumento do número de paragens de jogo e a crescente duração das mesmas. o Conselho de Arbitragem da FPF quer combater o antijogo, porque entende ser uma atitude que viola o espírito do jogo e de respeito pelo espectador.
vem, deste modo o CA/FPF alertar para este problema, comunicar as instruções dadas aos árbitros, mas, mais do que isso, solicitar que todos os actores se empenhem em transformar positivamente o espectáculo.

[das referidas recomendações aos árbitros] apela-se à sensatez e à coragem na atribuição dos tempos de compensação, mesmo que tal implique durações “anormais”.
foi recordado aos árbitros que, sempre que se deparem com uma situação de reiterada conduta para gastar tempo, devem ser interventivos, avisando publicamente e agindo disciplinarmente se necessário
.

.

portanto e tendo bem presentes as palavras de Bernardino Barros, para os avençados afectos ao 5lb – e que, neste entretanto, já puxaram da cassete e da propaganda goëbbelianas, e começaram a massacrar-nos os ouvidos com as “piscinas” do André Silva e com o «exagero» dos dois tempos de descontos [5′ na primeira parte, 7′ na segunda] – sendo curto, grosso, preciso, conciso e descendo ao nível daqueles:

fodei-vos, pá!, mais à vossa azia!
.

.
por último e não menos importante:

quem «exige Respeito» tem que se dar ao respeito, o que não é o caso do 5lb. de todo e como se comprova aqui, aqui e aqui, por exemplo.

.
disse!
.

dois (breves) apartes.

© google | 92º minuto
.

.

em relação ao renato:
todos os jogadores devem competir, mas nunca disse que os jogadores tinham que jogar os 90 minutos e em todos os jogos, isso não é possível!
o que disse é que os jogadores devem estar integrados sempre nos grupos e depois participarem nos jogos.
O renato tem sido chamado, com regularidade, aos habituais 18 convocados, na equipa do bayern münchen
[valente escarro], com uma excepção por um problema de gripe. e tem sido utilizado várias vezes, ao longo dos jogos.
isso, para mim, é suficiente
.
.
Fernando Santos, seleccionador nacional, 16 de Março de 2017.
.

caríssim@,

não há nada mais para afirmar sobre este não-assunto, a não ser o que a imagem abaixo (bem) elucida, com números que não podem ser contestados (porquanto que são os oficiais) e tendo por comparação um outro jogador, que não é afecto ao FC Porto, dentro do mesmo escalão Sub-21 [pigarro] e que actua no mesmo sector e desempenha as mesmas funções, dentro de campo, que o ‘deus’ renato das sandes:
.

© zerozero | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

mas eu compreendo o verdadeiro problema (imbróglio?) de Fernando Santos e de outros seleccionadores que entretanto e num Passado recente, têm passado pela #equipaquedecididamentenaoedetod@snos: o agente desportivo de Francisco Geraldes é outro que não o que verdadeiramente controla os destinos das convocatórias da “selecção”.
e «isso, para mim, é suficiente» o bastante para, não só me manter indiferente como até detestar a “selecção”. e cada vez mais. e por mais títulos que conquistem.
é que e para todo o Sempre, #aminhaseleccaotrajadeazulebranco.
.
.

© google | 92º minuto
.

.

Tribunal Arbitral do Desporto [TAD] negou o pedido do spórtém e decidiu arquivar o ‘caso dos vouchers‘. esta é uma decisão que também já tinha sido tomada pela Comissão de Instrução e Inquéritos da Liga e pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol [FPF].
o TAD justificou a decisão por considerar que «não houve qualquer ilícito disciplinar» na oferta dos ‘Kits Eusébio’ a árbitros
[e aos delegados ao jogo. e aos observadores dos árbitros.], por parte do 5lb.

estas foram as razões que o Tribunal invocou para arquivar o caso:

» as ofertas do 5lb a árbitros, aos observadores destes e a delegados, eram feitas «após os jogos» – algo que era «prática generalizada dos clubes participantes nas competições nacionais de futebol».

» as ofertas foram sempre realizadas «de forma absolutamente transparente […], na presença dos delegados da FPF e depois de estes, ou de um dos elementos das forças policiais, questionarem os árbitros sobre se os elementos afectos ao 5lb poderiam aceder ao balneário para as concretizarem».

