fénix! fónix! coiso!

© google | 92º minuto
.

.

« o procurador do Ministério Público (MP) pediu, esta Quarta-feira de manhã, no Tribunal de Guimarães, a absolvição do presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, no julgamento da Operação Fénix. o mesmo foi pedido para Antero Henrique, antigo vice-presidente portista. […]
o líder portista chegou cedo e ouviu, já na sala de audiências, o representante do MP defender que não fica provada a existência de segurança privada ilegal. para que isso acontecesse era preciso que os serviços feitos pela SPDE a Pinto da Costa e Antero Henrique, «fossem de acompanhamento e defesa; em nenhuma das situações se mostram os crimes, pelo que deverão os arguidos ser absolvidos», alegou o procurador do MP.
 »

fonte: JN
.

caríssim@,

tanto afã em noticiar a indiciação como arguido, inclusive com laranjos ao poste e tudo, para, um ano depois e em completo contraste, aquela notícia do JN ir surgindo a conta-gotas nos me(r)dia e jornalixo tugas… é mesmo caso para perguntar «que passou se»?

[custa muito, não custa? pois deve custar… a vontade era mais do que muita, não era? ai não que não era!… temos pena (quase nenhuma, para ser sincero). e continuem a mandar e-mails, que a malta gosta bués disso.]
.

© google | 92º minuto
.

pergunta inocente:

são tão-somente «40 jogadores» do plantel principal ou serão todos os que estão sob contrato com o 5lb?

[é que parece que eles são bem mais. muitos mais. e, já agora e a talho de foice, depois de definido o plantel, o que é que se faz ao excesso?… ah, já sei! distribui-se o “refugo” pelos clubes amigos… pois, é isso mesmo…]

.
neste entretanto, ele há datas que não se esquece, porque nos marcam de forma indelével. ontem, há precisamente nove anos, começava a minha aventura no mundo dos blogues e posteriormente nesse basto particular e que é o da bluegosfera. assim sendo, aqui tens acesso a essa relíquia que foi a minha primeira prosa, numa pueril (por que ainda demasiado imberbe) inocência.

acima de tudo, realço que este espaço existe graças a ti, por ti e para ti, que o visitas de forma regular e por Bem.

um grandebem-haja!para ti, portanto 😉

.

por último e para os “alguéns” que, apesar de todos os avisos, ainda assim persistem em visitar este espaço, mesmo não sendo bem-vindos (de todo!) e que me apelidam de «fruteiro», para a História ficará o registo daquelas trocas de mensagens electrónicas que, por não terem sido apagadas como se exigia por um dos seus intervenientes, entretanto têm sido muito abafadas pelas prostiputas do jornalixo tuga, a soldo do carnidense – as mesmas que fazem tudo por relevar esta posterior revelação, acerca dos “impolutos“:
.

© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

.
agora apague tudo!
.

Anúncios

#neverforget

© google | 92º minuto
.

caríssim@,

bem sei que há muito por dizer, por contar, por refilar, por barafustar, mas há datas que não se esquecem, porque nos ficam cravadas no coração (mais do que gravadas na nossa memória). o primeiro dia do corrente mês de Maio é, para mim, uma dessas datas.

23 anos depois, ainda é muito difícil “digerir” o que aconteceu sensivelmente pela hora do almoço, com a confirmação fatal a ser anunciada ao Mundo ao final da tarde daquele (para todo o Sempre) funesto Domingo de 1994.
aliás, ainda é extrema e dolorosamente delicado, para mim, controlar a Emoção quando me recordo de tudo o que envolveu o seu desaparecimento precoce…

bem sei que Roland Ratzenberger também sucumbiu naquele dia horrífico; mas o Ayrton é que é o meu ídolo. e, com a sua morte, também chegou ao fim, para mim, o encanto de uma modalidade que me fazia ser um dos (bastos) maluquinhos que, madrugadas adentro, assistiam também aos treinos livres e às sessões de classificação, para os grandes prémios dos EUA, do Japão e da Austrália, numa altura em que a perícia dos pilotos se sobrepunha (e de que maneira!) às habilidades da Mecânica. e da Engenharia. e da Aerodinâmica. e afins…
agora, sincera e honestamente, nada me importa da F1. nem sequer sei quem é o mais recente campeão da modalidade… quero dizer: até sei quem é, mas não quero saber. sou egoísta a esse ponto! para mim, a 01 de Maio de 1994, desapareceu “o meu” Campeão. foi o derradeiro ponto final.

um ano depois da minha última recordação desta sombria data, fica o registo público do lamento que ainda sinto. e do quão “frio” ainda está o meu coração. e mesmo com um dia de atraso sobre aquela.

