#frutavermelhaparadormir

© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

.

a “fruta” que não era fruta.

o Tribunal de Instrução Criminal do Porto decidiu não levar a julgamento o presidente do FC Porto, Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa, no processo do “Apito Dourado”, relativo a um jogo que os ‘dragões’ disputaram, na época 2003/2004, com o Estrela da Amadora.
o que estava em causa? suspeitas de corrupção denunciadas por Carolina Salgado, ex-companheira de Pinto da Costa.

“enrolado” como está aquele processo, este seria apenas mais um episódio da saga que entretém – e há-de continuar a entreter… – os portugueses, que tendem a ver em Pinto da Costa a “encarnação do Mal”.
a verdade é que este foi um dos casos em que a equipa liderada por Maria José Morgado – a nova salvadora do País – mais investiu. porquê? Por conter em si elementos suficientes para entreter o Povo.
não seria “delicioso” apanhar o presidente do FC Porto num processo (que até já fora arquivado por falta de provas) em que o Ministério Público sustentava que teriam sido fornecidas prostitutas à equipa de arbitragem daquele jogo, em 2003/2004, e que lhe teria sido propiciado um jantar como contrapartida por violação das regras de jogo? seria muito “delicioso”. porque estava lá tudo: o submundo da prostituição, ligado à troca de favores; fartos jantares para, no meio de gozosas risadas, comemorar as tropelias; árbitros ansiosos por passar uma noite de arromba com companhia… enfim: a prova provada de como Pinto da Costa e o FC Porto “driblavam” as regras para alcançar o sucesso.

o que entendeu o juiz que, ontem, decidiu arquivar o processo? tão-somente “isto”: «só ficcionando ou conjecturando [seria possível encontrar] um nexo de causalidade entre os factos» relatados naquele, isto é: entre o resultado obtido pelo FC Porto, na partida contra o Estrela e a «fruta», não há relação possível.
mais: mesmo do ponto de vista técnico, o juiz entendeu que não houve violação de regras no jogo FC Porto vs. Estrela da Amadora, e de acordo com as perícias, designadamente em lances capitais.
e mais ainda: o magistrado afirmou que as escutas realizadas no âmbito do processo “Apito Dourado” «não poderiam ser consideradas» para este processo específico [ponto 4., do artigo 88º, do Código de Processo Penal].

as críticas à equipa liderada por Maria José Morgado são severas.
se um juiz entende que não há qualquer «nexo de causalidade» entre os factos, isso só pode significar uma de duas coisas: ou a investigação foi mal feita (ao ponto de não fornecer matéria de facto para a acusação), ou a acusação estava previamente determinada independentemente dos factos que viessem a apurar-se.
aeja como for, quando um magistrado dá uma “pancada” deste tamanho num processo tão mediático, a última coisa que podemos fazer é ficar descansados com a Justiça que temos.
.
Paulo Ferreira (JN) | Julho de 2008.
.

caríssim@,

anos. muitos anos. demasiados. mais de uma década. quase uma Eternidade. pelo que, mais uma vez e tal como tu, confesso publicamente o meu cansaço, a minha exaustão na sua audição, qual ladainha monocórdica, normal e invariavelmente pelos mesmos, os (afirmado pelos próprios) “impolutos” (!!!).
falo do quê? da «fruta», do «chocalate», das «meias-de-leite»,  e do diabo a sete, com que os adeptos das agremiações afectas à Segunda Circular nos foram brindando desde o “rebentamento” do escandaloso processo ‘pito dourado – e assim adjectivado porque resultou num gasto incomensurável de dinheiros públicos para tão pífia vitória final (e se é que houve alguma).
e assim também se justifica a introdução a este meu desabafo, nas palavras de um sub-director do JN, à data de 2008, numa súmula do que resultou aquele mesmo processo.

ontem, com as revelações bem terrenas de mais um capítulo do #apitodivino, no programa “universo Porto – da bancada”* (vídeo aqui), acho que começou o fim daquela enfadonha lengalenga. certamente que não cessará a partir do dia de hoje, mas acredito piamente que doravante será repetida menos vezes (‘ad aeternum‘ e ‘ad nauseam‘)…

* para quem tiver esse interesse e de uma forma sintética:

» aqui tem acesso a um novo desmascarar da “seriedade” muito precária do assalariado também ele precário, mas que ocupa um cargo de relevo na estrutura comunicacional do 5lb;
» 
aqui tem acesso uma troca de e-mails entre pessoas ligadas ao carnidense, sobre como fazer pressão sobre o Conselho de Disciplina para interditar os estádios do Dragão e Pedreira (em Braga, onde o 5lb ainda iria jogar);
» aqui
tem acesso a um nexo de causalidade entre o e-mail divulgado pelo ‘expresso’ e o que aconteceu ao apitador tuga em questão;
» aqui tem acesso à gravidade do que é exposto num e-mail de um anterior Presidente da Mesa da Assembleia-geral da LPFP;
» aqui tem acesso à (para mim) revelação da noite: a existência de “fruta” muito rubra para dormir – para além de que se (com)prova que o 5lb, num afã de glorioso P(h)oder, também controla a vida íntima e paralela de alguns apitadores, com a nefasta (lá está!) influência de poder coagir as pessoas em causa a fazer tudo aquilo que aquela agremiação precisa.
.
.

© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

pelo exposto, é por demais evidente que começa a ser demasiado complicado para o «polvo» controlar os seus «tentáculos».
e, como a imagem acima o revela, também se verifica uma missão basto espinhosa para os artífices da propaganda do Estado Lampiânico conseguirem “abafar” tantos factos que, correlacionados entre si, tramam o carnidense “ao mais alto níBel” – apesar de ainda o tentarem, remetendo para notas laterais e/ou de rodapé algo que, numa cor mais para o azul, seria honra de destaque de capa inteira (e referindo-me somente ao exemplo dos pasquins desportivos. é que as capas de hoje, dos periódicos generalistas, metem muito nojo, tal a gloriosa irrelevância que concederam à denúncia de tão graves ocorrências).
e é manifestamente incontestável que está a ser muito difícil perceber e/ou entender (sequer aceitar!) a complacência, a parcimónia, o comedimento, o silêncio, a aparente inacção das entidades – públicas e desportivas – perante tanto escândalo, o qual será tudo menos «um completo desespero de uma figura sinistra» e nas palavras de alguém que tem o seu rabo tão trilhado que deveria estar mais moderado (mais sóbrio?) nas suas declarações…
é muito por “isto” tudo – e que não é pouco! – que subscrevo o texto que se segue, da autoria do Director do pasquim do ‘quim oliveirinha:
.

© ojogo | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

em suma:
veremos o que se seguirá, numa estratégia de divulgação que subscrevo: aos bochechos, e para os fazer sofrer (arder?) lentamente, em lume (aparentemente) muito brando, mas que “queima”, que “chamusca”, que causa dor e desconforto, e também alguma ansiedade. aliás, basta ouvi-los nas últimas horas: caladinhos que nem ratos, como cães com o rabo enfiado entre as pernas.
para memória futura ficam aquelas declarações, reproduzidas não só na imagem lá em cima, mas também aqui (num vídeo engraçado do Fábio Silva), por parte de um outro alguém que deve ter mesmo agenda muito cheia (de “fruta” vermelha para dormir?…) para ainda não ter conseguido encontrar um buraquinho onde encaixar uma entrevista à estação (cada vez mais, muito pouco) pública de televisão.
..

.
agora apague tudo!
.

Anúncios

4 thoughts on “#frutavermelhaparadormir

  1. Acho muito estranha esta inacção das tais entidades pois, ou da nossa parte o divulgar de informações não está “a chegar” para que se comece a fazer algo, ou da outra parte terá que haver uma pressão mais intensa para que se mexam.

    Bem sei que a Justiça está muito ‘pro bermelho’ mas, caramba: estas informações já estão expostas.
    Tem que haver mais pressão do que só expor; estamos a ser mais passivos do que activos.

    Liked by 1 person

  2. Escreveu Eugénio Queiroz, em record, a 21 de Outubro de 2012:

    “É extensa a lista de membros da Comissão de Honra da candidatura de Luís Filipe Vieira. Não vou detalhar muito.
    Vou apenas referir os seguintes nomes: António Correia de Oliveira, Duarte Oliveira Martins,José Vasconcellos e Sousa, Leonel Sérgio Pinto, Luís Coelho Ribeiro, Luís Óscar Morais, Manuel Jesus Carvalho,Miguel Albuquerque de Lemos, Rui Gomes Girão, José Coelho da Costa, Gonçalo Amaral e Vítor Tavares de Almeida.
    Não conhecem? É provável, são todos inspectores ou ex-inspectores da Polícia Judiciária. Um deles até integrou a Equipa Especial do Processo Apito Dourado.”

    É por isto que a investigação devia ter passado para um âmbito supra-nacional. E é por isto que não podemos baixar a guarda.
    Força FC Porto! Força Francisco J. Marques!

    Liked by 1 person

    1. @ António

      meu caro,
      agradeço-lhe o pertinente comentário, citando um texto que será do desconhecimento de muitos que nos lêem.

      permita-me só um reparo: se o julgamento da investigação passar para uma esfera supra-nacional (UEFA), tal significará tão-somente uma decisão de poder integrar, ou não, o 5lb em próximas edições de competições internacionais de clubes.
      ou seja: antes de se passar para esse âmbito terá que haver uma conclusão judicial em território nacional português – tal e qual como aconteceu no processo ‘pito dourado.

      abr@ço
      Miguel | 92º minuto

      Gostar

vocifera | comenta | sugere (registo necessário)

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s