» as ofertas não eram feitas «de molde a colocar em causa a integridade e a credibilidade, dos referidos agentes desportivos, nem tão pouco aptas a afectar a imparcialidade dos mesmos e, com isso, a Verdade Desportiva».

» o TAD considera que «não resulta minimamente provado nos autos nem é crível inferir que as ditas “ofertas” e “presentes” tivessem o significado de uma solicitação ou de um convite, a uma actuação parcial, por parte dos árbitros».

» o TAD também considera que, do ponto de vista do preenchimento do tipo de ilícito [“Corrupção da Equipa de Arbitragem”], afigura-se muito pouco relevante saber qual o custo efectivo da refeição, salientando que «tratam-se de refeições e não mais do que isso!».

» o TAD explica que [com aquelas ofertas] «ficou provado que o 5lb não pretendeu por qualquer meio e/ou forma, directa e/ou indirectamente expressa e/ou tacitamente solicitado e/ou sugerido, a qualquer árbitro principal, a qualquer árbitro assistente, a qualquer observador e a qualquer Delegado da LPFP, uma actuação parcial e atentatória do regular decurso dos jogos […] e de forma a beneficiar as suas equipas principal e B, e/ou a prejudicar as equipas adversárias em algum(ns) jogo(s) concreto(s), por aquelas disputado(s), nas competições nacionais em que participam».

» conclui o acórdão que «a oferta do “kit Eusébio”, nas concretas circunstâncias em que se verificou, não é apta a preencher o tipo de ilícito disciplinar “Corrupção da Equipa de Arbitragem”, previsto e punido pelo nr. 1, do art. 62º, do Regulamento Disciplinar da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, nem qualquer outra infracção disciplinar, ainda que indiciariamente [sic]».

.in sapodesporto, 16 de Março de 2017.
.

então, está tudo bem quando tudo acaba bem (para o 5lb), certo? errado!
por exemplo, mais do que se (in)tentar saber o custo efectivo de cada refeição, importa afirmar que comprovadamente o 5lb ofereceu lembranças com valor comercial – algo que é liminarmente proibido e taxativamente referido no documento “Normas e Instruções para Árbitros“, emanado pelo Conselho de Arbitragem da FPF, a páginas 42 (concretamente no capítulo III, referente a situações findo o jogo, no seu ponto 5. “lembranças”).
mas, como se trata da “instituição”, as «concretas circunstâncias em que tudo se verificou» não passam de meras suposições fantasiosas de quem as denunciou, pelo que ‘no pasa nada‘…

ai se tudo isto, mais a célebre questão do #Cardinalcircus tivesse ocorrido mais a Norte do Rio Mondego e os seus protagonistas fossem afectos a um clube da ImBicta e que não o Boavista! já não haveria alfaiates e/ou prontos-a-vestir, em número suficiente, para suprir as (avantajadas) necessidades de todas as «gloriosas» virgens ofendidas que por aí pululam…

.
disse!
.

Porto final.

futuro© fotos da curva
.

caríssim@,

acima de tudo, o jogo de ontem, em Turim, teve um resultado final e foi o corolário de uma exibição que não envergonham ninguém, sobretudo (e muito principalmente) de quem é portista. e não foi exclusivamente por nossa causa que, em 2018/2019, o futebol tuga só terá um representante com entrada directa na ‘Champions; nessa demanda «gloriosa» pela procura de “bodes respiratórios“, principie-se pela mentalidade de alguns (muitos?) “catedráticos” que pululam nosso comezinho futebolzinho, a começar pelo supra-sumo da agremiação do Lumiar.

numa curtíssima análise, plena de clichês, frases-feitas, chavões futeboleiros e lugares-comuns: caímos de pé, ante um opositor que gastou, num só reforço, 80% do orçamento do FC Porto para esta época, e que, pelo investimento concretizado, assume-se como um fortíssimo candidato a vencer a ‘Champions‘. e tal não se trata de uma qualquer desculpa, pela derrota final de 0-3 (no cômputo das duas mãos) e/ou de um qualquer assomo de uma vitória moral; antes da constatação do que aconteceu dentro das quatro linhas, numa partida de 180’.