.
disse!
.

três breves not@s…

© google | 92º minuto
.

caríssim@,

no dia de hoje, ficamos a saber, sobretudo pela Imprensa internacional, que Leandro Bacuna e pelo que as imagens documentam, está suspenso de toda a actividade profissional por seis jogos – tudo porque, no passado Sábado, o médio-centro do Aston Villa (clube inglês a militar no escalão secundário, o ‘Championship’), viu cartão vermelho directo, já em período de descontos, por ter encostado a cabeça ao bandeirinha do encontro ante o Derby County.
por cá, na tugalândia, no nosso comezinho futebolzinho, o sr. luís grande continua, há mais de 400 jogos, a passear uma “girafal” impunidade. ilusões de que nem todos se podem “orgulhar”…
.

© google | 92º minuto
(clicar na imagem para ampliar)

.

serve a imagem acima para documentar (mais) uma situação de “massagem ao Ego”, não só do sonso, mas sobretudo da «gloriosa» massa adepta lampiã.
convém é não esquecer o que o mesmo pravda trazia à estampa em Junho de 2013, não se vá dar o (A)caso de a história se repetir…
.

© Match Worn Shirts FC Porto | 92º minuto
.

há precisamente dois anos “nascia” este espaço – a terceira parte de uma aventura que teve o seu início em Julho de 2008.
mais de uma boa vintena de boas (porque sólidas) Amizades construídas, mais de quatrocentas “postas de pescada”® depois e perto de 240 mil visitas efectivas (que não visualizações de página), o espírito de Comunicação e de partilha públicas mantêm-se, apesar da actual inconstância no meu contacto para contigo.

neste entretanto, houve uma (espécie de) “remodelação”, a qual incluiu uma mudança de nome, basicamente porque decidi conferir um pouco mais de “azul” ao espaço. e porque “Tomo III” era uma nomenclatura algo vaga para o quotidiano azul-e-branco – menos para mim e para quem me segue desde aquele primeiro momento, em 2008.
(sobre o nome actual: bem sei que o mesmo sugere um momento muito grato a qualquer portista dos quatro costados que se preze e por tudo que o envolve; acontece que, para mim, aquele minuto recorda-me igualmente este momento aqui, ocorrido na presente temporada, o qual também ainda me faz vibrar, e emocionar, e rejubilar, e com o mesmo vigor, tal e qual como o outro.)

e tal como o referi noutras alturas, todo este esforço e toda esta dedicação, existe graças a ti, por ti e para ti. e este é um sentimento que não se altera(rá).

.
disse!
.

então, está bem…

© Tomo III
.

.

– agora não, que me dói a barriga…
– agora não, que dizem que vai chover…
– agora não, que joga o 5lb,
e eu tenho mais que fazer…

agora sim, cantamos com vontade!
agora sim, eu sinto a União!
agora sim, já ouço a Liberdade!
vamos em frente, é esta a direcção!

os deolinda | movimento perpétuo associativo.
.

caríssim@,

permite-me uma sugestão, depois de ter sabido que os “senhores” ali em cima, ontem, marcaram presença na gala “Dragões de Ouro 2016”: para o ano convidem-se os uhf, mais a lena d’água, mais o joão pedro pais.

.
disse!
.

pedalagem nicada…

futuro© google | Tomo III
.

caríssima(o),

dizem que é o desporto de Verão, desde sempre (bem mais do que o futebol de praia). dizem que a nossa prova rainha deveria competir, de igual para igual, com as das congéneres italiana, espanhola e francesa (exactamente por esta ordem de importância). dizem que arrebata multidões, por esse país fora, tal e qual como um qualquer (vulgar?) festival da época em apreço.
para mim, confesso que o ciclismo é bastante estimulante para “preparar” condignamente uma boa sesta – com um ligeiro, quase (muito) suave ruído de fundo (vulgo comentários) e uma luz, estilo penumbra (somente raiada pelas frinchas ténues das persianas), a conferirem o ambiente perfeito para o tão desejado cochilo. ai que saudades!, agora que o escrevo… 😀
mesmo assim e pese embora o meu (quase total) desinteresse pela modalidade em causa, não poderia deixar de parabenizar a nossa equipa W52-FC Porto-Porto Canal pela brilhante conquista da 78ª edição da Volta a Portugal em bicicleta. e, claro está, Rui Vinhas, pelo (muito suado) triunfo final, que lhe garantiu uma amarelinha que lhe fica muito catita – 34 anos depois de Marco Chagas o ter conseguido (em 1982) e 32 anos depois da suspensão da modalidade.
e, como refere a página oficial do Clube, «este foi o 13º triunfo de um ciclista azul-e-branco na geral individual (à frente de spórtém e 5lb, com 09) e também o 13º em termos colectivos (logo atrás vem o spórtém, com 12)».