por outro lado e numa vertente (bem) mais positiva, ainda bem que o Clube está muito grato à sua massa adepta. foram indubitavelmente uns adeptos do outro mundo, tod@s aqueles que, ontem, abafaram todo um estádio ‘gobbi‘.
e de nada serve a alguns pasquineiros abordar tal questão pelo facto de estar a decorrer um «protesto»; o agradecimento de toda a Equipa, no final, e o reconhecimento dos ‘tiffosi’ da ‘rubentus’ é quanto me basta, depois do show nas bancadas – e para lá do gesto do Fernando Madureira e da calorosa recepção no Aeroporto Francisco Sá Carneiro.
de facto, ele há coisas que nenhum «lapião» conseguirá compreender. nunca!
.

futuro© getty images | fotos da curva | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

a imagem acima refere-se a uma entrada “a varrer”, protagonizada por um jogador ‘rubentino’ e que quase deixava o Layún feito num… quadrado.
aquela aconteceu ao minuto 11′ e passou «gloriosamente» “despercebida” em tudo o que foi resumo à partida, excepto neste aqui, de uma estação de televisão… russa.
talvez a dureza (rudeza?) daquela entrada não esteja bem explícita, pelo que a imagem que se segue “falará” (bem) melhor do que eu:

.

futuro© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

em suma:
fossem aplicados os critérios de arbitragem (basto rigorosos) da primeira mão e provavelmente haveria mais estórias para contar sobre a partida de ontem.
e este é um facto que nenhum pasquim do jornalixo tuga, muito menos canal de televisão dos me(r)dia cá do burgo, resolveu apontar, mas que aconteceu, de facto. e que, mais uma vez e porque tal é conveniente para se passar a mensagem* foi «gloriosamente» sonegado.

* a mensagem de que fomos eliminados, curiosamente tal e qual como o 5lb (mas com menos golos sofridos e com menos humilhação, e mesmo que se alegue que a juBe esteve «em modo de treino» (!!!) contra nós e tal e coiso), e olvidando-se esse facto de que, em 180′, jogámos 115′ em inferioridade numérica – curiosamente (ou talvez não…), o argumento utilizado pelos mesmos sabujos, aquando da nossa eliminatória ante a AS Roma, para justificar a «facilidade» da nossa passagem à fase de grupos.
.

futuro© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

já a imagem acima serve só de memória futura, expondo-se o Antes e o Depois de Dortmund: isto é, da jactante bazófia seguiu-se uma inversão da Realidade, apontando-se O caminho que afinal sempre esteve presente, mesmo depois da ca-ba-za-da que sofreram.
a capa da direita é só a primeira desse contraste e a primeira que mereceu honras de destaque – curiosa e coincidentemente a aludir à nossa eliminação. e como não acredito em coincidências…
.

futuro© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

por último, a imagem acima é só um exemplo do porquê desta notícia aqui ser um «glorioso» logro.
fosse o pizza… o piç… o estrábico punido convenientemente e quando efectiva e comprovadamente prevaricou para amarelo (pelo menos), e o coxo do sonso não afirmaria «não estar preocupado» com esse assunto
como o pizz… o piç… como o estrábico não o foi nem é!, continua a reinar com a gente e a grassar a impunidade, para alegria geral da maralha do Estado Lampiânico e para que o desígnio nacional se cumpra.

.
disse!
.

gloriosa jactância nacional.

futuro© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

caríssim@,

pois então, mais uma “chapa 4” no campeonato, desta feita pelo 5lb, ante os pastéis do Belém… acontece que, aos meus olhos, mesmo que tolhido pela cor azul-e-branca, aquela foi uma goleada fajuta, uma «gloriosa» farsa e a tresandar a frete – mais um, pelos insuspeitos amiguinhos do costume, sempre bem (dis)postos a (literalmente) abrir as perninhas perante quem lhes acerta as conta$, numa depauperada $AD
senão, vejamos e tendo em consideração o resumo da partida (aqui):