já agora e por “falar” em Marco Chagas, uma palavra de apreço para a coragem que demonstrou, em directo, ao criticar o facto de a estação oficial de transmissão da prova, em nova desfaçatez e em mais uma demonstração de que, quando a cor dominante não é outra, dita mais «gloriosa», o serviço público (ou o pouco que ainda vai prestando) é mandado às malvas, por ter optado pela programação pimbalhesca que a vem caracterizando ao invés da festa dos legítimos vencedores da prova.
fui alertado para tal, podendo-o confirmar ‘a posteriori‘ e com recurso às gravações da box: a transmissão da Volta a Portugal, na estação (cada vez mais, muito pouco) pública de televisão, foi abruptamente interrompida no seu principal canal, sendo que as imagens dos festejos e da vitória final tiveram lugar no seu canal de informação o qual se acede somente via cabo. (in)felizmente não fui o único a calar esta revolta, em novo capital atropelo dos interesses dos adeptos do FC Porto mas, sobretudo e principalmente, da glória que os ciclistas da W52-FC Porto-Porto Canal deveriam merecer – tal e qual como outros, em tempos, também tiveram esse direito
.

.
sugestão musical:

taxi, “tv-wc (também aqui).
(e porque esta malha aqui era demasiado óbvia)

.
disse!
.

«nesta data querida»…

pml040316© pravda
(clicar na imagem para ampliar)
.

caríssima(o),

consta que aquele senhor, que (também) declarava o salário mínimo nacional, na década de 90 (aqui) do século passado e quando chegou a ser proprietário «de uma mansão», no decurso do dia de ontem, Quinta-feira, foi «detido por suspeitas da prática dos crimes de branqueamento de capitais e de tráfico de influências, no âmbito da operação “Rota do Atlântico”».
consta também consta que o senhor em causa, de Janeiro de 1994 a Outubro de 1997, foi o 30º “parsidente” do 5lb.
porém e de acordo com as
 capas dos pasquins desportivos, desta Sexta-feira, nada consta sobre aquele sucedido… não é nada que me surpreenda e tendo em linha de conta o que os mesmos – «ambos os três» (!!!) – fizeram em Julho de 2015, no âmbito da “operação fénix”. é só mais um exemplo, de (mais) um «glorioso» branqueamento capital e que muito deve “engrandecer” quem o pratica.

entretanto, a imagem acima é do mais recente BRASÃO ABENÇOADO, da autoria de Pedro Marques Lopes (aqui), presente na edição impressa, desta Sexta-feira, do pravda da Travessa da Queimada (aqui). escusado será dizer e mais uma vez, que concordo, em absoluto, com o que Pedro Marques Lopes defende. em. absoluto. palavra. por. palavra.
.

tomo© Tomo III
.

por último, (também) no dia de ontem, este novel espaço de discussão pública comemorou o seu primeiro aniversário, 266postas de pescada”® depois.
trata-se da terceira edição de uma aventura que começou a 04 de Julho de 2008, sempre com o mesmo entusiasmo e a mesmíssima dedicação, mas com um redobrado fervor clubista, por esse Amor comum e que dá pelo nome de Futebol Clube do Porto.
assim sendo, mantenho tudo o que escrevi em Julho de 2014, reforçando a ideia inicial de que este espaço existe graças a TI, por TI e para TI!

[neste entretanto, devido ao período de eleições para o Clube e às que ocorreram ontem, mas para a SAD portista, muito há para dizer. só que, entrementes, neste intervalo de tempo, o Jorge já se antecipou e redigiu um texto, o qual subscrevo. na íntegra. palavra. por. palavra. (e apesar da referência ao meu ídolo de adolescência).]

ah!
a propósito da super-jornada deste final-de-semana e que muito definirá sobre o epílogo desta liga, peço-te encarecidamente o favor de despenderes (e no máximo!) mais um minuto, do teu precioso e valiosíssimo tempo, a responder ao inquérito que se segue, o qual estará disponível até (sensivelmente…) às 19h30m de amanhã, Sábado:
.