» o primeiro golo, obtido logo aos 11′ (conferindo uma tão necessária tranquilidade para o resto do jogo), teve uma «gloriosa» assistência do célebre miguel rosa, com uma intrépida “peitaça” onde se pedia, antes, que, sei lá!, tivesse mais cabecinha «e que assim»…
mas, hey!, isto sou eu a afirmá-lo, pode haver opiniões diferentes e divergentes, sobre um lance que, tivesse como protagonista um qualquer jogador afecto à formação do FC Porto e a labutar numa espécie de clube satélite, tivesse feito um atraso em tudo idêntico ao do rosa saltitante

» o segundo, para lá da espectacular defesa, mas com os olhinhos, do redes cristiano figueiredo, também tem esse ‘plus‘ de demonstrar que este Belém também está pronto para participar no campeonato nacional de ragby, tal foi a forma valorosa que o seu quarteto defensivo protegeu a linha de fundo, não fosse o 5lb marcar um ensaio, «e que assim»…
acontece é que se tratava de uma partida de futebol, e aquele quarteto defensivo ofereceu todo o tempo do Mundo e todo o terreno de jogo, para que o mitra grego facturasse um golo fácil.

» o terceiro golo foi uma frangalhada do cristiano figueiredo, que viu (muito bem) a bola partir, mas esteve (muito mal) a lançar-se tardiamente para a defender.

» o quarto golo não deveria ter contado, porque foi mais um fora-de-jogo descarado.

.
em suma: tudo serve, mas mesmo t-u-d-o serve – e como se comprova aqui, em mais uma “engenharia financeira” que, se fosse sediada mais a Norte, ui! ui!, qual já não seria o falatório… – para que a treta do «glorioso» desígnio nacional do tetra cumpra o seu destino e o 5lb consiga, pela primeira vez na sua história (repleta de muiiiitas estórias), o que nós já conseguimos por duas vezes.
e para que os prostitutos dos me(r)dia e do jornalixo tugas prossigam com a sua «gloriosa» jactância, propositadamente olvidando o destaque que os nossos resultados desportivos também deveriam merecer.

mas, como o referi ontem e mesmo percebendo (mas nunca o aceitando, sequer de ânimo leve!) que sempre foi assim este “estado de graça”, (também) é assim que “gosto” deles: jactantes, soberbos, arrogantes, altivos, «gloriosos».
.

futuro© papa Pinto da Costa
(clicar na imagem para ampliar)
.

para logo mais, as minhas expectativas mantêm-se: mesmo contra todas as probabilidades e contra o que diz a história dos embates ante a ‘rubentus’, acredito que seremos capazes de fazermos um jogo (a) sério, isto é e (re)afirmando o que partilhei ontem: apesar de não contar com a passagem aos quartos-de-final, estou convicto num bom jogo, em que honraremos com os pergaminhos do brasão abençoado, e de que também seremos capazes de marcar (pelo menos) um golito.
.

forza FCPorto, vince per noi !!!

.
disse!
.

porque hoje é Segunda-feira…

© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

caríssim@,

as capas dos pasquins afectos à Segunda Circular, presentes na imagem acima encerram, em si mesmas, acima de tudo, por tudo e sobretudo, essa «gloriosa» azia por não desarmarmos na disputa pelo primeiro lugar.
em suma: duas goleadas, por números idênticos, mas com destaques (muito) distintos – por que infligidas por clubes de regiões diferentes. e não há como o negar, pois que nem sequer houve lugar a duas capas distintas para as regiões dos clubes em causa.

é mesmo salutar e certamente que muito gratificante, mormente para a “Estrutura” do Futebol Clube do Porto (a principiar na Direcção e terminando no mais comum do adepto, passando por toda a equipe técnica e pelos jogadores que constituem o plantel), perceber que, de repente e num imprevisto intante – inclusive para a esmagadora maioria da massa adepta portista – passamos a “contar para a totobola” e que afinal não estávamos dados como “mortos” e submissos à peleja, no máximo, pelo terceiro lugar do campeonato.
e, confesso, já há muito tempo que não acordava a cantarolar cânticos das nossas claques. e este só pode ser (também) um bom sinal para o futuro que tod@s nós desejamos para o próximo mês de Maio – e que nos é tão querido – mas cujo trajecto ainda comporta nove finais, a começar já no próximo Domingo, ante o Vitória de Setúbal, e depois da nossa ida a Turim.
e, deste último encontro, a contar para a ‘Champions‘, e mesmo com as altas expectativas (soberba?) do dani alves [escarro], espero que a Equipa saia de Itália de cabeça erguida, isto é: apesar de não contar com a passagem aos quartos-de-final (seria, já por si, um feito inédito. mas recordo-me sempre de, em Maio de 2014, o 5lb ter eliminado a ‘rubentus’, nas meias finais da Taça UEFA, com um empate em casa desta última…), estou convicto num bom jogo, em que seremos capazes de honrar com os pergaminhos do brasão abençoado. e acho que também seremos capazes de marcar (pelo menos) um golito…
.

© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

por último e antes de ir descomprimir, afirmar que a imagem acima, de um dos avençados da $AD do Estado Lampiânico, serve, não só “de gasolina” para que Maio, seja possível nos Aliados e na varanda do Estádio do Dragão, mas também para memória futura. e para se compreender um pouco mais do asco que sinto pela esmagadora maioria do benfiquismo dos lampiões, que não confundo com alguns prezados benfiquistas – que os há, a começar, por exemplo, em Júlio Machado Vaz, o qual, como figura pública, seria sempre incapaz de publicar um nojo como aquele ali em cima.

.
disse!
.

de um «cretino», que não passa(rá) de um «vintém» [com adenda e editado]

© google | 92º minuto
.

.

o Soares chegou “em bruto”: corria para trás quando os outros corriam para a frente. houve um quadro técnico que o ajudou muito, num ano e meio e não vi, em nenhum momento, neste período em que ele foi para o FC Porto, uma referência ao quadro técnico do Nacional, que o detectou lá num “Candal” ou num “Rio Tinto” qualquer do Brasil, que o trouxe e que lhe permitiu ser, hoje, o que ele é. até parece que não passou pelo Nacional…

como ser humano, espero que vá o mais longe possível, desejo-lhe a maior sorte. mas há duas coisas, na Humanidade, que, a mim, me incomodam: uma é a ingratidão e a outra é a ganância. quando as pessoas, por omissão, que é o caso, denunciam alguma ingratidão… então, não lhe terei grande coisa a dizer em relação a esse jogador… por isso, sobre esse jogador, poucas referências tenho a fazer. mas desejo-lhe a maior sorte como profissional.
.
manuel machado, treinador do fc arouca, 09 de Março de 2017.
.
.

.

foi muito importante para mim. acho que foi um enorme passo para mim ter feito esses 14 golos e ter ajudado o Nacional.
o treinador manuel machado ajudou bastante, nesse aspecto. ele  [manuel machado, na altura treinador do Nacional da Madeira] falava-me sobre o que eu tinha que fazer, o que tinha que melhorar. eu acho que… sou muito grato a ele, também. e deu tudo certo, no Nacional. e… bola para a frente.
.
‘tiquinho’ Soares, jogador do FC Porto, 16 de Fevereiro de 2017.
.

caríssim@,

não há nada mais para afirmar sobre este não-assunto, a não ser que, se não o é, até parece que está em marcha uma (espécie de) campanha para se tentar descredibilizar a melhor contratação do último defeso – primeiro, acusá-lo de ser “piscineiro”, agora “isto”…
e, já agora, que seria bom que o «cretino» em causa, se não quiser passar por «um vintém», como acusou o outro, em 2009, se retratasse antes do início da partida, junto de quem de direito – o mesmo jogador que, em devido tempo, afirmou estar-lhe «muito grato».
é que, «na Vida, por muito que a gente pinte de amarelo, de vermelho, de azul, para encher jornais, ele há coisas que não mudam, que são valores absolutos, valores profissionais». o reconhecer (d)o Erro, a assumpção da culpa e de que julgámos muito mal o carácter do Outro, é só um deles.
.

© google
.

adenda pertinente, em 11-03-2017:
.

neste entretanto, o manuel já pediu desculpas públicas ao Soares e ao FC Porto, por um episódio que tem tanto de lamentável como de «surreal», e para o qual ele foi o único (por que principal) instigador.
mesmo assim e apesar da postura do jogador (que lhe ofereceu a camisola do jogo) e do Clube, eu não o desculpo. e não o desculpo sobretudo porque, ao invés de assumir as suas próprias culpas, distribuiu-as pelo jornalixo tuga e pelos sabujos e pelos pés-de-microfone, que se limitaram a difundir as suas alarvidades. para além de que mentiu, com todos os dentes que tem na sua boca, quando afirmou que não leu nada da entrevista do Soares na Imprensa: certamente que não lhe fizeram chegar a edição do pasquim do ‘quim oliveirinha, no dia seguinte àquela (aqui).
.