.
disse!
.

#nuncamais

arbeit© google
.

.

« Isto é o Inferno.
Hoje, nos nossos dias, o Inferno deve ser assim: uma sala grande e vazia, e nós, cansados, de pé, diante de uma torneira gotejante mas que não tem água potável, esperando algo certamente terrível, e nada acontece… E continua a não acontecer nada.
Como é possível pensar? Não é mais possível; é como se estivéssemos mortos. Alguns sentam-se no chão. O tempo passa, gota a gota…
»

inSe Isto é um Homem” (Primo Levi, 1947).


.
adenda importante:

post que surge no seguimento deste aqui (de Janeiro de 2013), com mais de 24h de atraso e que em nada se relaciona com Futebol.

#nuncamais

.
disse
!
.

dos “parabéns!” a um adolescente, mas já muito graúdo…

edragao© lipinho ferreira
.

caríssima(o),

sim!, estou de volta! – que é como quem afirma, alto e bom som: “I’m back, bitchies!“, com os saudosos Whitesnake em música de fundo. ou então, de outro grupo qualquer, pronto!.. esta também me parece bem… ou então, não… tu é que decides. adiante.

num tom mais sério, quero agradecer os comentários, bem como os e-mail’s e os sms de alguns de vós, manifestando sincera preocupação por esta ausência forçada. tratou-se de um problema de saúde, com um elemento muito chegado da minha família, que felizmente já está debelado, mas que me ocupou todo o tempo que tinha disponível. todo o foco recaiu nele e toda a minha atenção foi exclusivamente dirigida para ele.
como o referi ‘in situ‘ e de forma muito sentida, os visitantes deste espaço, mormente aqueles que o consultam por Bem, podem não ser milhares mas são mesmo muito bonse, como sois extremamente fiéis e dedicados, o que me deixa muito orgulhoso, tal acresce ainda mais responsabilidade sobre os meus ombros, por forma a corresponder às vossas (legítimas) expectativas. espero conseguir estar à altura deste desafio, o qual já (per)dura desde 2008.

a todas(os) vós, o meu sentido “bem-hajam!

.
já agora e ao contrário do que pode ser lido por aí, onde anónima e cobardemente se afirma que «é mais fácil pensar pela própria cabeça, do que ir ao blog “o que interessa é o ‘pré-match’“, abanar as orelhas, decorar umas bacoradas e plantá-las em tudo o que é blog» – numa infida referência, não só ao meu estaminé, mas também a alguns ‘bloggers‘ e aos seus espaços, que muito prezo, num completo estado de excessiva baixeza moral pela parte de quem não tem a coragem (sequer!) de assinar pelo nome de baptismo o que desconhece, de todo! -, é com imenso agrado que te informo que houve quem tivesse aceite o desafio lançado aqui, no seu ponto 1). e que pôde confirmar e/ou testemunhar que, mais do que «abanar orelhas», a discussão em torno do nosso quotidiano vai muito além do que é escrito e/ou debatido e/ou comentado por esse “marabilhoso mundo que é a bluegosfera”® fora.
fica lançado novo repto para quem quiser ter a certeza absoluta do que ali atrás (re)afirmo. para tal, basta comparecer, no sítio do costume, (pelo menos) quarenta e cinco minutos antes de se iniciar a partida. ou então, nos conBíBios do “bibó FC Porto, car@go!“.

.
por último, também não menos importante e fazendo jus ao título desta “posta de pescada”®, estamos de parabéns!: há precisamente doze anos, com a pompa e com toda a circunstância que se impunham, inaugurava-se a nossa actual casa: o Estádio do Dragão.
mais do que o jogo contra o Barça (e da estreia de Messi na equipa principal catalã) ou do que os números que, passados 4383 dias, só nos podem encher de orgulho, este continua a ser o momento que guardo nas minhas memórias acerca da efeméride em causa. aliás e para ser verdadeiro: para mim é tão-somente “O” seu momento.

.
disse!
.

about: blank

peace

© google
.

.

Through these fields of destruction,
Baptism of fire,
I’ve witnessed your suffering,
As the battles raged higher.
And though they did hurt me so bad,
In the fear and alarm,
You did not desert me,
My brothers in arms.

There’s so many different worlds,
So many different suns.
And we have just one world,
But we live in different ones.
.

inbrothers in arms“, by Dire Straits.

.