.

© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

neste entretanto e como a imagem acima o comprova, já há quem esteja a aproveitar aquelas declarações infelizes, de alguém que nunca tive em boa conta, confesso, e que, na altura em que as proferiu, até dava a entender que estava com três ou quatro copitos a mais no bucho: a capa do ‘pravda‘ omite «gloriosa» e descaradamente o devido contraditório, por parte do jogador do FC Porto, dando a entender que o actual treinador do fc arouca tem toda a Razão do seu lado; a capa do pasquim do ‘quim oliveirinha remete a estória toda para uma singela nota de rodapé.
e esta “situação” é bem pior nas tvwc‘s da tugalândia, com o devido contraditório a ser sonegado de uma forma soez, torpe, vil, indigna dos princípios que deveriam nortear quem se afirma “jornalista”. mas, como quem trabalha nos me(r)dia e no jornalixo tugas, fá-lo a Sul e a soldo de bastos interesses capitais, estamos conversados…
curiosamente (ou talvez não), são os mesmíssimos me(r)dia e jornalixo tugas que já não têm qualquer decoro em assumir a sua «gloriosa» cor, como se demonstra aqui
... «perdemos», disse ele. e na primeira pessoa do plural (!!!)…

.
a propósito da capa do ‘pravda‘:

» assinale-se esse «glorioso» maquilhar de mais uma «gloriosa» derrota do 5lb na Europa – a segunda, esta época, por números superiores a 03 golos encaixados. no fundo, trata-se de uma alteração superficial de algo que efectivamente aconteceu – uma goleada -, de se inverter o rumo dos acontecimentos para algo que já é mais do que um desígnio nacional – o tetra da treta – e de se “massajar o ego” ao Estado Lampiânico, por forma a que este não esmoreça (ainda mais?).
e, já agora, se dúvidas houver do que afirmo, compare-se aquela capa com estas aqui, datadas de Abril de 2015, logo a seguir ao nosso descalabro em Munique.

» num cantinho, está uma espécie de “aviso amarelo” para os 4 atletas do FC Porto que “estão à bica” para acumularem cinco cartões amarelos no campeonato e antes da nossa visita ao antro de Carnide – Victorio Páez, André², Ruben Neves e Corona. “isto” surge, mais uma vez, quando o Clássico jogar-se-á daqui a duas jornadas… acho que não há necessidade de dizer seja o que for sobre algumas manobras de coação que vão persistindo por aí…
já agora e só por curiosidade, vou estar atento aos amarelos que o apitador Luís Ferreira irá mostrar aos atletas do Paços de Ferreira – o adversário do 5lb na jornada 26. é que Mateus, Gegé, Whelton, Ivo Rodrigues, Barnes e Pedrinho, titulares dos ‘castores’, estão todos “à bica”…
.

por último e antes da nossa entrada em campo, quero afirmar que, para um portista dos quatro costados, é absolutamente imperdível a grande, enorme entrevista ao “bicho”, ontem, aos microfones do Porto Canal – aqui (parte 1) e aqui (parte 2), para quem a quiser (re)ver. provavelmente e na minha opinião, a melhor dos últimos tempos a um jogador do FC Porto.
e também que aqui e aqui (em ficheiros jpg) e igualmente aqui (mas em formato pdf), com a devida cortesia do caríssimo Vila Pouca, tens acesso ao mais recente BRASÃO ABENÇOADO, presente na edição impressa, desta Sexta-feira, do pravda da Travessa da Queimada, a qual não está (e nem estará) disponível na “papelaria” (aqui), devido ao encerramento compulsivo desta última, em Setembro de 2016.

.
disse!
.

imagem do dia.

© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

caríssim@,

as capas do pravda, presentes na imagem acima (e também aqui, mas sem qualquer edição) são um “regalo” para quem, hoje, não está com um sorriso (muito) amarelo no rosto.
já agora, recordo que, em 2015/2016, numa época de muito má memória para os portistas e depois de uma abrupta mudança de equipa técnica, a eliminatória contra o Borussia Dortmund, no cômputo das duas mãos, ficou num total de 0-3, a favor dos alemães. é só para relembrar os mais esquecidos, que persistem em nos “esfregar” aquela eliminatória contra o bayern [escarro valente]…

aquelas capas também servem, não só para memória futura da chacota a que a do lado esquerdo está a ser alvo, mormente junto de quem não é «lapião» [sic], mas inclusive para demonstrar à saciedade, com exposição pública e pela enésima vez, o ridículo em que se torna essa «gloriosa» diferenciação de tratamento “jornalístico” que o pasquim em causa assume e de uma forma (mais do que) oficiosa, relativamente ao clube do regime (vulgo agremiação de Carnide; 5lb para ser mais preciso) e em relação aos demais adversários àquele…
confesso que não me recordo de uma única capa com igual mensagem destinada aos adeptos do FC Porto, inclusive no pasquim do ‘quim oliveirinha e que os paneleir… paineleir… que os comentadores afectos ao 5lb insistem e persistem em conotar como um órgão de informação oficioso do clube mais representativo da ImBicta…

no meu entendimento, as mesmas capas servem igualmente para fazer um pertinente alerta a quem sofre pelo azul-e-branco, no sentido de não se embandeirar em arco e de não nos arvorarmos em soberbos arrogantes, com a copiosa derrota que o Dortmund infligiu ao 5lb – e por mais saborosa que esta nos tenha sabido.
a mim soube, confesso. e não me importo de o partilhar contigo e por mais «anti-5lb»* que me considerem e por mais «medíocre, pequenino, mesquinho e infausto» possa parecer aos olhos dos «gloriosos» lampiões que por aqui gravitam e na bluegosfera em geral. tal será sempre para o lado que dormirei (bem) melhor, e na exacta proporção das “boas sortes” que aqueles nos desejam. sempre. e seja em que competição for.
mesmo assim, convém recordar que, na próxima Quarta-feira, também temos uma deslocação difícil. e que os ‘gobbi‘ da ‘rubentus‘ terão um reforço de (pelo menos) mais «seis milhões» de fiéis torcedores, não só pela nossa derrota, mas sobretudo por uma verdadeira cabazada das antigas. portanto: contenção nos “festejos“, por causa do karma e o camandro…

* que não sou! primeiro, antes de tudo e sobretudo, sou um fervoroso adepto incondicional do Futebol Clube do Porto. e quero mais é que o 5lb safoda. e que o spórtém vá «bardamerda», também. assim mesmo: com as letras todas.
.

© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)
.

já agora e no seguimento de uma pertinente prosa do “tribunal”:

em Fevereiro de 2013, redigi um textinho sobre a cantilena que a imagem acima alude. a minha opinião não mudou, entretanto, antes pelo contrário: apesar de perceber o verdadeiro asco que tod@s os adept@s portistas sentem pelo 5lb, ele há momentos que não consigo compreender porque aquele cântico é entoado – sobretudo quando não o dito cujo não está envolvido. aliás, este é O argumento utilizado pelos lampiões para nos (in)tentarem ferir com o retrucar do dito, acusando-nos de uma suposta «menoridade» e até de alguns «complexos de inferioridade» para com o 5lb (!!!).
a partir de hoje, tal deixará de ser uma razão objectiva, para se tornar numa falácia e em mais um «gloriosos» logro pois, como se comprova aqui e de uma forma bem audível, não estamos sozinhos nessa questão da «menoridade», antes pelo contrário. e é de todo pertinente informar que o que se entoa, de forma insultuosa, no antro em causa e pelos i-le-gais do costume, aconteceu na época 2014/2015, num 5lb vs. gverreiros lampiões do Minho.

ah! e cansa ter que explicar a quem não é da ImBicta e sofre por uma cor que não o azul-e-branco, que a alcunha «tripeiro» abrange todos os cidadãos nascidos na cidade do Porto e independentemente da sua cor clubista…
«tripeiro eu sou / e levo o FCPorto no meu coração»…

.
disse!
.